Blog do Dresch

28 de julho de 2016

A eleição em São Paulo promete!

               O Psol resolveu apostar no nome da deputada federal e ex-prefeita, Luiza Erundina, para disputar as eleições municipais deste ano, rumo à Prefeitura paulista. A chapa é “puro-sangue” já que terá como candidato a vice-prefeito, o também deputado Ivan Valente. Ambos foram escolhidos na convenção do partido realizada no último Domingo. O Psol deve se coligar com o PCB nestas eleições. “Queremos fazer de São Paulo uma cidade das pessoas, invertendo prioridades e dando poder de decisão ao povo.  Contra o vale-tudo da política tradicional, acreditamos que os sonhos possam governar” afirmou Erundina.

Erundina entra na disputa 2

                  O Psol vem trabalhando para esta eleição, o trabalho coletivo, buscando o apoio da juventude paulistana, especialmente na periferia, porque estes jovens não presenciaram o governo anterior de Luiz Erundina. Nesta eleição, Erundina vai enfrentar um páreo duro: O prefeito Fernando Haddad (PT) é candidato à reeleição; o PSDB que comanda o governo do Estado, está lançando o empresário João Dória Jr.; O PMDB deve anunciar em breve a senadora Marta Suplicy, enquanto que o PRB aposta no deputado Celso Russomano, até agora o líder das pesquisas de intenção de voto.

Proibido plebiscito separatista

                   O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Santa Catarina proibiu a realização de um plebiscito informal, para questionar a população sobre a separação da Região Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul- do restante do país. O plebiscito seria realizado em paralelo ás eleições municipais, segundo a perspectiva dos dirigentes do grupo “O Sul é o meu país”. Seriam espalhadas 4.000 urnas perto dos locais de votação em 2 de Outubro. A meta é alcançar 1 milhão de pessoas, o equivalente a 5% dos eleitores da região Sul. A proibição partiu do presidente do órgão, desembargador Augusto Mimoso Ruiz Abreu e foi acolhida por unanimidade pelos demais juízes. Foi proibido também o uso da palavra “plebiscito” que é uma prerrogativa do Executivo ou Legislativo. E além disso, o desembargador citou que a separação dos três estados é proibida no primeiro artigo da Constituição Brasileira, que estabelece que “A República Federativa do Brasil é formada pela união indissolúvel dos estados e municípios e do Distrito Federal”. A organização separatista se defende dizendo que os movimentos similares são comuns no mundo todo, chegando a 400 atualmente. O grupo cita inclusive o Sudão do Sul que se separou em 2011. O TRE de Santa Catarina também encaminhou o caso à Polícia Federal, já que tentar desmembrar uma parte do território é crime, passível de prisão.

 

História da mídia no NE

              A oportunidade de reunir pesquisadores e profissionais de comunicação em um evento regional, para discutir de forma interdisciplinar os processos históricos da mídia, é o objetivo do Encontro Nordeste de História da Mídia. O evento é promovido pela Universidade Federal de Alagoas, nos próximos dias 4 e 5 de Agosto, e dá a oportunidade de sequenciar o trabalho da Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia, batizada de Alcar, em homenagem ao pesquisador pernambucano Alfredo de Carvalho, autor do primeiro inventário do primeiro centenário da imprensa brasileira, em 1908.

História de mídia no NE 2

              A sigla Alcar, identifica o grupo que constituiu a Rede Alfredo de Carvalho em 2001, durante reunião da Associação Brasileira de Imprensa, no Rio de Janeiro, para os propósitos de preservar a memória da mídia brasileira, quando das comemorações do bicentenário, em 2008. Nesta oportunidade foi fundada a Associação Brasileira que decidiu alterar a periodicidade dos eventos científicos: nos anos pares acontecem os regionais e nos ímpares um grande encontro nacional. São apresentados trabalhos em oito grupos temáticos: História do Jornalismo, da Publicidade e Comunicação Institucional, da Mídia Digital, Impressa, Sonora, Audiovisual e Visual, da Mídia Alternativa e da Historiografia da Mídia.

O protagonismo negro

                   O papel da mulher negra na comunicação é um dos principais temas que estão sendo discutidos em Brasília até o próximo Domingo (31) no Festival Latinidades, que destaca o protagonismo das mulheres negras e o enfrentamento ao racismo. A programação é farta e inclui debates, conferências, lançamentos de livros, cinema, feira e shows. “A ideia é pensar como os meios de comunicação podem ser usados no combate ao racismo e dar visibilidade é produção intelectual, cultural e jurídica dos negros em geral” explicou a coordenadora do Festival, Bruna Pereira. Este ano o evento conta com o apoio da ONU e do governo do Distrito Federal.

Pássaros na natureza

                 Dezenas de pássaros, apreendidos no último Domingo nas feiras livres da Levada em Maceió e em Coqueiro Seco, foram soltos esta semana pelos técnicos do Ibama. As aves foram apreendidas por militares do Batalhão Ambiental, em uma batida realizada na capital e na cidade próxima, caracterizada como uma fiscalização de rotina. Vários espécimes que estavam em cativeiro (nas gaiolas) foram libertadas ontem como Sangue de Boi, Patativa, Sanhaço, Galo de Camina, Patativa, Sibite em ter outras.

 

 

  • O governador Renan Filho e o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, anunciaram ontem o reajuste de 12,5% para os benefícios concedidos pelo Programa Bolsa Família.
  • O aumento vai beneficiar 397 mil famílias alagoanas atendidas pelo Programa. O acréscimo prevê ainda o aumento da linha de extrema pobreza de R$ 77 para R$ 85, e da linha de pobreza, de R$ 154 para R$ 170.
  • Em Junho, o Bolsa Família injetou R$ 66,8 milhões em Alagoas. A partir de Julho, este montante será de R$ 75 milhões, aumento a circulação de renda e beneficiando a economia estadual.
  • Além do reajuste o ministro Osmar Terra anunciou ainda outras ações voltado para as crianças atendidas pelo Bolsa Família.
  • Serão criados três comitês para o desenvolvimento das ações: Comitê Pente Fino para o cruzamento de informações e base de dados; Comitê da Inclusão Produtiva para reforçar as medidas de geração de emprego e renda; e o Comitê da Primeira Infância, para a obtenção de melhorias a longo prazo.