Blog do Dresch

1 de Fevereiro de 2016

A melhora genética do rebanho alagoano

                   Alagoas já começa a colher os resultados do Programa de Melhoramento Genético de Bovinos, implantado há pouco mais de um ano. Segundo o responsável pela implantação do programa, Hibernon Cavalcante, neste período mais de dois mil embriões foram distribuídos para pequenos criadores, garantindo mais qualidade para o rebanho e maior produtividade. O programa é uma parceria do Governo de Alagoano, Sebrae e das empresas In Vitro Brasil e Nordeste in Vitro e tem como base o trabalho de inseminação artificial e a transferência de embriões.

A nova realidade genética 2

                   De acordo com o mais recente balanço da Secretaria de Agricultura, 5.022 receptoras receberam os embriões pelo Programa de Fertilização in Vitro e até Novembro passado, havia a confirmação de 2.069 prenhezes, mas pode aumentar. De acordo com Hibernon, o rebanho alagoano esta recebendo embriões de doadoras de rebanhos consagrados pela excelência na qualidade genética do Sudeste e do Sul do Brasil, como também dos melhores touros do mundo, dos grandes laboratórios de sêmen, disse o coordenador. O Programa de Melhoramento Genético implantado em Alagoas já uma referência nacional e começa a ser utilizado como modelo em rebanhos de diversos outros estados.

Mais duas comissões

                   Antes mesmo de encerrar o recesso parlamentar, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, anunciou que no retorno das atividades serão criadas duas comissões parlamentares de inquéritos (CPIs). A primeira delas destinada a investigar um esquema de extinção de débitos tributários no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), orgão do Ministério da Fazenda usado pelos contribuintes para recursar contra multas. A segunda CPI tratará sobre denúncias de corrupção contra dirigentes da Federação Internacional de Futebol (Fifa). A CPI do Carf deve ser criada já na próxima semana, enquanto que a CPI da Fifa será criada após a CPI do BNDES que termina na semana seguinte ao carnaval. O objetivo é apurar o envolvimento de dirigentes da Fifa em crimes como fraude, suborno e formação de quadrilha. Eduardo Cunha informou que as votações em plenário da Câmara começam na quarta feira (3), em sessão extraordinária após as 17 horas, e prosseguirão no dia seguinte (4) pela manhã. Cunha quer votar as três medidas provisórias (MPs) que estão trancando a pauta. O presidente da Câmara anunciou ainda que pretende protocolar na terça feira (2) os embargos em relação à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as regras do processo de impeachment de Presidente da República. A criação da CPI da Carf pretende aprofundar as investigações que já vem sendo feitas pela Polícia Federal, que investiga crimes atribuídos ao Conselho como associação criminosa, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

 

O repúdio de Lula

                   O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota através do seu instituto, em que repudia a tentativa de envolver seu nome em atos ilícitos da Operação Lava Jato. A nova fase da Operação, que investiga a Construtora OAS por lavagem de dinheiro, investiga a propriedade de um tríplex em Guarujá que teria sido reservado a Lula, uma vez que ele era proprietário de uma cota da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo. Mas a defesa do ex-presidente garantiu que a cota não se transformou no imóvel (um tríplex de luxo), mas sim foi resgatada, e declarada ao Imposto de Renda em 2006.

O repúdio de Lula 2

                   Diz a nota do Instituto Lula: “O ex-presidente Lula não foi sequer citado na decisão do juiz Sérgio Moro e repudia qualquer tentativa de envolver seu nome em atos ilícitos investigados na chamada Operação Lava Jato. Nos últimos 40 anos, nenhum líder brasileiro teve a vida particular e partidária tão vasculhada quanto Lula, e jamais encontraram acusação válida contra ele. Lula foi preso, sim, mas pela ditadura, porque lutava pela democracia no Brasil e pelos direitos dos trabalhadores. Não será investigando um apartamento – que nem mesmo lhe pertence- que vão encontrar uma nódoa em sua vida”.

O repúdio de Lula 3

                   E segue a nota: Lula nunca escondeu que sua família comprou, a prestações, uma cota da Bancoop, para ter um apartamento onde hoje é o edifício Solaris. Isso foi declarado ao Fisco em 2006. Ou seja: pagou dinheiro e não recebeu dinheiro pelo imóvel. Para ter o apartamento, de fato e de direito, seria necessário pagar a diferença entre o valor da cota e o valor do imóvel, com as modificações e os acréscimos ao projeto original. A família do ex-presidente não exerceu este direito. Portanto Lula não ocultou patrimônio, não recebeu favores, não fez nada ilegal. E continuará lutando em defesa do Brasil, do estado de direito e da Democracia.

E os bancos só lucram

                   O lucro liquido gerencial do banco Santander Brasil, que exclui despesas de amortização de ágio e outros ajustes, foi de R$ 1.607 bilhão no quarto trimestre de 2015, com uma alta de 5,7% sobre o mesmo período de 2014. No ano todo o aumento atingiu 13,2%, alcançando R$ 6,624 bilhões. A carteira de crédito ampliada do banco encerrou o ano passado em R$ 330,946 bilhões o que representa um crescimento de 6,6% em relação ao fim de 2014 e uma queda de 0,3% no trimestre. A margem financeira bruta do banco foi de R$ 7,384 bilhões no quarto trimestre, alta de 5,7% ante o mesmo período no ano anterior.

 

 

  • Durante todo o ano passado foram feitas 1.983 denúncias através do telefone Disque 100, de crimes cometidos contra a população LGBT em todo o país.
  • O numero revela um crescimento de 94% em relação a 2014 e atinge Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros, segundo o balanço anual de atendimentos sobre violações de direitos humanos.
  • A discriminação foi a principal reclamação contra os LGBT (53%), seguida pela violência psicológica (26%), violência física (11%) e negligência (2%). Quase a metade dos casos relacionados como homofobia e transfobia (47%) aconteceu nas redes sociais.
  • As vitimas, na sua maioria, são homens gays negros e pardos, entre 18 e 30 anos. As denúncias encaminhadas através do Disque 100, são repassadas aos orgãos como centros de referência de combate á homofobia, à Defensoria Pública e o Ministério Público. Até o momento, 74% dos casos tiveram respostas efetivas, identificando os agressores e dando prosseguimento aos respectivos processos.