23 de dezembro de 2015

Mestre Graciliano Ramos, Mestre Aurélio Buarque de Holanda e os sentidos das pessoas.

Importante a ação realizada pela Prefeitura de Maceió com a colocação de estátuas dos Mestres alagoanos acima citados.

Figuras que precisam ser lembradas pelos alagoanos e outros brasileiros, pois na maioria das vezes só somos lembrados pelos políticos e seus maus feitos.

A distancia, as obras, realmente de arte, estão perfeitas. Porém temo pela longevidade das mesmas.

Aqui vou à busca dos sentidos dos seres humanos (homem ou mulher). São cincos os sentidos: visão, audição, paladar, tato e olfato.

Claro para ver as estátuas dos Mestres Graça e Aurélio acredito que só necessitamos da visão. Os outros sentidos não são necessários. Porém tenho visto que grande parte da população alagoana e de seus visitantes não consegue ver só com os olhos. Necessitam ver com o tato e às vezes com o paladar.

Explico. Necessitam tocar as estátuas. Necessitam beijar ou cheirar as mesmas. Não satisfeitos (as) colocam chapéus e óculos nas mesmas.

Temo então que em breve teremos os Mestres manchados e desbotados!

Que pena!

Ah. A Neurolinguística talvez explique as atitudes citadas. São pessoas dotadas de cinestesia. Ou seja. Só conseguem enxergar tocando. Ou melhor, só “falam” com outras pessoas se tocarem nas mesmas. Exibem uma intimidade imediata ao conhecer alguém. Logo chamam a pessoa por apelido e/ou com diminutivo.

Mesmo assim os Mestres em breve estarão manchados e desbotados.