site

27 de julho de 2016

Aumenta o eleitorado jovem e de mulheres

                   O eleitorado feminino apto a participar das eleições municipais deste ano em Alagoas, é bem maior que o masculino, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). São 1.142,487 mulheres, contra 1.004.033 homens, numa diferença de 138.454 mil eleitoras a mais. No total, o número de eleitores que estão em condições de participar das eleições deste ano aqui no estado, é de 2.146.520 eleitores. Um dado a ser comemorado, segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas, Sebastião Costa Filho, é o aumento do eleitorado jovem (16 a 18 anos) no estado, que passou de 53.128 em 2012 para 62.391 jovens eleitores.

Os números das eleições 2

                   “O Tribunal apoia todas as iniciativas internas voltadas aos jovens e adolescentes em geral. Colocamos em prática os projetos Eleitor do Futuro e Eleitor Jovem, que levam noções de cidadania para as escolas públicas e privadas com atividades lúdicas e uma linguagem específica para este público” explicou o desembargador-presidente. Ele citou ainda as campanhas de alistamento eleitoral para os jovens de 16 a 18 anos, que não são obrigados a votar mas que aprendem a importância do voto e da sua participação no processo democrático.

Comprometendo o futuro

                   O desmanche dos projetos mais bem sucedidos do país, continua acontecendo no governo interino de Michel Temer. Agora foi anunciado a extinção do Programa Ciências Sem Fronteiras para estudantes dos cursos de graduação. Assim não serão mais concedidas bolsas, segundo nota da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O programa será retomado em breve com foco no ensino de idiomas, no Brasil e no exterior, para jovens de baixa renda que cursem o ensino médio em escolas públicas. Segundo a Capes, o governo determinou uma minuciosa análise técnica do Ciência Sem Fronteiras e identificou a necessidade de aperfeiçoamento do programa, especialmente na graduação. Contudo, o governo acenou com a possibilidade de manter as bolsas de pós-graduação, dentro do limite financeiro disponível, podendo ser inclusive ampliadas. Os estudantes que ainda estão inseridos no programa, terão as bolsas mantidas até o início do próximo ano, quando deverão concluir suas atividades. O Ciências Sem Fronteiras foi um dos mais exitosos programas na área científica colocados em prática pelo governo brasileiro. Foi criado em 2011 com a meta de conceder 101 mil bolsas, voltadas para as áreas de ciências exatas, matemática, química e biologia, engenharias, áreas tecnológicas e de saúde.

 

Sonegação supera déficit

                 O governo interino de Michel Temer estima que o déficit público neste ano de 2016 atingirá cerca de R$ 170 bilhões. Mas este valor seria facilmente superado se o combate à sonegação fiscal fosse mais efetivo. Um instrumento criado pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), batizado de “Sonegômetro”, calcula que para este ano, os valores sonegados atinjam mais de R$ 275 bilhões. O número está em um painel instalado há pouco mais de um mês na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O objetivo do painel é exatamente chamar a atenção dos parlamentares do Congresso Nacional para os valores astronômicos da sonegação no país.

Sonegação supera déficit 2

                 Ainda segundo o Sinprofaz, o rombo dos cofres públicos provocado pela sonegação de impostos poderia ser ainda maior, não fosse o trabalho desenvolvido pela Procuradoria-geral da Fazenda Nacional, que tem como missão recuperar judicialmente os créditos tributários e não-tributários devidos por pessoas físicas e jurídicas. Somente nos últimos 4 anos, a ação da Procuradoria resultou na recuperação direta de R$ 76 bilhões e evitou, em um ano a perda de mais de R$ 500 milhões dos cofres públicos.

Nem a Stock Car escapa

                   Contratos de patrocínio utilizados na Stock Car, principal categoria do automobilismo brasileiro, foram usados para lavar dinheiro para pagar propina da Petrobrás. Vários delatores da Operação Lava Jato citaram que o caminho do dinheiro passava por uma empresa de marketing, com larga utilização de propaganda na competição, e que era de propriedade do empresário Adir Assad, já condenado na Lava Jato. Grandes empreiteiras estamparam suas marcas nos carros de corrida. Era apenas uma forma de justificar o dinheiro usado para a propina, superfaturando os contratos.

Nem a Stock Car escapa 2

                   A empresa de Assad, a Rock Star tinha contratos publicitários com várias construtoras e empreiteiras, e só o grupo Scahin, apresentou notas firmadas com equipes da Stock Car, no valor de R4 3,5 milhões. Outro delator, Ricardo Pessoa, também apresentou outras notas fiscais de patrocínio, no valor de R$ 4 milhões firmados com a Rock Star. A primeira menção à competição de automobilismo na Operação Lava Jato foi do doleiro Alberto Yousseff, principal delator da toda a operação. Ele citou a Tomé Engenharia, que também tinha vários contratos de patrocínio firmados com a Rock Star.

 

 

  • O PCdoB de Alagoas realiza no próximo sábado (30) uma plenária reunindo filiados ao partido, militantes, amigos e simpatizantes, para discutir o processo eleitoral em Maceió e o quadro político no país.
  • O encontro está marcado para as 9h, no auditório da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas (Adufal), na rua José Porciúncula, 121, no Farol.
  • O apoio da militância do PCdoB interessa em especial a dois candidatos já declarados: Cícero Almeida, do PMDB e Paulão, do PT.
  • A eleição para a Prefeitura de São Paulo, neste ano, promete muitas emoções, pelo menos diante das candidaturas que estão se desenhando.
  • O prefeito Fernando Haddad (PT) é candidato à reeleição, tendo como vice, Gabriel Chalitta. A deputada Luíza Erundina é a candidata do Psol. Já o PSDB, com o apoio do governo estadual, está lançando o empresário João Dória Jr. O PMDB vai de Marta Suplicy, enquanto que, o PRB confia no “taco” do deputado Celso Russomano, que atualmente lidera as pesquisas de intenção de voto.
  • O orçamento da Prefeitura de São Paulo para 2016 é R$ 54,4 bilhões.