Flávio Gomes

4 de Maio de 2016

Dilma é a culpada

De Keneddy Alencar, em seu blog: “Não há dúvida de que o cenário internacional criou dificuldades. Não há dúvida de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e a oposição de um modo geral tenham ajudado a agravar a crise econômica. É verdade a aposta de Cunha e do PSDB numa estratégia de tentar impedir a presidente de governar. Mas essa estratégia só funcionou porque Dilma contribuiu com graves erros. Cunha e a oposição não destruíram a política fiscal, por exemplo. Isso foi obra da presidente. Também foi um feito da presidente a implosão da sua base de apoio parlamentar. Enquanto não fizerem uma autocrítica sincera a respeito dos próprios equívocos, a presidente Dilma, o ex-presidente Lula e o PT só vão piorar a imagem perante a sociedade como um todo. Não dá para terceirizar a responsabilidade pela crise econômica ou pelos erros políticos do governo. Não dá para o PT achar que não tem responsabilidade pelo desastre econômico do governo Dilma. A combinação da crise econômica com erros políticos é o que o levou a presidente à atual situação. Insistir nesse caminho só vai arrastar ainda mais Lula, o PT e uma parte da esquerda para o fundo do poço onde Dilma se encontra. Parece que a presidente sempre pega uma pá para cavar mais fundo e piorar as coisas.” 

 

Entendimento

Do alagoano Marcelo Lavenère, comparando o processo de impeachment de Fernando Collor, que ele subscreveu como presidente da OAB, com o de Dilma: “O pedido de impeachment de Collor não foi pré-agendado, nem urdido irresponsavelmente, sem trazer provas. Ele só ocorreu depois da aprovação do relatório da CPI do PC Farias”.

Às bases

O deputado federal Cícero Almeida (PMDB) confirma quatro meses de licença, pelo menos, já a partir deste mês de maio. Acha que não tem muito a produzir em Brasília, em termos parlamentares, com a situação política que há por lá. E, ficando em Alagoas, pode se dedicar mais à campanha à Prefeitura de Maceió.

Cruel

A intolerância também está no alto escalão: na semana passada, um deputado federal de Alagoas, que votou contra o impeachment, encontrou um empresário e estendeu a mão para cumprimentá-lo. O empresário se recusou: “Não cumprimento quem apoia governo corrupto”. Acabou-se ali uma amizade de muitos anos.

Meia boca

Alagoano especialista em economia brasileira, com experiência nos setores público e privado, acredita que não há como haver redução muito grande na dívida dos Estados para com a União. “Tem de haver um meio termo”, avalia. Ele acha que a trégua de dois meses proposta pelo STF é justamente para se chegar a isso.

Posição

Luciano Barbosa, secretário estadual da Educação, acha que a “Lei da Escola Livre”, iniciativa do deputado Ricardo Nezinho, não deveria existir: “Nem eu nem nenhum secretário de estado será capaz de pô-la em prática. Não tem como por em prática uma lei para criar uma educação insípida, inodora e incolor. Essa lei é inócua.”

Mudança

De Fernando Musa, novo presidente da Braskem, em substituição a Carlos Fadiga: “Uma das minhas prioridades será aprofundar a bem sucedida estratégia de crescimento e internacionalização, reforçando a competitividade em todas as nossas operações e buscando novas oportunidades de investimento no Brasil e no exterior”. 

 

Freio
Do ministro Gilmar Mendes, do STF, ao impedir Dilma de gastar R$ 100 milhões em propaganda: “A abertura do crédito extraordinário fora das hipóteses constitucionais fatalmente acarretará dano irreparável ao erário. Sim, porque, uma vez aberto o crédito e realizadas as despesas em questão, não se pode recompor o status quo anterior.”

 

*“Novos Problemas na Teoria dos Direitos Fundamentais” é o tema de palestra do  professor José Joaquim Gomes Canotilho, da Universidade de Coimbra, na 6ª feira, 6 de maio, às 9 horas, no Tribunal de Justiça de Alagoas. Inscrições só até hoje.

 

*Os laticínios São Gabriel e São Félix, localizados na zona rural de Major Isidoro, após reforma para adaptação à legislação estadual, serão reinaugurados hoje. Ambos passam a ter capacidade ampliada de processamento e nova paleta de produtos.

 

*Acontece hoje a abertura da temporada 2016 do projeto Teatro Deodoro é o Maior Barato, com apresentação do espetáculo “Quietude”, do grupo Jeane Rocha Academia de Dança, que comemora 10 anos de fundação. Início às 19h30m.

*O Banco do Nordeste lançou chamada pública para arquitetos, visando selecionar uma ideia de concepção plástica, volumetria e implantação física do Hub de Inovação do Nordeste. Inscrições até 13 de maio. Contato: concursodeideias@bnb.gov.br.

*Está no Maceió Shopping até 31 de maio a exposição fotográfica “Parto: O Nascer de Uma Mãe”, trabalho sobre a maternidade sob a concepção da fotógrafa Karla Santa Maria. A mostra é gratuita, montada no 2º piso, em frente à farmácia “A Fórmula”.

 

* A Eletrobras Alagoas está com inscrições ao Programa de Patrocínio das Empresas Eletrobras a Eventos do Setor Elétrico 2016. Há R$ 1.7 milhão para apoio a eventos de 7 de junho a 28 de fevereiro de 2017. Contato:  www.eletrobras.com/editaleventos.

 

*Após anunciar, semana passada, a volta de Gérson Magrão o CRB confirma outros dois jogadores para a Série B, em plena semana do clássico com o CSA que decidirá o título estadual de 2016. Há quem acredite que isso tira a motivação do atual elenco.

 

“Vamos discutir lá fora”

Ronaldo Caiado

Senador do DEM/GO, desafiando o colega Lindbergh Farias(PT/RJ), durante discussão na comissão do impeachment