Blog do Dresch

20 de Janeiro de 2016

A soja e o milho das Alagoas

                   O Estado pretende ampliar consideravelmente as áreas plantadas com milho e soja em 2016, na comparação com o ano passado. Decisão neste sentido foi tomada em reunião esta semana que definiu ações do programa de Incentivo à Produção de Grãos em Alagoas, coordenada pelo Secretário da Agricultura, Álvaro Vasconcelos. Também foram discutidos os resultados obtidos no ano passado, que segundo Vasconcelos atingiram os objetivos, mesmo com a escassez de chuvas em algumas regiões do estado. “Reunimos os parceiros para discutir os resultados dos experimentos e debater as diretrizes deste ano, mas posso afirmar que os resultados nos surpreenderam, principalmente em relação á produtividade da soja” disse o Secretário.

A soja e o milho de Alagoas 2

                   A meta para 2016 é duplicar as áreas plantadas com milho e soja, e oferecer as condições necessárias para que o produtor rural tenha confiança e saiba que é viável apostar nessas culturas, explicou o Secretário da Agricultura. No ano passado, dentro do programa de Grãos, foram realizados experimentos com 26 diferentes tipos de milho, sendo 24 transgênicos e duas cultivares não transgênicas. Foram plantadas 30 mil hectares de milho com uma colheita de 60 mil toneladas. Em 2014 o estado produziu 24 mil toneladas.

A soja e o milho de Alagoas 3

                   Especificamente em relação à soja plantada ano passado no Estado, foram utilizadas 48 variedades, em ciclo precoce de 100 dias entre o plantio e a colheita. Foram obtidas em média de 2.600 kg a 3.165 kg por hectares. Em ciclos de até 120 dias a média supera os 3.000 kg por hectare. Foram plantados 400 hectares e colhidos no total pouco mais de 800 toneladas de soja no ano que passou. Foram utilizadas áreas em São Miguel dos Campos, Campo Alegre, Teotonio Vilela, Junqueiro e Porto Calvo. Quase todo o produto obtido foi exportado para a Rússia a R$ 98 a saca.

Triplicar negócios com Irã

                   O governo brasileiro projeta triplicar os negócios com o Irã em um prazo de cinco anos, após aquele país ter obtido a revogação das sanções comerciais impostas pelos Estados Unidos e pela União Europeia. Em 2015, o comércio bilateral entre Brasil e Irã foi de apenas US$ 1,67 bilhão, valor 30% inferior ao de 2011 antes do endurecimento das sanções e quando foi registrado o auge da balança entre os dois países, com US$ 2,37 bilhões, sendo mais de 98% representado por exportações brasileiras. A estimativa de triplicar os negócios foi manifestada pelo Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Armando Monteiro. Ele liderou uma missão com 33 empresários e entidades brasileiras em Outubro a Teerã, já de olho no mercado de 80 milhões de consumidores, represado por causa das sanções. Mas o Brasil não esta só nesta busca. Alemanha e França também estão trabalhando o mercado iraniano. No entanto o Brasil aposta na proximidade política que os dois países vem mantendo nos últimos cinco anos. Commodities como carnes, milho e soja representam mais de 98% dos produtos exportados pelo Brasil ao Irã e devem continuar sendo os líderes das exportações. Espera-se inclusive, que o Irã volte a figurar entre os cinco principais compradores da carne brasileira, mas também pode ser que seja possível incluir nas vendas a proteína animal, cereais, açúcares, produtos de confeitaria e ainda laticínios e lácteos, Também acredita-se na possibilidade de exportação de máquinas e equipamentos.

 

O Brasil, em Davos

                   O Ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, terá reuniões com altos executivos mundiais, principalmente de empresas multinacionais, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, nesta semana. Barbosa vai falar sobre as oportunidades de investimentos no Brasil e responder ás dúvidas dos executivos sobre a economia brasileira. Um dos encontros mais importantes, marcado para esta quinta feira (21), em local para 40 participantes, já estão inscritos 90 executivos. Essa é uma reunião fechada no Business Interaction Group on Brazil.

O Brasil, em Davos 2

                   Também na quinta, entre outras reuniões, o ministro da Fazenda participará de uma sessão aberta, com transmissão via internet, sobre como reativar a economia mundial. Também estará à mesa, em um almoço organizado pelo Banco Itaú, sobre as perspectivas para a América Latina em 2016. Desse encontro também participam 60 grandes executivos mundiais e o Presidente do Banco Central da Argentina. Na sexta feira, Nelson Barbosa participa de um painel com ministros de finanças de países latinos, tendo como tema central “O caminho para a resiliência socioeconômica”. O Ministro ainda terá diversas reuniões bilaterais com o FMI, com o BIRD e com vários ministros de outros países.

Caixa patrocina o CRB

                   A Caixa Econômica Federal publicou ontem, no Diário Oficial da União, os valores que pagará a título de patrocínio para 10 clubes de futebol do país. Da série A todos serão patrocinados. Da série B, até agora só o CRB será beneficiado com R$ 1 milhão. O Flamengo vai ganhar o maior valor: R$ 25 milhões. Atlético e Cruzeiro receberão R$ 12,5 milhões cada. Atlético PR e Coritiba (R$ 6 milhões), assim como Sport e Vitória. Chapecoense e Figueirense vão levar R$ 4 milhões cada.

 

  • O diretor de cinema Spike Lee, reconhecido mundialmente por sucessos como “Malcom X” e “Faça a coisa certa” anunciou que não vai á festa de entrega do Oscar este ano, porque não tem nenhum ator negro entre os 20 atores e atrizes entre os concorrentes.
  • A maior festa do cinema mundial acontece em Los Angeles, nos Estados Unidos, no próximo dia 28 de Fevereiro.
  • “Não quero desrespeitar os meus amigos Chris Rock (apresentador), a presidente Cheryl Boone, e a Academia que escolheu os concorrentes, mas como pode, pelo segundo ano consecutivo, todos os 20 candidatos na categoria de ator serem brancos?” disse o diretor.
  • O tema já havia causado polêmica nas redes sociais, quando várias pessoas também questionavam a falta de indicação de atores negros na disputa.
  • Spike Lee ganhou, em Novembro do ano passado, um Oscar honorário pelo conjunto da sua obra. Ele ficou conhecido e foi premiado por vários filmes independentes, alguns conhecidos mundialmente como os citados acima.