Blog do Dresch

25 de Março de 2016

Renan apela para o equilíbrio

                   No emaranhado da crise politica brasileira, a demonstração de um posicionamento equilibrado é sempre muito bem-vinda. Nesta semana, o presidente do Senado e do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros mostrou que esta atento às questões nacionais e analisando tudo com muito bom senso. “É preciso ter responsabilidade com o país e com a democracia” deixou claro o presidente do Senado. No que se refere ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, e para que ele ocorra o crime de responsabilidade tem que ficar caracterizado, defendeu Renan.

Crime de responsabilidade 2

 “Eu acho que o impeachment, em uma circunstância normal, é uma coisa normal. Mas é bom que as pessoas saibam, e a democracia exige que façamos esta advertência, que para haver impeachment tem que haver a caracterização do crime de responsabilidade. Quando o impeachment acontece sem essa caracterização, o crime, sinceramente, não é impeachment. É outro nome” completou o senador alagoano. Ele manifestou também sua opinião se caso o processo de afastamento da presidente for aprovado pela Câmara e chegar ao Senado.

Crime de responsabilidade 3

 Garantiu que agirá com isenção e se caso o seu partido, o PMDB, deixar a base aliada do governo, o partido terá de assumir a responsabilidade pelo agravamento da crise. “Eu sou presidente do Congresso Nacional, eu não substituo a direção do PMDB. Mas acho que o PMDB mais do que nunca deve demonstrar sua responsabilidade constitucional. Eu digo misso com a autoridade de quem não participa do governo; Se o PMDB sair do governo e isso significar o agravamento da crise, é uma responsabilidade indevida que o PMDB terá de assumir” afirmou.

Sobre o Teatro do Oprimido

                   Uma das principais formas de incentivo às artes cênicas no Brasil completou trinta anos de criação há poucos dias. Criado em 1986, pelo dramaturgo Augusto Boal (1931-2009), o Centro do Teatro do Oprimido foi instalado no Rio de Janeiro, trazendo de volta ao Brasil o seu idealizador, a convite do vice-governador e secretário de Cultura do Rio, Darcy Ribeiro. Boal foi preso e duramente torturado em 1971, partindo para o exílio na Argentina e depois em Portugal e na França. Ao retornar Boal criou a Fabrica do Teatro Popular com a participação de jovens animadores culturais e com uma nova visão artística. Com foco na democratização dos meios da produção teatral, no acesso das camadas sociais menos favorecidas a esses meios e na transformação da realidade, o Teatro do Oprimido trouxe uma nova técnica de preparação do ator, que alcançou repercussão mundial, principalmente a partir da atividade didática exercida por Boal em universidades norte-americanas e europeias. Nesta metodologia, o autor funciona como curinga e como mestre de cerimônias, coordenando o diálogo entre palco e plateia, estimulando a participação e as intervenções por parte dos espectadores. O resultado é que até hoje a metodologia alcança resultados valiosos, transformando a arte cênica em um instrumento de inclusão e participação social.

 

Esgotamento sanitário

                   O Governo de Alagoas permanece convicto em ampliar a oferta do saneamento básico á população da capital. O objetivo é aumentar de 35% para 70% o atendimento em Maceió e deixar o restante do estado com uma cobertura de pelo menos 40% (hoje é de apenas 19%). Na capital, o trabalho da Secretaria de Infraestrutura é estimular a formação das Parcerias Público-Privadas para a parte alta da cidade (do Farol ao Tabuleiro) e na região lagunar, e utilizar recursos próprios e federais na parte baixa, que compreende Jacarecica à Pajuçara.

Esgotamento sanitário 2

                   A estimativa é que 160 mil habitantes sejam beneficiados entre o Tabuleiro e bairros próximos. Segundo Humberto Carvalho, secretário-executivo da Infraestrutura, a ideia é implantar duas estações de tratamento, por meio das PPP, atendendo a 40 mil ligações domiciliares em 220 km de rede coletora. A obra permitirá uma coleta de esgoto eficiente nos bairros de Antares, Benedito Bentes I e II, Santos Dumont, Cidade Universitária, Clima Bom, Santa Lúcia e Tabuleiro.

Páscoa no sul

                   A serra gaúcha estima receber mais de um milhão de visitantes nesta Páscoa, principalmente em cidades como Gramado, Canela e Nova Petrópolis. A capacidade hoteleira esta quase esgotada, alcançando m os 95% segundo o Sindicato da Hotelaria, Restaurantes, Bares e Similares da Região das Hortênsias. Mas os reflexos da crise econômica são sentidos no segmento turístico sulino.  Mesmo conseguindo manter a mesma ocupação hoteleira do ano passado, houve uma redução no preço das diárias e na previsão dos gastos dos visitantes. Também leva-se em conta que o Natal da Luz, em Gramado que trouxe um grande numero de visitantes ao Rio Grande do Sul, terminou no final de Janeiro.

 

  • O acompanhamento de reeducandos através das tornozeleiras eletrônicas tem se mostrado eficaz em Alagoas e por isso mesmo o monitoramento tem sido ampliado.
  • A Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social aumentou o numero de equipamentos, já que eram esperados outros 250 tornozeleiras na semana que passou.
  • A Central de Monitoramento Eletrônico de Presos faz o controle de 560 reeducandos. Mas outras 270 pessoas estavam na fila aguardando os novos equipamentos.
  • Assim o numero de custodiados que são controlados através das tornozeleiras eletrônicas chega a 800.
  • A tornozeleiras utilizada pelo custodiado possui um dispositivo eletrônico que possibilita o monitoramento do preso por satélite, via GPS (Global Position System), em qualquer lugar do planeta, 24 horas por dia.