Flávio Gomes

16 de Março de 2016

Cartas na mesa

 Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, sobre a saída para a crise do Brasil: “… O nó é político: eleições com a legislação atual resultarão na repetição do mesmo despautério no Legislativo. Há que mudar logo a lei dos partidos, restringindo a expansão de seu número, e alterando as regras de financiamento eleitoral para evitar a corrupção. Por boas que tenham sido as intenções da proibição de contribuição de empresas aos partidos, teria sido melhor limitar a contribuição de cada conglomerado econômico a, digamos, X milhões de reais, obrigando as empresas a doarem apenas ao partido que escolherem, e por intermédio do Tribunal Superior Eleitoral, que controlaria os gastos das campanhas. A proibição pura e simples pode levar, como ocorreu em outros países, a que o dinheiro ilícito, de caixa dois ou do crime organizado, destrua de vez o sistema representativo. Ideias não faltam. Mas é preciso mudar a cultura, o que é lento, e reformar já as instituições. É tempo para que se verifique a viabilidade, como proposto pela Ordem dos Advogados do Brasil e por vários parlamentares, de instituir um regime semiparlamentarista, com uma Presidência forte e equilibradora, mas não gerencial. Só nas crises se fazem grandes mudanças. Estamos em uma. Mãos à obra.”

Constatação

Com o vice-governador exercendo o cargo de Secretário da Educação, o empresário e médico Fábio Farias é, de fato, o vice de Renan Filho. Ele acumula as atribuições de Secretário do Gabinete Civil com a incumbência, cada vez mais constante, de substituir o governador em eventos e solenidades oficiais, além de cuidar de questões políticas.

Expectativa

O suspense de Renan Filho em relação ao substituto de Alfredo Gaspar de Mendonça Neto na Secretaria de Segurança gerou especulações. Nomes mais citados, nas redes sociais: advogado Antônio Carlos Gouveia (diretor do Detran), delegado PF aposentado Pinto de Luna e delegado PC aposentado Flávio Saraiva.

Ganho

Ao se filar ao PMDB o deputado federal Cícero Almeida desandou a dar entrevistas reafirmando sua candidatura a prefeito de Maceió. E criou um fato político bastante favorável a si próprio, por anunciar uma aliança de 13 partidos e, principalmente, apoio dos Renans Calheiros – o pai, presidente do Senado, e o filho, governador.

A conferir

A aliança do prefeito Rui Palmeira (PSDB) com o deputado federal Ronaldo Lessa (PDT) foi o tipo do casamento em que só os “noivos” ficaram satisfeitos – no caso, nem o PSDB nem o PDT gostaram. E Rui quebrou a rotina de uma administração técnica por um fisiologismo político que pode prejudicar a sua imagem.

Maré

Na onda de medidas impopulares da prefeitura (negativa de dinheiro para o pré-Carnaval e retorno dos pardais eletrônicos, por exemplo) neste ano, com impacto junto a formadores de opinião, Rui Palmeira contabiliza os efeitos negativos de outro: cobrar taxa de R$160,00 para autorizar a realização de procissão religiosa.

Opinião

Habitual leitor desta Conjuntura faz observação sobre a insistência de dirigentes do PT e simpatizantes do partido em dizer que a elite prevaleceu nas manifestações “Fora, Dilma”, domingo: “Tinha apenas parte dela, pois figurões do PIB nacional estão na cadeia, junto com políticos governistas que corromperam para roubar o erário”.

“Jarareco”

Do jornalista Sebastião Nery, ontem, em sua coluna na “Gazeta de Alagoas”, sobre Lula: “Um desastrado. Só se mete na hora errada. E diz besteiras sem parar. Preocupado em manter-se como líder maior do PT, quando abre a boca é para escancarar o baixo nível político de sua esperteza. E o País lhe dando novos, criativos e perfeitos apelidos, como agora o de ‘Jarareco’: mistura de ‘jararaca’ com ‘pixuleco’.”

 

*Em seu depoimento à Polícia Federal, tornado público anteontem, o ex-presidente Lula exagerou no cinismo e no deboche. Para se ter idéia, por 29 vezes chamou de “querido” o delegado que o ouvia. Algo próprio de quem se considera acima da lei.

*O Procon estadual abriu ontem, no Maceió Shopping,  a “Primeira Semana do Consumidor”, visando orientar e informar sobre direitos nas relações de consumo. Há uma equipe à disposição do público em frente à loja Renner, das 10 às 22 horas.

* A Seplag divulgou lista com os nomes dos mutuários da antiga Cohab, convocando-os a buscar na instituição as escrituras dos seus respectivos imóveis. Os dados estão disponíveis no portal da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio.

*De ontem até 21 de abril a Galeria Gamma realiza a sua primeira atividade de 2016, com a exposição “Circuito II”, que tem trabalhos de Vera Gamma, Rogério Gomes, Vânia Lima, Martha Araújo e Luísa Patury. Contato: 3377.3979.

* Continua até a próxima 6ª feira, dia 18, no Hotel Ponta Verde, a 7ª edição do workshop sobre Geometria Diferencial, que tem o Instituto de Matemática da Ufal na organização local. Dentre os participantes há pesquisadores nacionais e estrangeiros.

*O Banco do Nordeste abriu, até 24 de março, inscrição de projetos do Programa de Patrocínios Banco do Nordeste Institucional/Mercadológico 2016/2017, no valor máximo de R$ 100 mil em patrocínio por projeto. O edital está em www.bnb.gov.bre .

*Depois do vexame na goleada de 4×1 para o CSA o CRB pega hoje o CSE às 21h45m, em Palmeira dos Índios, pela última rodada da fase de classificação do Alagoano. Sábado, 17 horas, no Trapichão, estréia no hexagonal decisivo, contra o Coruripe.


“A República cai”

Delcídio Amaral

Senador ex-PT/MS, ao dizer o que acontecerá se dirigentes das empresas envolvidas na Operação Lava a Jato fizerem delação premiada