1 de junho de 2016

O ócio produtivo.

Muito se fala em aposentadoria. Algumas pessoas que se aposentam deixam totalmente de produzir e chegam a entrar em depressão. Com a depressão passam a ter outras doenças agravadas ou iniciadas.

Aposentadoria não quer dizer necessariamente deixar de trabalhar ou de fazer algo produtivo.

Alguns aposentados de empregos privados ou públicos necessitam continuar trabalhando, pois o que recebem de remuneração pecuniária não é o suficiente para sobreviver. Principalmente porque os medicamentos de uso contínuo estão custando “os olhos da cara”!

Claro que para alguns que podem viver da renda auferida com a aposentadoria, viajar, passear sem preocupação é algo que todos almejam.

Outros preenchem o tempo com o novo trabalho. Até como voluntário no tomar de conta dos netos e dos pagamentos dos filhos (as).

Outros ainda continuam em atividade dentro da própria profissão indo até onde o juízo permitir! Prestando um serviço de qualidade, pois além do conhecimento a experiência conta muito.

Conversando com alguns amigos/colegas do Colégio Marista de Maceió, antigo Diocesano da rua do Macena, hoje Cincinato Pinto, brincávamos que o amigo que não havia terminado um curso superior, seria o que melhor estava financeira e emocionalmente!

Alguém retrucou que não, pois caso ele não tenha o que fazer irá parar o seu desenvolvimento mental. Claro que concordamos.

O ócio produtivo realmente tem que ser observado como algo deveras importante.

Aposentado, porém com atividade social. Leituras variadas. Sessões de filmes de preferencia em salas de projeção. Trabalho voluntário. Viagens para perto ou longe! Conhecendo lugares menores ou maiores, porém tendo oportunidade de desbravar culturas diversas. E sem esquecer as conversas ou os bate papos com os conhecidos e até com os desconhecidos que passarão a ser.