Edmilson Teixeira

23 de Fevereiro de 2016

Branquinha

A vice-prefeita de Branquinha, Vânia é a candidata da situação apoiada pela prefeita Renata Moraes, que estará na disputa este ano pela Prefeitura. Toda uma articulação vem sendo montada, a fim de que Vânia entre firme no páreo. É prima legítima do eterno patrono do PMDB em Alagoas, o presidente do Senado, Renan Calheiros. Vânia deve enfrentar um filho do ex-prefeito e hoje promotor de Justiça, Dadado.

Chã Preta

O veterano prefeito Audálio Holanda decidiu partir para seu quarto mandato à frente da Prefeitura. A ação surgiu depois de receber bons resultados de pesquisas internas o que levou a obter incentivo do governador Renanzinho, quando esse esteve por lá, a fim de anunciar o reinício da rodovia alagoana que liga Chã Preta à Pernambuco. O plano da família era colocar Maurício Holanda, filho de velho Audálio e atual vice-prefeito. Só que o rapaz não decolou nas pesquisas. O embate por lá, será contra o grupo do deputado Chico Tenório (PMN)

Viçosa  

Manoel dos Passos (PSDB), o Vô, prefeito de Viçosa, ainda não bateu o martelo sobre sua reeleição. Por enquanto está com o pé na embreagem aguardando um momento oportuno. Batalha para tirar o município do CAUC. Começou pela regularização do repasse da Previdência e disse que ainda restam outras duas pendências para que a Prefeitura fique livre, a fim de ganhar crédito de Brasília, sobretudo com seu nome limpo na praça. Espera também que nesse resto de seu governo, o Matadouro que está sendo erguido pelo Estado lá em Viçosa, obra que vai atender todo Vale do Paraíba e que já está com 50% pronta, seja concluindo em agosto, conforme prometeu o governador Renan Filho.      

Anadia – saúde

Prefeito Paulo Dâmaso (PMDB) disse que o maior gargalo de seu governo, é conduzir os serviços de saúde. Retrata que a participação dos governos federal e estadual é muito raquítica  para manter a casa em ordem. “Anadia recebe apenas R$ 48 mil por mês, para a manutenção do Hospital. E por lei, desse valor, a metade é para pagar salário e a outra para a compra de material. Mas para assegurar médicos plantonistas e algumas outras contas do Hospital a Prefeitura desembolsa R$ 208 mil por mês. Nós temos 12 PSFs. Para cada um, o governo federal manda apenas R$ 12 mil e a gente para manter funcionando um PSF, tem que colocar mais R$ 20 mil”, lamenta.

Anadia – política

Sobre as eleições deste ano, Paulo Dâmaso disse que está animado. Recebeu  apoio do PMDB, que tem buscado outras agremiações partidárias, a fim de formar um chapão que saia vitorioso em outubro próximo. Sobre a oposição, por enquanto, o nome que corre na praça é do pecuarista Celino Rocha (PDT).  “O empresário Gabriel Jatobá, ao que parece tirou seu nome da jogada, uma vez que eu não vi falar mais de sua candidatura”, disse Paulo Dâmaso.  

Junqueiro

Carlos Augusto atual vice-prefeito, é quem representará o prefeito Fernando Pereira na disputa deste ano. Toda negociação foi feita pelo prefeito; aliás, pela família Pereira, que julga Augusto como o homem fiel para exercer a missão encarar o cargo, visto que Fernando não pode ir para uma segunda reeleição seguida. Por enquanto, Carlos Augusto tem como vice, Morgana Tavares. Mas a garota que é filha do ex-prefeito Raimundo, por pegar voo livre, e ser cabeça de chapa com o escudo do PMDB. Tudo vai depender de seu pai e do governador Renan Filho, que têm pesquisas que apontam a garota na liderança.   

Pão de Açúcar

Três oposicionistas vão brigar em Pão de Açúcar, pela vaga do prefeito Jorge Dantas (PSDB), que vai para a sua reeleição, na tentativa de alcançar um recorde de administrador do município, ou seja, um quarto mandato. No páreo estão: o ex-prefeito Cacalo (PTB), Dr. Eraldinho (PSD) e Dr. Flavinho (PMDB).

Capela

O ex-vereador Pavão sofreu um acidente em seu automóvel, ao cair de uma ponte na noite de domingo, quando vinha de uma festa religiosa do distrito de Santa Efigênia para a cidade de Capela. Fraturou a clavícula, segundo informou o radialista Jorge Miguel. Pavão se projetou na vida como goleiro de futebol. Começou no Capelense. Passou pelo CRB, CSE e outros clubes alagoanos.

Feliz Deserto  

Quem está de volta ao batente político é a ex-prefeita Rosiana Beltrão, atual administradora do Porto de Maceió. Vem se articulando, a fim de comandar pela terceira vez, o município de Feliz Deserto. Conta com a simpatia do atual gestor, Maykon Beltrão que não demonstra muito interesse de se empenhar na campanha. “Ela que vem correndo na busca de sua candidatura”, disse. Além de Rosiana, se especula os nomes dos candidatos: Deda ex-prefeito local, a esposa do prefeito Dalmo, de Piaçabuçu e Aleandra que é cunhada do ex-prefeito de Girau, Zé Aurélio.       

Minador do Negrão

Cícero Ferro que na condição de suplente de deputado retornou a Assembleia Legislativa na última semana, devido o afastamento do deputado Chico Tenório por “problema de saúde”, tem projeto político para voltar a ser prefeito de Minador do Negão. Desde o ano passado que Ferro colocou a campanha na rua. Estão também na jogada, os candidatos Cleyson Cardoso, que é sobrinho da prefeita Maria do Socorro (inimiga número um do Ciço) e José Aprígio, esse que montou uma ONG, na cidade, depois de seu retorno de São Paulo, estado onde obteve uma boa estabilidade econômica.   

 Porto Calvo

Porto Calvo está fora da lista de municípios em situação de risco para doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti. A Prefeitura afirma que a cidade passa pela segunda etapa do ciclo epidemiológico nesta terça, no bairro  Manganzal. É que no último sábado, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) apresentou os números dos municípios que apresentam situação crítica no que diz respeito à proliferação do Aedes, não incluindo Porto Calvo na lista.  Na verdade,  a histórica cidade cumpre os seis ciclos epidemiológicos por ano preconizado pelo Ministério da Saúde.

Porto Calvo

Segundo o médico e secretário de Saúde, de Porto Calvo, Paulo de Jesus, o fato de o município estar fora da lista das cidades críticas em relação ao mosquito Aedes Aegypti é resultado do trabalho constante há três anos dos agentes de endemias e, mais recentemente, dos agentes comunitários de Saúde. “Este compromisso só foi possível devido à liberdade para o desenvolvimento do nosso trabalho com o apoio do prefeito Ormindo Uchôa” acrescenta Paulo de Jesus.