Roberto Baia

27 de junho de 2016

Grande repercussão

Repercutiu muito mal as declarações do vereador Dr. Fábio (PR) sobre a direção do ASA em uma conversa entre ele e um comerciante conhecido como Neno Cão. Em áudios que circulam nas redes sociais, o parlamentar diz que vai ajudar o ASA doando terrenos que ele possui em cemitérios de Arapiraca para “enterrar esses ladrões”.

 

Reagiu no Facebook

Ao ser questionado por um suposto membro da direção do clube, o vereador reagiu afirmando que “se você precisar de ajuda, eu ajudo, mas você não merece”. As declarações chegaram a direção do alvinegro e o presidente do Conselho Deliberativo, advogado Fabrízio Almeida publicou em seu perfil no Facebook “que é preciso ter cuidado com o consumo de bebida para evitar falar asneiras”.

 

Ataque contra agiota

Em função da repercussão de suas declarações que tomaram uma grande dimensão em Arapiraca, depois de serem publicadas no programa Pajuçara na Hora, apresentado pelo âncora Ailton Avlis, Dr. Fábio declarou que não estava bêbado e que seu “ataque” foi contra o agiota Neno Cão com quem tem uma contenda por conta de um parente que teria perdido um bem para Neno. “Eu não bebi. Estou há dois meses sem ingerir bebida alcoólica em função de uma chikungunya e estou tomando anti-inflamatórios”, esclareceu o parlamentar.

 

Impasse continua

Com Roberto Gonçalves: O impasse entre os marchantes de Arapiraca e região Agreste continua e na sexta-feira (24) a direção da empresa decidiu encerrar as atividades temporariamente até uma decisão do julgamento do caso na Justiça. Para abastecer o mercado de carnes  em Arapiraca os marchantes tomaram a iniciativa de realizar o abate no frigorifico Mafripes em Rio Largo, distante de Arapiraca, 112 quilômetros. 

 

Preços mais altos

A distância gera custo no produto que está sendo repassado para o público consumidor que tem que adquirir o produto a preços mais altos. O problema complica o comércio de carnes de outras cidades da Região Metropolitana do Agreste (RMA) que dependem do abate em Arapiraca. Em algumas cidades do Agreste, a exemplo de Lagoa da Canoa estão sem carnes nos açougues a disposição dos consumidores.

Matança clandestina

Com o impasse e a necessidade de abastecer os açougues vai ocorrer o aumento da matança clandestina do gado nos sítios sem as mínimas condições de higiene e de transporte e sem a fiscalização dos órgãos competentes,  principalmente da Vigilância Sanitária. O impasse está no alto preço cobrado pelo FrigoVale de R$ 88,52 por cabeça do gado e ainda usufruir das vísceras que não é do acordo dos marchantes. O frigorifico Mafripes cobra o abate por cabeça R$ 45,00 ficando com as vísceras e R$ 130,00 liberando as vísceras.

 

Mais barato

Os processos que pedem a redução da tarifa e melhorias de ônibus e vans do transporte intermunicipal entre Maceió e Marechal Deodoro foram retomados pelo Ministério Público Municipal. A promotora Maria Aparecida Carnaúba decidiu unificar as denúncias abertas por moradores de Marechal e pelo Instituto Federal de Alagoas – Campus Marechal Deodoro, reunindo as informações sobre os problemas enfrentados diariamente por estudantes e trabalhadores.

 

Vai ouvir

O primeiro passo tomado pela promotora foi reunir representantes do Ifal, da Arsal (Agência Reguladora de Serviços de Alagoas) e da empresa de ônibus Real Alagoas, para ouvir as considerações de cada segmento sobre a situação dos serviços de transporte intermunicipal. A audiência foi realizada na terça-feira (21).

 

Frota reduzida

Na reunião, foram discutidos, entre outras pautas, os aumentos consecutivos da tarifa, a quantidade insuficiente de ônibus para atender à população, especialmente estudantes que pagam tarifa diferenciada, e a falta de transparência e fiscalização da Arsal sobre a tabela de horários de ônibus e vans que circulam entre Maceió e Marechal.

 

Combate as drogas

Com Ascom/Arapiraca: O problema das drogas é ela em si ou as pessoas que a consomem? O direcionamento no foco do assunto deve ser na prevenção e combate a elas ou no acesso ao conhecimento por parte do usuário?

Estas são algumas perguntas que serão discutidas no próximo seminário que está sendo organizado pelo Comitê Gestor de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas.

 

 

… Os integrantes do grupo – representantes do Conselho Municipal Antidrogas (Comad), secretarias Municipais de Assistência Social (Semas), de Educação e de Governo, 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Fórum de Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável de Arapiraca (FDLIS), Projeto Redes/Senad/MJ/Fiocruz e Casa Dona Paula – se reuniram no Centro Administrativo Antônio Rocha, nesta segunda-feira (27), para definir a data do evento.

 

… Ele será realizado no próximo dia 8 de julho, como local a ser definido, sendo este o 3º Seminário de Políticas Sobre Drogas.

 

… Por sua vez, o palestrante será o renomado psiquiatra e professor doutor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Antônio Nery Filho, com mais de 30 anos de experiência no tratamento de dependentes de drogas.