Blog do Dresch

26 de Janeiro de 2016

O novo reforço da Polícia Militar

                   Desde ontem que 200 alunos do Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) já estão incorporados às atividades da Polícia Militar de Alagoas. Segundo o Comandante do Centro de Formação, tenente-coronel Maxwell Santos, hoje e amanhã, eles participam de uma ação de saúde, desenvolvida no próprio Centro, que objetiva conscientizar os novos praças da valorização da vida, a importância da qualidade da atividade militar e suas responsabilidades. Nos próximos dias serão instruídos para o desempenho de diversas funções no dia a dia do quartel e também seu papel na administração pública. A meta é ampliar a visão destes novos militares sobre a importância do seu papel como servidor público.

O novo reforço da PM 2

                   Eles participarão ainda de seminários, aulas expositivas, exercícios e reflexões em grupo sobre os temas estudados. Entre os assuntos constam unidades programáticas de fatores de percepção externas, percepção pessoal e interpessoal, inteligência emocional e administração de conflitos. Ainda de acordo com o comandante Maxwell, o curso dos militares tem dois eixos principais: a formação básica como treinamento físico, fundamentos jurídicos, armamento e munição; e a formação especializada com instruções mais específicas como policiamento montado, de trânsito, choque, ambiental, radiopatrulhamento ou o policiamento ostensivo geral avançado.

Zica seria herança da Copa?

                   As declarações do ex-ministro da Saúde, Arthur Chioro podem ter passado despercebidas, mas em Maio do ano passado, ele afirmou que a chegada desta nova doença (a Zica) já era aguardada, trazida na bagagem de milhares de turistas que vieram ao Brasil acompanhar os jogos da Copa do mundo de Futebol em 2014. Por isso muita gente considera que não é coincidência que o registro de casos de pessoas infectadas tenha ocorrido a partir do final de 2014, acentuando-se no ano passado. Na época, Chioro chegou a afirmar que a descoberta do vírus não era motivo de preocupação, por se tratar de uma doença “mais branda” que a dengue. Cerca de seis meses depois, em Novembro do ano passado, Chioro não era mais ministro, o governo decretou emergência em saúde pública. Dia a dia crescem os números de bebês nascidos com microcefalia provocados pelo Zica vírus, em 20 dos 27 estados. Estudos apontam também que outra doença, a Síndrome de Guillen-Barré, que afeta o sistema nervoso e pode acarretar paralisia muscular, também seja causado pelo vírus. Daí a necessidade cada vez maior de se combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Zica, da dengue e da febre chikungunya, As três doenças tiveram um crescimento absurdo em 2014. Antes o país preocupava-se somente com a dengue, principalmente pelos custos de tratamento e pelas internações hospitalares. No ano passado mais de 1,6 milhão de pessoas pegaram dengue, com 863 mortes em todo o país.

 

Fogo em terminal de petróleo

                   Uma série de incêndios causados por ataques do grupo jihadista Estado Islâmico, causou a perda de mais de três milhões de barris de petróleo e um grave prejuízo à Líbia. Cinco dos treze tanques do terminal foram danificados pela ofensiva do grupo. As autoridades ainda estão avaliando a extensão dos danos causados pelo ataque terrorista. Acredita-se em um prejuízo milionário e que manterá o terminal fechado por um bom tempo. Dede 2-11 que a Líbia esta envolvida nos caos politico que e que culminou com a deposição do autocrata Muammar Gaddafi.

Fogo em terminal de petróleo 2

                   Aproveitando a instabilidade do país, o Estado Islâmico invadiu cidades sírias, como Sirte, próxima a diversos terminais de óleo. Além dos ataques a estas estruturas econômicas eles também arrasam as relíquias históricas e culturais do país, destruindo templos e vestígios deixados pela história de milhares de anos na região. A produção de petróleo da Líbia que superava a casa dos 1,6 milhão de barris ao dia em 2011, caiu muito e atualmente não chega a 400 mil barris produzidos a cada dia.

Clima afeta economia

                   Uma reportagem publicada pelo jornal The Guardian, esta semana, relacionou a catástrofe causada pelas mudanças climáticas com a crise da economia global em 2016, segundo um levantamento feito por 750 especialistas. A avaliação de riscos mostrou que o aquecimento global tem motivos de sobra para causar tamanha preocupação entre os governantes mundiais. De acordo com a reportagem, um problema de adaptação aos fatores climáticos pode ter um impacto maior que a disseminação de armas de destruição de massa, crises de água, migração involuntária e um choque nos preços de energia.

Clima afeta a economia 2

                   O relatório que serviu de base para a matéria do The Guardian, foi elaborado para ser discutido no Fórum Econômico Mundial, com a colaboração de especialistas em riscos e foi concluído um mês após o acordo assinado em Paris. Afirmou uma especialista sobre o assunto: “A mudança climática esta se agravando mais do que nunca, trazendo crises de água, escassez de alimentos, crescimento econômico restrito, coesão social e aumento dos riscos de segurança. Enquanto isso, a instabilidade geopolítica esta expondo as empresas a projetos cancelados, licenças revogadas, produção interrompida, ativos danificados e movimento restrito de fundos através das fronteiras”.

 

 

  • Começam a ser disponibilizados hoje (26) os resultados da pré-matrícula dos alunos novatos da rede estadual de ensino. A consulta pode ser feita no site www.matriculaonline.al.gov.br.
  • Os alunos saberão em qual escola vão poder se matricular, daquelas escolhidas por ele anteriormente. Ao todo 21.034 se inscreveram para ingressarem na rede estadual.
  • Ao tomar conhecimento da escola selecionada, o aluno deverá comparecer à mesma, com a documentação exigida, na data e no horário estabelecido no agendamento que será feito pelo próprio site.
  • A força-tarefa que combate os criadouros do Aedes aegypti conclui esta semana as visitas aos 102 municípios alagoanos e aos bairros da capital.
  • Em Maceió serão visitados o Bom Parto, Mutange, Bebedouro, Chã de Bebedouro, Chã da Jaqueira, Jardim Petropólis, Santa Amélia, Fernão Velho, Rio Novo, Clima Bom, Santos Dumont e Cidade Universitária,
  • Mas o trabalho não será concluído esta semana. As equipes continuarão visitando locais que estavam fechados ou desabitados ou onde os agentes foram impedidos de acessar.