Blog do Dresch

8 de Maio de 2016

Futebol todos os dias na semana

                   A CBF resolveu fazer uma festa para a crônica esportiva, para anunciar a edição 2016 do Campeonato Brasileiro. A festa reuniu algumas figuras do esporte brasileiro como o treinador Dunga, da seleção brasileira, e o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero entre outras. A novidade da festa é que nenhum dia da semana ficará sem jogos pela competição nacional. A Série A terá jogos as segundas, quartas, quintas, Sábados e Domingos. Já a Série B terá jogos ás terças e sextas e também nos Sábados.

Futebol a semana toda 2

                   O diretor de competições da entidade, Manoel Flores, afirmou que a nova data de jogos (segundas) já vinha sendo estudada e foi inspirada em competições de outros países, especialmente na Europa e acredita que a novidade seja bem recebida pelo público. A data deve ser utilizada a partir da 13ª rodada e com o horário das 20h. Outra novidade apresentada foi o hino do Campeonato Brasileiro, uma espécie de musica-tema, nos mesmos moldes do hino da Liga dos Campeões da Europa.

Complexo de perseguição

                   Se dizendo perseguido pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot e pelo Partido dos Trabalhadores, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) conversou com alguns jornalistas, após o Supremo Tribunal Federal ter confirmado a decisão do ministro Teori Zavaski que o afastou do mandato e da Presidência da Câmara. “Claro que estou sendo perseguido e sofrendo retaliação politica pelo processo de impeachment, porque o PT gosta de companhia no banco dos réus” disse Cunha. Ele ainda afirmou que vai recorrer da decisão do Supremo e que não há hipótese de renunciar nem ao mandato parlamentar nem à Presidência da Câmara. “Respeito a decisão mas não posso deixar de estranhar e contestar. Vou recorrer da decisão, já que tratou-se de uma ação cautelar ingressada em Dezembro, e foi apreciada seis meses depois e não houve tempo para o contraditório”. Para o deputado existe uma desavença entre ele e Janot e que os argumentos utilizados pelo ministro Zavaski são “absolutamente contestáveis”. Também comparou a sua situação à do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) que em novembro passado teve prisão preventiva decretada, mas não foi afastado do mandato. Eduardo tem a sorte de ainda estar solto (espera-se que por pouco tempo), porque o seu lugar é no Complexo Penitenciário de Bangu. Mentiu, roubou, enganou, corrompeu e foi corrompido e se deixou usar no processo de impeachment da Presidente Dilma. É a escória da politica brasileira. Dele só se pode esperar uma delação coletiva de tudo o que sabe, mas que não seja premiada.

 

Sobre informações oficiais

                   Um projeto de lei encaminhado pelo governador Renan Filho à Assembleia Legislativa, estabelece o disciplinamento do acesso á informação dos orgãos públicos de Alagoas, não só do Executivo, mas também do Legislativo, Judiciário, Ministério Público, Tribunal de Contas e Defensoria Pública. Pelo projeto todas as esferas do Poder Público ficam obrigadas a atender imediatamente os pedidos de acesso aos documentos públicos feitos pela população. Os orgãos devem atender aos pedidos de acesso em um prazo de 20 dias, prorrogáveis por mais dez dias.

Sobre informações oficiais 2

                   Na justificativa do projeto, o governador salienta que a transparência é um dos grandes mecanismos da consolidação dos regimes democráticos e é indispensável ao exercício da cidadania. Mesmo ressaltando a necessidade da transparência, Renan Filho condicionou alguns casos onde deve ser mantido o sigilo de acordo com a legislação. São questões como o sigilo bancário, o segredo de justiça, as informações fiscais que exponham a situação econômica ou financeira, informações referentes a projetos de pesquisa e ao desenvolvimento científico e tecnológico, cujo sigilo é imprescindível à segurança da sociedade e do Estado.

30 bi para Agricultura familiar

                   Agricultores familiares brasileiros terão R$ 30 bilhões para o financiamento de projetos individuais ou coletivos, destinados á produção de alimentos. O aporte de recursos foi anunciado no lançamento do Plano Safra de Agricultura Familiar. Além do crédito os agricultores que produzirem alimentos com impacto direto nos índices da inflação terão juros reduzidos de 2,5% (a taxa atual é de 5,5%). “A intenção do governo é fazer com que os alimentos que a população consome diariamente sejam mais acessíveis, saudáveis e produzidos de forma sustentável. A redução dos juros também será aplicada na produção orgânica e agroecológica” explicou o ministro Patrus Ananias, do Desenvolvimento Agrário.

30 bi para Agricultura familiar  2

                   Entre as diversas ações do Plano Safra, está a abertura de 32 mil vagas para o Pronatec Campo, a instalação de mais de mil bibliotecas e a destinação de 30% dos lotes aos jovens nos novos projetos de reforma agrária. Segundo o Ministério, a agricultura familiar é responsável pela produção de cerca de 50% dos produtos da cesta básica, como arroz, feijão, batata, trigo, café e leite. O Plano Safra 2016/2017 mantém o compromisso do governo federal continuar avançando em direção a um projeto de desenvolvimento rural e sustentável com base na agricultura familiar e na reforma agrária.

 

 

  • O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) já colocou nas ruas a campanha denominada Maio Amarelo, onde  busca conscientizar ao condutores de veículos de Alagoas o risco de utilizar o aparelho celular ao dirigir.
  • O uso do aparelho agora causa mais acidentes no uso do teclado, por isso a campanha insiste que “ao dirigir não digite” para evitar o uso de mensagens digitadas.
  • A campanha vem a calhar e segue as mudanças estabelecidas no Código Brasileiro de Trânsito (Contran), que reajustou os valores da penalidade, uma vez que o uso de telefone celular ao volante passa a ser considerada como infração gravíssima.
  • Caso o condutor for pego em flagrante, segurando ou manuseando o aparelho, pagará uma multa de R$ 191,54 e o veículo poderá ser apreendido.
  • Também foi retirada do Código Brasileiro de Trânsito a condenação, de dois a quatro anos, por homicídio culposo provocado por racha ou por condutor embriagado.
  • Crimes desta ordem passarão a ter julgamento através do Código Penal, que prevê pena de um a três anos de detenção por homicídio culposo e de seis a 20 anos por crime doloso.