Blog do Dresch

23 de junho de 2016

Defesa garante legalidade dos decretos

                   Ao depor como testemunha de defesa da presidente afastada Dilma Rousseff, a ex-ministra do Planejamento e ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Míriam Belchior disse que os decretos de suplementação orçamentária, pelos quais Dilma é acusada de ter cometido crime de responsabilidade, não foram ilegais e que era impossível fazer um contingenciamento (bloqueio de recursos) maior do que foi feito ano passado. “Considero a proposta de contingenciar cento e tantos bilhões como um retrocesso. O máximo que eu fiz foi de 55 bilhões e foi uma tristeza absoluta, porque significa paralisar quase todas as políticas públicas” afirmou a ex-ministra em depoimento à comissão do impeachment.

Decretos foram legais 2

                   Míriam Belchior também falou sobre a dificuldade em fechar as contas atendendo ás despesas obrigatórias e às discricionárias, mas que também eram fundamentais. “Durante o meu período à frente do Ministério do Planejamento, um dos exercícios mais difíceis que a gente tinha que fazer era a peça orçamentária, como fazer caber o conjunto de necessidades da população brasileira nos limites do que é possível arrecadar da população, e ao mesmo tempo, garantir o resultado primário necessário ao país. Isso acaba engessando o orçamento com as despesas obrigatórias”, disse ela à comissão, com a certeza de que o seu depoimento pouco será levado em conta.

Churrasco poluente?

                   A capital do Chile, Santiago e cidades localizadas no Sul daquele país, alcançaram níveis críticos de contaminação atmosférica, que preocupou as autoridades chilenas, principalmente pelo fato de que a poluição é responsável por cerca de 4 mil mortes prematuras, segundo o Ministério do Meio Ambiente. As autoridades responsabilizaram o aumento do material contaminante à fumaça gerada pelos churrascos feitos pelos chilenos nas comemorações pela vitória da seleção chilena de futebol sobre a seleção mexicana, por 7 a 0, pela Copa América Centenário, realizada nos Estados Unidos. O Ministro do Meio Ambiente, Pablo Badenier, afirmou que as estações de monitoramento tiveram um pico entre as dez da noite e as três da manhã, possivelmente em função de emissões de fontes particulares, não de fontes fixas, nem de fontes móveis. “Nós acreditamos que, eventualmente, os churrascos e calefação à lenha geraram esse pico” disse o ministro. No dia seguinte as autoridades decretaram a pré-emergência, que limita a circulação de 20% dos veículos e a paralisação de cerca de 450 indústrias. A pré-emergência é o segundo nível em intensidade de poluição, e é decretada quando os níveis se situam entre 300 e 499 microgramas de partículas nocivas por metro cúbico. Acima disso, a situação é de emergência, que implica em medidas restritivas mais severas.

 

Centros de segurança

                   O Governo de Alagoas deu início ontem á implantação dos Centros Integrados de Segurança, que serão construídos em 30 municípios do Estado. O governador Renan Filho assinou os contratos para a construção das primeiras seis unidades, nos municípios de Girau do Ponciano, Murici, Barra de São Miguel, Boca da Mata, São José da Lage e São José da Tapera. Os centros devem proporcionar mais eficiência no combate à criminalidade, unindo as ações da Polícia Civil e Militar. As trinta unidades almejadas devem ser construídas até o final da atual gestão.

Tecnologia muito doida

                   A empresa gigante de tecnologia fundada por Bill Gates, a Microsoft anunciou que vai investir no mercado da maconha nos Estados Unidos. Com a legalização do produto em vários estados americanos, tanto para uso medicinal quanto recreativo, grandes empresas manifestam interesse em ocupar uma fatia deste bolo. A Microsoft pretende oferecer um software para mapear o comércio da maconha, desde seu plantio até a venda para o consumidor, tudo dentro da legalidade que a nova legislação estabelece. Uma empresa parceira já se colocou à disposição, a startup Kind Financial, que já trabalha com tecnologia e outras ferramentas para negócios ligados à marijuana.

Tecnologia muito doida 2

                   Atualmente 20 estados americanos já liberaram o uso de algum tipo de  maconha, e outros cinco deverão decidir nos próximos meses a permissão. Apesar dessa legalidade, ainda são poucos (e pequenos) os bancos que topam administrar as contas de empresas ligadas a este tipo de negócio. E mesmo sem a Microsoft lidar diretamente com este capital, sua entrada neste ramo de negócios garante a “estrutura legítima” para este ramo, dando mais segurança para outras empresas e consolidando um mercado ainda jovem.

Galisteu é disputada

                   A modelo Adriane Galisteu vai retornar à tela da Band, mas segundo críticos televisivos, ela também está com um pé na Rede Globo. Nesta semana a modelo e apresentadora foi anunciada como substituta do empresário João Dória Jr. (candidato à prefeitura de São Paulo) no programa Face a Face, da BandNews. Sua estreia está marcada para o dia 5 de Julho ás 22h. E ao mesmo tempo deve assinar contrato com a Rede Globo, para participar de um programa de entretenimento da emissora, com quem a bela já teve três reuniões e também já conversou com o todo-poderoso Boninho.

 

  • Os planos de saúde perderam 788 mil clientes apenas nos primeiros cinco meses deste ano, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
  • De acordo com os cálculos da ANS, em Maio os planos brasileiros de saúde continuam 48,623 milhões de beneficiários no mês de Maio deste ano, ante 49,411 clientes registrados em Dezembro de 2015, uma redução de 1,65%.
  • Em Maio de 2015, ou seja, há um ano atrás, os clientes chegavam a 50,055 milhões.
  • A ANS constatou também que aumentou em Maio os beneficiários nos planos coletivos empresariais, com um acréscimo de 5.974 clientes nesta modalidade, atingindo 32,2 milhões de clientes. Em 5 meses, entretanto, este segmento perdeu 606 mil clientes.
  • A Associação Brasileira dos Planos de Saúde, projeta para o ano uma queda semelhante a do ano passado, quando foram perdidos cerca de 1 milhão de beneficiários.
  • É o momento do governo federal ampliar as ações do Sistema Único de Saúde, possibilitando o atendimento da população nos postos de saúde, nas Unidades de Pronto Atendimento e nos hospitais públicos.