Blog do Dresch

2 de Fevereiro de 2016

O carnaval do Rio homenageia Arraes

                   A Escola de Samba Unidos da Vila Isabel resolveu homenagear no desfile deste ano, o centenário de nascimento do líder político pernambucano Miguel Arraes, cuja história de vida encantou o carnavalesco da escola, Alex de Souza. Mesmo sendo cearense de nascimento, Arraes construiu sua carreira em Pernambuco, onde foi governador, prefeito do Recife, deputado federal e estadual, além de exercer outros cargos no Estado. Autor do samba enredo e um dos líderes da Vila Isabel, o compositor e cantor Martinho da Vila destacou a importância da atuação de Miguel Arraes na vida política do país e as conquistas sociais que ele alcançou quando comandava os destinos de Pernambuco.

Arraes no carnaval do Rio 2

                   No enredo da Escola, são ressaltados os papéis de dois grandes amigos de Miguel Arraes, o educador Paulo Freire e o Arcebispo de Olinda, Dom Hélder Câmara. Juntos eles criaram o Movimento de Cultura Popular em Pernambuco, transformando qualquer espaço público em escola, em oficinas de artes, na manutenção das tradições do estado. Isso valia para praças, sindicatos, igrejas ou qualquer outro lugar que abrigasse a iniciativa. O carnavalesco Alex de Souza considera isso uma experiência extraordinária. Ele também pretende mostrar a prisão de Arraes na ditadura, seu exílio na Europa e o retorno com a Lei da Anistia e sua recondução ao governo do Estado em seguida.

Arraes no carnaval do Rio 3

                   A condução da história de Arraes contada pela Vila Isabel, inicia com a miséria e a pobreza do povo pernambucano e os desafios enfrentados pelo político.  No restante do desfile vai sendo construído o trabalho do político na educação e na qualidade de vida da população, e os resultados obtidos com a arte e a cultura. Os diretores da escola estão entusiasmados com o enredo e com a abordagem da vida de Arraes. A Vila foi campeã em 1988 com Kizomba, a Festa da Raça, em 2006 com “Soy loco por ti América- a Vila canta a latinidade” e em 2013 com “Água no feijão que chegou mais um” quando foi mostrado o Brasil como celeiro do mundo.

Consciência contra o Aedes

                   O governo federal não tem mais dúvidas: somente a conscientização da população possibilitará o enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti e às doenças por ele transmitidas: dengue, Zika e Chicungunya. Por isso mesmo a própria presidente Dilma Rousseff fará um apelo nos próximos dias a diferentes setores da sociedade civil no combate ao inseto. A maior preocupação do governo chama-se microcefalia (malformação do cérebro de recém-nascidos) e que tem relação com o Zika vírus. Na semana passada houve a confirmação do nascimento de 270 crianças com a doença no país e ainda existem 3.400 casos suspeitos. O governo também deu inicio a um calendário de limpeza dos orgãos públicos, além disso, 220 mil militares farão visitas a 356 cidades com maior incidência da doença. Na próxima quinta feira, será iniciada uma mobilização nas escolas envolvendo 40 milhões de estudantes do ensino básico, das redes públicas e privada, e ainda sete milhões de universitários. O objetivo é fazer com que os estudantes espalhem a conscientização, principalmente que cobrem da sua família os cuidados para evitar a proliferação do mosquito na sua casa, ajudando na mobilização, em casa, na rua, no bairro. Além disso, serão distribuídos panfletos, cartilhas e cartazes, além de material didático que também estão sendo elaborados para os professores. O auge da campanha será logo após o carnaval.

 

Posse prestigiada

                   A advogada Fernanda Marinela, foi empossada na última sexta feira á noite, na Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional de Alagoas. É a primeira mulher a assumir a presidência do orgão no Estado, e solenidade contou com a presença de diversas autoridades, como o governador Renan Filho. Ela substitui o advogado Thiago Bonfim no comando dos destinos da entidade. Também foi feita uma homenagem póstuma ao ex-presidente da OAB nacional, o advogado alagoano Herman Baetta, morto na semana passada.

Transexuais na Olimpíada

                   O Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou um relatório com as diretrizes para a participação de transexuais em competições esportivas, válido para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Segundo o comitê “é preciso garantir que os atletas trans não sejam excluídos da oportunidade de participar das competições esportivas” e que, desde 2003, o organismo reconhece a importância da autonomia da identidade de gênero na sociedade, com modificações na legislação em diversos países. O comitê considera que as mudanças cirúrgicas de mudança de sexo (transgenitalização) não são necessárias para garantir uma competição justa e podem ser inconsistentes com o desenvolvimento de leis e dos direitos humanos.

Transexuais na Olimpíada 2

                   Para o orgão são necessárias restrições adequadas para garantir uma competição leal e justa entre os atletas. Por isso o COI estabeleceu regras que devem ser seguidas. No caso de mudança de sexo biológico de masculino para feminino, a atleta tem que ser declarada a identidade do gênero feminina e manter o nível de testosterona, o hormônio masculino, dentro do nível permitido para disputas: abaixo de 10 nmol/L durante os últimos 12 meses antes da sua primeira competição e manter o nível durante o período de competição. Na mudança de sexo biológico de feminino para masculino não estão previstas restrições. Em caso de descumprimento das diretrizes o documento prevê a suspensão de 12 meses das atividades desportivas.

 

  • Seleção brasileira olímpica vai pisar o gramado do estádio Rei Pelé, no próximo dia 27 de Março, onde vai enfrentar em jogo amistoso, um adversário ainda não confirmado.
  • O jogo faz parte dos preparativos da seleção para os Jogos Olímpicos do Rio em Julho deste ano, e foi confirmado na última sexta feira.
  • A vinda da seleção foi garantida por dirigentes da CBF que realizaram uma vistoria no Estádio Rei Pelé, pelo presidente da Federação Alagoana de Futebol, Felipe Feijó e pela Secretária de Esporte, Lazer e Juventude, Claudia Petuba.
  • Espera-se que com a vinda seleção olímpica, o estádio receba as correções necessárias na sua estrutura, como no espaço próximo às cadeiras, que esta interditado por questões de segurança e impede a presença de aproximadamente 800 torcedores.
  • Além da agilidade no conserto da arquibancada, outra boa noticia é que o alagoano vai poder acompanhar uma nova geração de jogadores que começam a ter o seu futebol reconhecido no país.
  • É o caso de craques como o Gabriel, o Gabigol do Santos, o atacante Luan, do Grêmio, Rodrigo Caio do São Paulo, Valdívia e Vitinho do Internacional entre outros destaques.