Ailton Villanova

8 de junho de 2016

Em defesa das empresas públicas

                O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu nesta segunda feira as empresas pública brasileiras e criticou as eventuais tentativas de privatizá-las. Ele participou da campanha “Se é público é para todos”, que contou com a presença de diversas lideranças políticas, sindicais e intelectuais, no Rio de Janeiro. Ele citou a importância das empresas públicas na história do país. “As empresas públicas são difamadas e achincalhadas, sem levar em conta os serviços que elas prestaram ao país” disse Lula. Ele citou o Banco do Brasil, criado em 1808, a Caixa Econômica Federal, criada em 1861, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN)criada em 1941 e privatizada em 1993 e a Vale, criada em 1942 e privatizada em 1997.      

  

Defesa da empresa pública 2

                   O ex-presidente Lula tratou a questão da Petrobrás de forma diferenciada, Ele disse que o seu governo foi responsável por ampliar o tamanho da empresa e sua capacidade de pesquisa, com a descoberta do pré-sal. “Decidimos que a capacidade do pré-sal seria utilizado de uma forma diferente do que outros países fizeram. Criamos uma nova regulamentação, com um sistema de partilha para que os frutos da descoberta fossem aplicados em favor do povo brasileiro, em saúde, educação e ciência e tecnologia, com a aprovação do Congresso Nacional”. Lula foi ovacionado pelo público presente. A campanha “Se é público é para todos” é organizada pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas para se opor à privatização das empresas públicas nacionais.

 

35 anos de Aids no mundo

                   Em Junho de 1981 um boletim do Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos, relatava os primeiros casos de uma nova doença, ainda sem nome mas que começava a fazer suas vítimas. Era o surgimento da Aids, que até hoje já deixou um rastro de 34 milhões de mortes, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde. O boletim, que depois foi repercutido em diversos veículos de comunicação, descreve o caso de cinco jovens homossexuais da Califórnia, todos internados com pneumonia, sendo que dois já haviam entrado em óbito. Todos eles eram saudáveis antes de contraírem a doença, que atacava o sistema imunológico e por isso chamou a atenção dos médicos. Com o passar do tempo, novos casos foram registrados, não somente com pneumonia, mas também com um tipo raro de câncer, o sarcoma de Kaposi, e sempre em jovens gays. Foi criada uma força-tarefa para combater as infecções oportunistas. Muitos especialistas acreditavam que a epidemia havia sido causada por um novo vírus, mas outros pensavam que era uma espécie de sobrecarga do sistema imunológico, já que muitas das pessoas atingidas tinham um estilo de vida boêmia e pouco saudável. No começo achávamos que o sangue era apenas um fator, mas depois apareceram os primeiros casos de hemofilia que não eram homossexuais e de usuários de drogas injetáveis disse um dos coordenadores da força-tarefa. Hoje o diagnóstico da Aids não representa mais uma sentença de morte, por conta dos tratamentos e dos medicamentos. No último levantamento da OMS, em 2014, 1,2 milhão de pessoas morreram em decorrência da Aids em todo o mundo.

 

Registros cancelados

                   A Junta Comercial de Alagoas publicou no Diário Oficial do Estado, uma relação de 6.334 empresas estaduais que podem ser o seu registro cancelado. A lista relaciona as empresas que não promoveram nenhum tipo de movimentação nos últimos dez anos. Na publicação estas empresas são identificadas pelo Número de Identificação do Registro de Empresas (Nire), pelo nome empresarial e pela data do último arquivamento na Junta Comercial. Caso não haja comunicação do funcionamento ou de reativação, as empresas serão consideradas inativas.

A salinidade do Velho Chico

                   O assunto não é novo e parece coisa requentada, mas que não tira a gravidade da situação. Sem força, o Rio São Francisco está sendo invadido pela água salgada do Oceano Atlântico, no fenômeno conhecido como “cunha salina”. Relatos dão conta da presença de crustáceos marinhos em Penedo, há cerca de 40km da costa. O assunto esta sendo discutido do I Simpósio da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, que acontece em Juazeiro, na Bahia até esta quinta-feira. No evento pretende se discutir o sumiço dos peixes e os riscos da captação de água para abastecimento de cidades.

A salinidade do Velho Chico 2

                   A situação é particularmente grave no município de Piaçabuçu, de aproximadamente 18 mil habitantes, há 13 km da foz do São Francisco. Todos os dias a captação de água é interrompida durante a maré alta, quando as águas do mar avançam pelo rio com mais força. São duas interrupções diárias. Segundo autoridades da prefeitura de Piaçabuçu, o posto de saúde do município registrou um aumento com pessoas apresentando hipertensão arterial. Segundo a Casal a concentração de cloreto na água variava entre 10 a 20 miligramas por litro. Hoje chega a 1,8 grama por litro na maré alta.

A salinidade do Velho Chico 3

                   Os pescadores de Piaçabuçu e proximidades (cerca de 3,4 mil cadastrados na Colônia) contam que os peixes típicos do São Francisco como  piabas, dourados e surubins não são mais encontrados e foram substituídos por espécies que suportam a água salgada como robalos, tainhas e carapebas. O problema maior está na vazão liberada pelo Usina de Xingó, que era de 1.300 metros cúbicos por segundo em Abril de 2013, mas a estiagem forçou a redução gradual desta vazão. Hoje está em 800 metros cúbicos o que reflete a priorização do setor elétrico em detrimento a outros segmentos menores. Mas tanto a Agência Nacional das Águas (ANA) como a Chesf, garantem que a restrição visa somente regularizar o sistema da geração de energia e da vazão, uma vez que até o final do ano passado o reservatório estava apenas com 1% acima do volume morto.

 

 

  • Mais d 800 armas foram recolhidas nos cinco primeiros meses deste ano, segundo dados do Núcleo de Estatística e Análise Criminal da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas.
  • O Núcleo também fez um comparativo com o mesmo período nos anos anteriores, sendo que em 2014 foram apreendidas entre Janeiro a Maio, 685 armas.
  • Em 2015 as forças policiais apreenderam 969 armas, e de Janeiro a Maio de 2016 o número de armas apreendidas chegou a 823 armas. Somente em Abril foram retiradas 189, em uma média de seis armas por dia.
  • Neste ano foram tiradas de circulação 152 armas em Janeiro, 158 em Fevereiro, 165 em Março e 159 em Maio.
  • De acordo com o Secretário Lima Júnior, a Secretaria está mantendo o mesmo patamar de apreensões, inclusive no número de prisões, principalmente de pessoas acusadas de cometem assassinatos.
  • O Secretário garante ainda que as operações vão continuar acontecendo tanto na capital ou no interior, assim como no trabalho diário nas delegacias e nas unidades policiais.