Edmilson Teixeira

11 de Maio de 2016

Maribondo, eleição 2016

Na tarde de ontem, o PMDB garantiu a formação da chapa liderada pelo empresário Claudivan Almeida, cujo vice é o vereador do PT, Zé Neto. O pai de Claudivan, o saudoso Eurico já foi prefeito naquele município em duas oportunidades; assim como o  filho, Cleovan. O atual prefeito é chamado de Tonho de Eurico, porque foi criado pelo saudoso velho. Tonho que se elegeu na eleição passada com o apoio da família Almeida, mas, hoje vive rompido com o grupo.  

   

Maribondo – “viúva”

A Prefeitura de Maribondo é uma das que mais têm problema em Alagoas, com dívidas na praça. Servidores (ativos e inativos) enfrentam problemas de salários atrasados e há um longo tempo, as finanças andam desgovernadas. Mas, em meio a tantos problemas, o que não falta é candidato para disputar a “viúva”. O vereador Ubiratan (PSB) foi o primeiro a lançar seu nome, tendo como vice, Roselha Gama, já que o empresário Serginho Marques abriu da parada. Outros nomes, como: Aremilton Fernandes (PDT), Leopoldo Pedrosa e o próprio prefeito Tonho, estão somente no aguardo para anunciar seus respectivos vices.

Palmeira dos Índios – esquerda


Dirigentes municipais de vários partidos de oposição estiveram reunidos na noite desta segunda-feira,  no restaurante Sabor da Terra, Centro de Palmeira dos Índios. O encontro promovido pelo PPS, PSDC e REDE contou ainda com as presenças dos vereadores, Júlio Cezar (PSB) e Sheila Duarte (PT). O encontro teve o objetivo de debater as prioridades para o município e contou também com as presenças da ex-senadora e vereadora por Maceió, Heloísa Helena e do ex-deputado federal, Regis Cavalcante.

 

Palmeira dos Índios – união

 

 “Quero parabenizar a iniciativa. Fiz questão de participar deste encontro até para demonstrar que a união da esquerda é importante para fortalecer a unidade do grupo, além de reconhecer a necessidade de ir à busca de outros grupos que possam dar maior musculatura política. O momento político é muito delicado, portanto insisto na união da esquerda, pois Palmeira precisa de todos nós porque os interesses da população estão acima dos partidos” defendeu Júlio Cezar, pré-candidato a prefeito lá em Palmeira, pelo PSB.

 

Barra de Santo Antônio

Ronaldo Campos Lessa que foi um dos mais atuantes secretários do prefeito afastado Rogério Farias, hoje integra o grupo de oposição liderado por Abrahão Moura (prefeito de Paripueira) que está lançando a mulher, Emanuella como candidata a prefeita lá na Barra. Lessa deixou o cargo há poucos dias, a fim de se candidatar a vereador.

 

 

Atalaia

Secretaria de Assistência Scoial está viabilizando para famílias pobres da região, a entrega de feijão e macaxeira. A meta é garantir, de forma regular, um composto alimentar aos usuários cadastrados no CRAS e CREAS que enfrentam situação de vulnerabilidade social. 

 

Atalaia- farta

 

Para a secretária, Betânia Menezes, a junção dos esforços entre os órgãos tem possibilitado a ação social que garante mais alimentos na mesa das famílias carentes do município. “As famílias beneficiadas poderão comprar no lugar do feijão ou macaxeira, um outro alimento, deixando assim, a mesa mais farta”, comentou. 

 

Brasília

Mesmo com a triste situação vivenciada hoje pela política, sobretudo pela bagaceira que o PT aprontou, falindo por completo a nossa economia, onde hoje mais de 10 milhões de brasileiros estão desempregados, cerca de 40 prefeitos alagoanos foram a Brasília neste início de semana. Estão prestigiando desde ontem,  da XIX Marcha em Defesa dos Municípios.Eles compartilham da necessidade de revisão do Pacto Federativo que respeite os municípios. Agora é só esperar pelo Temer, porque a Dilma foi um verdadeiro desastre.

 

Brasília

“O Momento é delicado”, disse Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Ele que propôs um novo encontro para cobrar da Câmara e Senado sincronia com as necessidades municipalistas. “Não dá mais para aceitar que se aprove leis transferindo mais responsabilidades para as Prefeituras ”, disse.

 

Brasília- espada

 

O que se sabe, é que são centenas de programas, muitos com transferências atrasadas há quatro meses, que estão colocando uma espada sobre a cabeça dos prefeitos. A senadora Ana Amélia, representando o Senado no evento, chamou de heróis os que estão conseguindo concluir o mandato, diante das dificuldades impostas.

 

Fechamento

 

“A redução das transferências para os municípios vai comprometer o fechamento das contas de muitos gestores”, reconheceu o deputado federal, Cláudio Caiado, representante da Câmara, que também defendeu o fortalecimento dos municípios a partir de um modelo mais justo, sem concentração dos recursos pelo governo federal.

 

Desoneração

 

“A atual política sacrifica os municípios”, disse o ministro Augusto Nardes, do TCU, que vê a necessidade de um novo momento nacional, onde os municípios sejam chamados para a discussão dos problemas. Citou as desonerações que, em 2016, chegaram a R$ 302 bilhões de reais.

 

São números que preocupam, disse o presidente da OAB, Claudio Lamachia, convidado especial da Marcha, que também reconheceu as dificuldades que os prefeitos enfrentam com o atual modelo de distribuição do bolo tributário.