20 de julho de 2016

Volta às aulas. Mochilas. Coluna vertebral. Escoliose.

Todo inicio de ano letivo seja janeiro ou julho voltam as dúvidas sobre o peso das mochilas levadas pelas crianças e adolescentes para o colégio.

Voltam também as opiniões diversas e meio que pesadas ou leves sobre o assunto que lógico, como sempre no Brasil, todos são especialistas.

Inicialmente a escoliose é uma deformidade da coluna vertebral nos níveis dorsal e lombar. Qualquer “desvio” de eixo lateral para direita ou para esquerda é chamado de escoliose. A escoliose pode ter etiologia neuromuscular, congênita ou idiopática. A maioria é idiopática (não tem razão definida) assim cai por terra a ideia de que mochilas leves ou pesadas irão determinar escoliose! Acomete crianças ou adolescentes na proporção de duas meninas para um menino.

Claro que ninguém vai concordar com o peso utilizado em excesso nas mochilas dos nossos alunos! Pais, colégios, professores terão que chegar a um consenso!

Segundo a CLT (consolidação das leis do trabalho) o peso máximo que pode ser transportado por um homem é de sessenta (60) quilos. Já a mulher, vinte e cinco (25) quilos. Porém no âmbito internacional esse peso varia para ambos os sexos entre vinte e três e vinte e cinco (23/25) quilos.

O que é consenso entre os ortopedistas brasileiros: o peso máximo que uma criança ou adolescente pode transportar é dez (10) por cento do seu peso corporal. Ou seja, cinquenta quilos de peso corporal, pode transportar cinco quilos na sua mochila!

Qual a melhor posição de transportar a mochila? A tira colo o que quer dizer a alça apoiada no ombro esquerdo e a bolsa (mochila) no lado direito do corpo ou vice versa. Mochila tradicional colocada para trás nas costas ou para frente.

Assim acredito que ficam esclarecidas as dúvidas e não se deve criar bicho de sete cabeças sobre o assunto.