Blog do Dresch

30 de Janeiro de 2016

PMDB quer a Presidência em 2018

                   O vice-presidente da República, Michel Temer, voltou a afirmar que o seu partido, o PMDB “quer comandar o país a partir de 2018”. Ele esta fazendo uma viagem por diversas capitais do país, como uma campanha pela unificação e por sua recondução ao comando da sigla. Segundo Temer, o partido vai lançar o máximo de candidatos próprios nas eleições municipais deste ano, para construir uma candidatura à presidência em 2018. “Nós não podemos ser apenas um partido que acusa ou que vai em busca de cargos. Nós queremos comandar o país a partir de 2018 para implantarmos um programa. Por isso as eleições de 2018 passam por 2016”.

“Vamos comandar o país” 2

                   Nas diversas entrevistas que vem dando nos estados, Michel Temer, evita se aprofundar em comentários sobre suas relações com a presidente Dilma. “O momento é de buscar a unidade em todo o País. Estamos propondo uma pacificação nacional, e acredito que a Presidente esta fazendo a mesma coisa” assinalou. Temer disse que concorda com a Operação Lava Jato, o que mostra que as instituições estão funcionando. “Mas é muito importante que as investigações não paralisem o país”. Ele também se comprometeu a garantir a governabilidade da Presidente Dilma para colocar os interesses do país acima dos interesses pessoais.

Um voto de confiança

                   A Presidente Dilma Rousseff obteve um voto de confiança de empresários e trabalhadores que participaram da primeira reunião do novo Conselho de Desenvolvimento Econômico. O entendimento de vários conselheiros é que a presidente foi bastante humilde ao pedir encarecidamente o apoio para a CPMF e para o diálogo, e demonstrou disposição para ouvir sugestões para ajudar o país a sair da crise. “A iniciativa foi positiva, e a gente tem que acreditar, já que o governo sabe quais são os problemas do país e isso é superpositivo. Só precisa agir e isto é uma questão de querer” disse o presidente da Companhia Siderúrgica Nacional, Benjamim Steinbruch. O presidente da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos, Carlos Pastoriza, defende a mesma posição: “Chegou o momento de atuar. O discurso não adianta mais. Tem muito trabalho a ser feito e por causa da crise, tem que ser tudo muito rápido. Se o governo não fizer nada, por paralisia ou encenação, vai se arrebentar este ano” disse. Apesar do apoio, ainda existem resistências pela volta da CPMF, pois muitos entendem que o governo ainda precisa cortar muitos gastos públicos. O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, disse que a volta da CPMF é uma das possibilidades, mas considera que ela deva ser transitória, porque a carga tributária no país é muito elevada. Ele foi o primeiro a usar a palavra na reunião e deixou claro que a união de todos é fundamental, porque com a recessão “somos todos perdedores”.

 

Brinquedos alagoanos

                   Alagoas poderá ter em breve uma empresa fabricante de brinquedos e jogos pedagógicos. Executivos da Carlu Brinquedos estiveram esta semana em Maceió, conhecendo as vantagens oferecidas pelo Programa de Desenvolvimento Integrado de Alagoas, o Prodesin. O Programa tem proporcionado diversos atrativos tributários e locacionais para as indústrias e tem garantido a instalação de centenas de empresas em território alagoano.

Brinquedos alagoanos 2

                   Presente no mercado nacional desde 1996, a empresa Carlu trabalha com uma linha de brinquedos e jogos pedagógicos que utiliza principalmente a madeira como matéria prima. Ao participar da reunião com técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, o diretor executivo da empresa, Clayton Ost, destacou a importância do Estado em oferecer incentivos para o processo de instalação. “Os impostos e a burocracia são as principais barreiras que os empresários brasileiros enfrentam. Com os atrativos ofertados por Alagoas, o estado se mostra eficiente e competitivo” disse.

Mais uma do Papa

                   Após escrever uma carta ao Papa Francisco, pedindo para ser perdoado por ter cometido um duplo crime há 25 anos, o italiano Pietro Maso, ficou surpreso ao receber um telefonema do próprio Francisco. Ele cumpriu uma pena de 22 anos preso, após matar os pais em 17 de Abril de 1991. Na cadeia se aproximou da religião e resolveu pedir perdão ao Papa através de uma carta, que foi entregue no Vaticano pelo monsenhor responsável pela capela da prisão. “No telefonema o papa mostrou sua compaixão por mim” disse o preso, que passou, a partir de então, a se dedicar as outras pessoas necessitadas. O fato aconteceu em 2013, mas somente agora foi revelado pelo criminoso arrependido.

Ameaças do terrorismo

                   O Serviço Europeu de Polícia (Europol) advertiu dirigentes de vários países de que o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) esta programando ataques em “larga escala” ao continente. Segundo dirigentes da Europol, os jihadistas pretendem colocar em prática atentados diversos a vários países europeus. Para tanto o EI criou um “comando de ação externa voltado para ataques ao estilo das forças especiais no cenário internacional”. Segundo os dirigentes da Europol, isso mostra que os atentados ocorridos em Paris, em 13 de Novembro, sinalizaram uma mudança de estratégia de globalização dos terroristas.

 

  • Até no período de carnaval é preciso que o consumidor fique atento aos preços cobrados pelas lojas especializadas. A variação é enorme, e se não houve e uma pesquisa, paga-se muito mais em um local do que outro, pelo mesmo produto.
  • O Procon de Alagoas realizou uma pesquisa em nove estabelecimentos comerciais em Maceió, e analisou mais de 50 itens, entre eles espuma artificial, buzinas, spray colorido, máscaras, sombrinha de frevo, nariz de palhaço e outros acessórios carnavalescos.
  • Os preços apontados devem servir de base para o consumidor. O saco de confete, por exemplo, varia de R$ 2,95 a R$ 6,50. A saia do tipo “havaiana” pode ser encontrada de R$ 6,99 a R$ 15,00.
  • As fantasias infantis podem variar de R$ 75,00 a R$ 124,90 (bailarina), e a de adulto de R$ 98,99 a R$ v225, 00 (a de pirata).
  • Mas além da pesquisa, o Procon recomenda ao consumidor adquirir os produtos em lojas de artigos especializados em carnaval, e sempre chegar os riscos da segurança dos produtos e a sua qualidade, exigindo sempre o selo do Inmetro.