Olívia Cerqueira

23 de julho de 2016

Fala Preta marca luta e resistência da mulher negra contra a opressão de gênero e racismo

Para marcar a passagem de 25 de julho – Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, um coletivo de entidades que atuam na defesa dos direitos da Mulher, no combate ao racismo e na promoção da igualdade racial em Alagoas estará realizando de 23 a 25 deste mês o evento “Fala Preta! #Tireavendadoracismo”, das 13h às 17hs, no Museu da Imagem e do Som (Misa), em Jaraguá.

O evento constará de rodas de conversa sobre institucionalização do racismo e as consequências para a mulher negra, além de apresentações artístico-culturais. A abertura será neste sábado, 23, às 13hs, com um debate sobre “Juventude e Feminismo das Pretas”. Em seguida apresentação do Coletivo Afro Caeté.

Domingo, 24, a partir das 13h, o tema será “Estética negra e moda afro”, seguido de apresentação de Mel Nascimento, Batuque Yá e Naná Martins. Segunda-feira (25), no mesmo horário, bate-papo com as pretas colaboradoras sobre “Descompassos da violência e das políticas públicas no campo da saúde da mulher negra”. Logo após, apresentação de Arafunfun Omanngerê, encerrando com Igbonan Rocha.

Participam da organização do “Fala Preta”, o Instituto Feminista Jarede Viana, Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim), Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Conepir), Marcha Nacional das Mulheres Negras em Alagoas e Projeto Inaê, com apoio da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC) e da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh).

Segundo a presidente do Cedim e uma das organizadoras do evento, Ana Pereira, o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, comemorado em 25 de julho, é um marco internacional da luta e resistência da mulher negra contra a opressão de gênero, o racismo e a exploração de classe. Foi instituído, em 1992, no I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-caribenhas, para dar visibilidade e reconhecimento a presença e a luta das mulheres negras nesse continente.

Entre as palestrantes do Fala Preta estão Márcia Regina, consultora do MEC sobre educação inclusiva e enfrentamento ao racismo na escola; Verônica Lourenço, da Rede Lai Lai (Pb), ex-conselheira nacional de Saúde; Larisse Pontes, mestranda em Antropologia Social pela UFSC e pesquisadora do Núcleo de Estudos de Identidades e Relações Interétnicas – NUER; Marli Araújo, doutoranda, pesquisadora em violência, gênero e raça e Vitória Santiago, integrante do Conselho Estadual de Juventude.

 

Contato: Valdice Gomes (98878-7484) Ana Pereira (99655-4405)