22 de junho de 2016

Sobre campanhas educativas de trânsito.

Educação. Palavra usada e abusada. Diz tudo. Processo de ensinar e aprender. Instrução. Adquirir conhecimentos! Modo de ser, estar, agir necessários para uma convivência em grupo ou sociedade.

Campanha como a que está sendo divulgada devido aos festejos juninos abrangendo os condutores de bicicleta, motocicleta, automóvel e auto de transporte de pessoas e carga, deveria fazer parte do dia a dia não só dos órgãos governamentais como dos de comunicação por todo sempre.

Como temos uma educação caseira que deixa a desejar, uma educação escolar de qualidade ruim ou duvidosa as campanhas com imagens falam mais alto.

Vou com frequência a um supermercado na Avenida Gustavo Paiva. Lá o estacionamento tem muito bem identificadas as vagas para idosos e deficientes físicos. Outro dia um jovem e uma jovem entre vinte e cinco e trinta anos estavam estacionados exatamente nas vagas de idoso e deficiente respectivamente. Não existe nenhuma justificativa para essa infração, porém como não existe fiscalização ela passa sem punição.

Faixa de pedestre. Trabalho defronte a um colégio. É constante ver pais, mães, avôs e avós buscando seus entes queridos. Existe uma faixa de pedestre. Sabem onde passam? Cinco a dez metros adiante da mesma fazendo com que os carros parem com risco de colisão traseira. Outro dia parei para uma avó e falei para ela ensinar a neta a passar na faixa de pedestre. Quase apanho!

Educação? Palavra usada e abusada! Porém não adquirida e posta em prática.

Mudar de faixa durante o trafegar com veículo nas ruas. Entrar numa avenida ou rua. Os automotores são equipados com um dispositivo chamado seta, sinaleira, pisca-pisca, porém quem liga? Só põe para funcionar quando vai entrar numa rua ou avenida cujo sentido é único não precisando informar.

Educação. Caseira e escolar quando teremos em nível de excelência?