Ailton Villanova

5 de Abril de 2016

Balcão de negócios

Do jornalista Carlos Chagas, no site “Diário do Poder”: “Vergonha maior ainda não se tinha visto. Decidiu a presidente Dilma demitir ministros e altos funcionários do PMDB dispostos a seguir as determinações do partido, de desligar-se do governo. Por enquanto a guilhotina vem sendo acionada devagar, ainda que cabeças já comecem a rolar. Troca-se a eficiência administrativa por votos contrários ao impeachment de Madame. Um ministro vale pelo número de deputados que controla para votar com o governo, não pelos projetos que executa ou as obras que promove. A recíproca também é verdadeira: se o ministro se nega a aliciar deputados para a garantia da permanência da presidente no palácio do Planalto, é mandado embora. Mais fácil ainda se torna remanejar os funcionários do segundo escalão para baixo. Assistimos a uma operação de compra e venda, sem o menor pudor. O objetivo da administração federal deixou de ser aprimorar a ação da máquina estatal, passando à tentativa de deixar que tudo continue como sempre em termos de subserviência dos ministros. Impedir a aprovação do afastamento da presidente virou objetivo maior e fundamental, pouco importando o desempenho de seu governo.”

Pressão

Pelo jeito, tão cedo o presidente do Senado, Renan Calheiros, terá sossego. É que manifestantes pró-impeachment de Dilma Rousseff estão acampados, há alguns dias, na chamada “Praça do Alagoinhas”, em frente ao Edifício Tartana, onde ele mora. Dentre as faixas, uma é bem direta: “Renan, hora de sair de cima do muro”.

Definido

Domingo passado, houve nova manifestação, lá, em favor do impeachment – bem fraca, por sinal. O objetivo é pressionar os congressistas alagoanos a votar pelo afastamento de Dilma. Mas, no caso de Renan, é preciso dizer que o senador não está em cima do muro. Está atuando para garantir a permanência da presidente.

Recuo

O deputado federal Cícero Almeida (PMDB) disse que era a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Pelo que revelou ao jornal “O Estado de S. Paulo”, mudou de idéia: “Ainda estou ouvindo as bases. Por isso não me decidi. Se for necessário contrariar o partido, eu não teria dificuldade, mas acho que não será preciso.”

“Ou dá ou desce”

A mudança de comportamento de Cícero Almeida tem tudo a ver com sua filiação ao PMDB, controlado em Alagoas pelo senador Renan Calheiros. Renan é declaradamente contra o impeachment. E se Almeida contrariar o “chefe” não terá legenda para disputar a Prefeitura de Maceió, como pretende. O jeito é mudar de opinião.

Descaso

Cerca de 50% dos jovens brasileiros de 16 e 17 anos não demonstram interesse em obter título de eleitor. Isso acontece também em Alagoas, o que é justificado pelo atual nível da política no país. Para atenuar a situação, outra ação do TRE/AL será, ao longo desta semana, colocar postos móveis nos shoppings de Maceió.

 

Vida curta

A Lojas Guido, cuja matriz é em Alagoas, já fechou quatro unidades em Pernambuco e até o final de abril encerrará as atividades das outras quatro que ainda possui no Estado. Mais um efeito da crise econômica no Brasil. A rede varejista, especializada em móveis e eletrodomésticos, chegou em Pernambuco no ano de 2013.

Sintoma

Do “Estadão”, sobre a relação Dilma-STF: “O abandono do governo dentro da Corte vai além da perspectiva sobre o impeachment. Integrantes do Tribunal dizem, reservadamente, ver indicativos claros de que há indícios para investigar a presidente por tentativa de obstrução da Justiça em razão da indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a chefia da Casa Civil”.

 

 

 

*A revista “Isso É” diz que Dilma Rousseff “está fora de si”, com “problemas emocionais” e que tem tomado remédio contra esquizofrenia. Até compara a presidente à primeira rainha do Brasil, que ficou conhecida como “Maria I, a Louca”.

*Morreu sábado, aos 82 anos, a atriz Tereza Rachel, que desde 30 de dezembro estava internada no Hospital São Lucas, em Copacabana, Rio de Janeiro. O Brasil perde, com isso, uma das mais completas atrizes de todos os tempos.

*Acontece hoje o lançamento do livro “Alagoas – A Herança Indígena”, no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em Jaraguá, às 18h30m. A obra reúne sete artigos de pesquisadores de instituições de ensino de Alagoas. 

 

*De hoje até o dia 8 o Campus Arapiraca da Ufal sedia a “I Semana de Administração Pública”3ª, com o tema “Gestão Para o Desenvolvimento”. Haverá palestras, mesas-redondas, minicursos e outras atividades. Contato: caapufal.vpeventos.com.

*O CRB voltou a jogar muito bem, pressionou o Sport numa Ilha do Retiro lotada, mas amarga a derrota de 1×0 numa das raras falhas do time. O consolo é saber que, enfim, a equipe começa a se definir e a corresponder, dando esperanças à torcida.

 *No CSA, os dirigentes e a torcida cada vez mais acreditam que o título do Alagoano é só questão de tempo. Após a vitória de 1×0 sobre o ASA, já existe no Mutange quem pense em algo ainda maior: ser campeão estadual invicto neste ano.

*A Copa do Brasil começa hoje para os clubes alagoanos: às 21h30m, no Estádio Gerson Amaral, o Coruripe recebe o Botafogo RJ, que está de volta ao Brasileiro da Série A. CRB e ASA, os outros alagoanos na competição, estréiam amanhã.

 

Lula institucionalizou a corrupção”

 Roberto Jefferson

 Ex-deputado federal que denunciou o Mensalão do PT