Flávio Gomes

2 de junho de 2016

Cultura e corrupção

Ipojuca Pontes, cineasta, ex-Secretário Nacional de Cultura no governo Collor, sobre o Ministério da Cultura: “O MinC representa no Brasil oficial a manutenção da mais agressiva forma de aparelhamento do Estado para usufruto de uma casta privilegiada de ‘señoritos’ que se diz à procura de uma controversa ‘identidade nacional’ cacarejada em torno do chamado ‘multiculturalismo’, mistificação marxista para  acirrar a luta de classes.  Ele significa, num governo que pretende salvar o Brasil, o avanço do retrocesso. No histórico, depois de décadas de existência, o monstrengo não criou mercado nem fez, como alardeado, a inclusão social da massa espoliada. A alta cultura dançou – e ninguém ganhou Oscar ou Nobel. Tudo ficou no âmbito da mendacidade e da  (cara) propaganda enganosa! Sem considerar juros nem correção monetária, o MinC jogou pelo ralo, nos últimos anos, mais de um trilhão de reais! No seu rastro, só se expandiu uma pesada burocracia militante em conluio com a casta  empenhada em usurpar a grana do  contribuinte para a consecução de projetos pessoais inexpressivos, muitos vergonhosos e/ou  politicamente ideologizados. Afogado em dispendiosos programas de pura marquetagem, o  MinC (Ministério da Incultura) só funcionou, na prática, como vertiginoso mensalão para cooptar medalhões e medalhinhas da área e manter a peso de ouro uma burocracia perdulária que saqueou o bolso da sociedade e do miserável povo brasileiro. Um horror!”

Jogo pesado

Além de lançar um programa de obras em Maceió, Renan Filho deu o tom de como será o tratamento ao prefeito Rui Palmeira, concorrente à reeleição e adversário de Cícero Almeida, seu candidato. Anunciou que o Estado fará, com recursos próprios, o Hospital Metropolitano, prometido em campanha por Rui.

Vem mais

O governador foi até contundente nas críticas ao prefeito. E será assim, daqui por diante, por estratégia de campanha. A construção do Hospital Metropolitano seria uma parceria entre município, Estado e União, conforme anúncio feito, em 2012, por Rui e pelo então governador Téo Vilela. Mas não saiu do papel.

Opção errada?

Renan Filho e Rui Palmeira chegaram a ensaiar parceria, de modo que o prefeito tivesse apoio do governador. Rui de antemão disse que não abriria mão do atual vice, Marcelo Palmeira, na sua chapa e ainda por cima fez aliança com o PDT do deputado Ronaldo Lessa. O troco de Renanzinho foi apoiar Cícero Almeida.

Faz sentido

“O poder político agora está compartilhado em Alagoas”. É o que revela importante liderança política do Estado, avaliando os efeitos da ascensão ao poder do presidente Michel Temer. “Antes, o controle era do Renan Calheiros. Agora, partidos como PSDB, DEM, PR e outros têm seu espaço”, argumenta.

Persistente

O senador Benedito de Lira (PP-AL) insiste na ampliação das linhas do VLT em Maceió. Agora anuncia que até o fim do ano estará implantado o trecho Centro-Jaraguá. É um investimento de R$ 4 milhões para a recuperação de trilhos e a construção da estação terminal de Jaraguá, que ficará atrás do Espaço Pierre Chalita.

Desamparo

De mensagem enviada por um maceioense, antigo leitor desta “Conjuntura”: “Quem não conseguiu se vacinar contra a gripe, que vem se alastrando no Brasil, não está podendo fazê-lo nem nas clínicas particulares R$ 20,00 a dose. A informação das atendentes é que não tem e não existe previsão de chegada da vacina. Por quê?”

Opinião

De Paulo Guedes, em “O Globo”: “A falta de estadistas entre nossas lideranças políticas explica por que a sucessão dos eventos continua dirigida pelo Ministério Público, pela Polícia Federal e pelo novo Judiciário, que se afirma como poder independente. Estadistas no Executivo ou no Congresso já teriam elaborado a reforma política.”

*A Escola Superior da Magistratura de Alagoas realiza hoje o seminário “Justiça, Drogas e Políticas Públicas”, às 9 horas, em sua sede. Palestrantes: Fernanda Marinela, presidente da OAB/AL; deputado Rodrigo Cunha; professora Fátima Padin, da Unifesp.

 

*A Previdência Social é tema do livro da procuradora Rosana Cólen Moreno, intitulado “Manual de Gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social”, que será lançado hoje, 17 horas, na sede da Associação dos Procuradores do Estado de Alagoas.

*Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, o Parque Shopping recebe a exposição “SOUS”, que reúne fotos de paisagens e animais em seu habitat e registra a relação do homem com a natureza. A visitação é gratuita.

* “Direito de ter, dever de cuidar”. Com este lema, a Prefeitura de Arapiraca promove a Semana do Meio Ambiente, com plantio e distribuição de mudas. E a construção da Central de Tratamento de Resíduos e da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

* No próximo sábado, 4, às 22 horas, o Jaraguá Tênis Clube vai sediar a festa “Os bons tempos voltarão ao arraiá”. Como atrações, o Trio Nordestino e a banda alagoana Mô Fio, que prometem autêntico forró pé de serra. Contato: 99981.4018.

 

*A Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas disponibiliza 50 ingressos, por cada espetáculo, para estudantes da rede pública que queiram assistir às apresentações no “Teatro é o maior barato”, nas 4as feiras, às 19 horas. Contato: www.diteal.al.gov.br.

 

*A vitória de 2×1 do CRB sobre o Vila Nova/GO, fora de casa, reforça o entendimento de que a Série B do Campeonato Brasileiro é realmente imprevisível. O time goiano foi melhor, mas o CRB aproveitou as poucas chances, já no final do ano, e virou o placar.  

 

“Não há nada tão leviano quanto o voto”

Almir Pazzianoto

Ex-ministro do Trabalho, quem o assalariado vota de acordo com as condições do bolso e a eloquência de algum demagogo