Roberto Baia

22 de Janeiro de 2016

Eleições em Lagoa da Canoa

Em Lagoa da Canoa, cidade localizada a 12 quilômetros de Arapiraca, a expectativa é que haverá esse ano uma disputa bastante acirrada. O deputado Jairzinho Lira  não deve apoiar a reeleição do tio-prefeito Álvaro Melo que está com alto índice de rejeição e não vem fazendo uma boa administração.

 

Nomes de peso

Lira, se não for candidato, pode compor com o ex-vereador Elialdo, que já anunciou a sua intenção de disputar as eleições de outubro. Segundo informações, o deputado articula para que Elialdo seja o pré-candidato a vice-prefeito na chapa que seria encabeçada pelo primo Darlisson, um nome que tem uma boa aceitação nos bastidores políticos da terra do poliinstrumentista Hermeto Paschoal.

 

Está tranquilo

O ex-prefeito Lauro Fonseca, que foi derrotado nas urnas por Álvaro Melo nas últimas eleições, já anunciou a sua pretensão de disputar as eleições municipais do dia dois de outubro próximo, parece não se preocupar com os candidatos da situação. “Estou tranquilo e consciente. Enfrentarei qualquer um nas urnas, inclusive o deputado”, disse Lauro que está dialogando com partidos políticos para formar uma frente de oposição.

 

Atalaia

Um encontro promovido pela Secretaria Municipal de Assistência Social, teve como objetivo, apresentar a rede socioassistencial aos cinco novos conselheiros tutelares de Atalaia, que tomaram possam no último dia 08.

 

Conselheiros

Representantes do administrativo da Secretaria, do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), do Centro de Referência Especializada em Assistência Social (CREAS), do Bolsa Família e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), fizeram uma explanação sobre o processo histórico dos serviços de ação social e a importância dos conselheiros conhecerem cada órgão para que desenvolvam os direcionamentos dos trabalhos de forma coerente.

 

 

Comportamento

A coordenadora do CRAS, Jassione Amaral, explicou que existe todo um trâmite legal para que as coisas aconteçam, dentro do poder público. Por isso, a importância de repassar aos novos conselheiros, o suporte e as informações necessárias. “Tratamos de questões administrativas, apresentamos as equipes e também falamos sobre o comportamento do conselheiro na comunidade”.

 

Capacitação

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Arapiraca (Senai) dará continuidade aos cursos de capacitação para taxistas de Arapiraca e região. Os taxistas que preferirem participar do curso no período noturno já podem fazer suas inscrições para mais uma turma da noite que vai começar na próxima segunda-feira (25). O Senai fica na Rua Engenheiro Camilo Collier, no bairro Primavera.

 

Curso intensivo

 

Segundo a coordenadora pedagógica do Senai Arapiraca, Isabela do Nascimento, a turma da noite terá aula com 50h/a até o dia 3 de fevereiro, das 18h às 22h. Ela informou ainda que a instituição vai oferecer, também, um curso intensivo para os profissionais que preferirem estudar durante o final de semana.

Para o curso intensivo as aulas serão realizadas nos períodos da manhã e tarde, das 8h às 12h10 e das 13h às 17h10 respectivamente.

 

Obrigatório

“São horários flexíveis e que darão oportunidade para que todos os taxistas de Arapiraca e região se encaixem nas turmas e concluam o curso de capacitação que é obrigatório para o exercício da profissão”, disse Isabela do Nascimento.

 

Problema

No ano em que os casos e os óbitos por dengue bateram recorde no País e teve início um surto de microcefalia associada ao zika vírus, o Ministério da Saúde reduziu pela metade a verba extra repassada às prefeituras para ações de combate ao mosquito Aedes aegypti em comparação com 2013 – ano que, até então, havia registrado a pior epidemia de dengue.

 

Combate

A verba se refere ao piso variável de vigilância em saúde, recurso adicional do governo federal destinado a Estados e municípios para ações de prevenção e promoção de saúde, o que inclui medidas de combate ao Aedes. Em dezembro de 2013, após o Brasil registrar 1,4 milhão de casos de dengue e 674 mortes, a União autorizou o repasse extra de R$ 363,4 milhões para os municípios. No ano seguinte, os registros e óbitos pela doença caíram para 589 mil e 475, respectivamente. 

 

… Em dezembro de 2014, o valor do piso variável diminuiu para R$ 150 milhões e, em 2015, quando o número de pessoas infectadas chegou a 1,6 milhão, com 863 mortos, o valor da verba extra voltou a cair, desta vez para R$ 143,7 milhões.

 

… O piso variável não é a principal fonte de financiamento das ações de combate ao mosquito nos municípios. O recurso permanente e mais volumoso é o do piso fixo de vigilância em saúde, que, no período de dois anos analisado, teve pequeno crescimento, passando de R$ 1,2 bilhão para R$ 1,27 bilhão.

 

… Somados os valores dos dois pisos, no entanto, houve queda nos recursos, de R$ 1,56 bilhão em 2013 para R$ 1,41 bilhão em 2015