Blog do Dresch

5 de julho de 2016

Pauta cheia antes do recesso do Senado

                   Esta é uma semana de pauta cheia no Senado Federal. É a última de reuniões da Comissão do Impeachment, que depois só volta a se reunir em Agosto. São os últimos dias antes do recesso parlamentar que começa em 13 de Julho. Diante deste acúmulo de atividades, o presidente Renan Calheiros pretende colocar em votação pelo menos quatro proposições. Hoje, devem ser votadas duas propostas de emenda à Constituição: uma que disciplina a instituição do consórcio público de saúde e outra que fixa limites para despesas do Poder Legislativo e Tribunais de Contas dos estados.

Pauta cheia no Senado 2

                   Na quarta-feira, a ideia é votar o projeto que regulamenta a exploração dos jogos de azar e que trata do limite global da dívida da União. Os dois projetos, no entanto, podem gerar polêmicas no plenário e isso pode dificultar a apreciação das duas matérias. Depois sobram outras pautas para a próxima semana, como a do projeto que trata do abuso de autoridade, dos que tratam do pacto federativo, o que atualiza a lei das licitações e o que trata do abastecimento de água por fontes alternativas.

 

Mais viaturas nas ruas

                   A região da Grande Maceió e o município de Maragogi receberam ontem uma ferramenta importante no combate à criminalidade. O governador Renan Filho entregou 21 novas viaturas para a Polícia Militar, devidamente equipadas e que vão auxiliar nas ações de policiamento ostensivo e preventivo. São veículos zero quilômetros, do tipo Station Wagon, Pálio Weekend e S-10. De acordo com o governador Renan Filho a meta da segurança pública é dotar a Polícia Civil e a Polícia Militar de novas 600 viaturas até o final do próximo ano.

Rótulos mais completos

                   Está vigorando, desde o último Domingo (3), a determinação da Anvisa para que os rótulos dos alimentos contenham informações sobre os produtos que podem causar alergia. A determinação foi aprovada em Junho do ano passado, e as indústrias alimentícias tiveram um ano para fazer a adequação. Os alimentos devem informar se possuem alguns destes alergênicos: trigo, crustáceos, ovos, peixes, amendoim, soja, leite de todos os mamíferos, amêndoa, avelãs, castanha de caju, castanha do Pará, macadâmia, nozes, pecâ, pistaches, pinoli, castanhas e látex natural. Calcula-se que, no Brasil, 8% das crianças menores de 8 anos sejam alérgicas.

Cheiro de complô

                   Afastado da presidência da Câmara dos Deputados, e prestes a perder o mandato por corrupção, Eduardo Cunha (PMDB) continua sendo um visitante assíduo do presidente interino Michel Temer. Preocupado com o desmoronamento completo do seu governo, Temer virou o conselheiro oficial de Cunha, que agora já pensa em renunciar à presidência para preservar o mandato. Se isso acontecer para ambos a escolha do sucesso na presidência da Mesa Diretora é fundamental.

Cheiro de complô 2

                   A assessoria de Temer garante que os dois somente discutem o cenário político, mas opositores apostam que Temer está tentando montar uma operação para evitar um processo turbulento, como a prisão de Cunha, sua esposa e filha, um presidente da Câmara não afinado com o governo e outras possibilidades, como paralisar o processo de votações de medidas de interesse do governo, como a proposta de teto de gastos, por exemplo. Os próximos serão vitais para ambos.

 

  • Uma pesquisa divulgada pelo IBGE, mostrou que no Brasil, cerca de 15,2 milhões de pessoas usam medicamentos para dormir. Isso equivale a 7,6% da população.
  • O número foi obtido após pesquisa feita em 81.254 milhões de domicílios e é idêntico ao total de pessoas com diagnóstico de depressão. Na pesquisa anterior sobre o mesmo assunto, feita em 2008, a quantidade de pessoas que tomavam remédios para dormir era de 4,1% da população.
  • Foi revelado ainda que 13,7% da população fez uso abusivo de álcool nos 30 dias anteriores à pesquisa.
  • Em 2013, 21,5 milhões de pessoas com mais de 18 anos fumavam tabaco, o que equivale a 14.7% da população e outras 21,2 milhões faziam uso do cigarro.
  • Das doenças crônicas não transmissíveis, as três mais comuns foram a hipertensão arterial (31,3 milhões de pessoas), colesterol alta (18,4 milhões) e dor nas costas (127 milhões).