Blog do Dresch

18 de dezembro de 2015

Sobre a invenção de motivos

                   Ao participar da 3ª Conferência Nacional da Juventude, em Brasília, a presidente Dilma Rousseff fez um dos mais inflamados discursos em defesa do seu mandato. Ao lado das lideranças jovens do país, Dilma disse que “jamais houve desvio” e que existe uma “invenção de motivos por parte daqueles que querem chegar ao poder assaltando a eleição direta” afirmou. Ela disse também que continua forme no seu propósito de continuar mudando o Brasil. Os participantes da Conferência interromperam o discurso várias vezes, com coros de apoio e pedindo a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Invenção de motivos 2

                   Disse ainda a Presidente do Brasil: “Neste momento, usando todos os instrumentos que o Estado Democrático de Direito me faculta, lutarei contra a interrupção ilegítima do meu mandato” afirmou Dilma, enumerando argumentos, que, segundo ela, comprovam que os que tentam interromper “o mandato popular conquistado legitimamente” não encontram razões consistentes para o impeachment. “É a falta de razão que chamamos de golpe. A Constituição prevê o impeachment, mas não prevê a invenção de motivos. Isso não esta previsto em nenhuma constituição”.

Invenção de motivos 3

                   Dilma Rousseff assinalou durante o seu discurso para os milhares de jovens, que os argumentos sobre as mudanças no orçamento não são consistentes, pois jamais houve desvio nenhum. Segundo ela, seus opositores oscilam entre “invenções e falácias porque não há como justificar o atentado que querem cometer contra a democracia”. Ela salientou ainda que sua biografia é inatacável. “Amo meu país e sou honesta. Além disso, não compartilho com velhas práticas políticas que muitos deles professam. O mais irônico é que muitos que querem interromper meu mandato têm uma biografia que não aguenta uma rápida consulta no Google” afirmou a Presidente.

Na mira de investidores

                   Mesmo com a forte crise econômica, as empresas brasileiras continuaram na mira dos investidores estrangeiros em 2015. Um levantamento da consultoria espanhola Transactional Track Record (TTR), mostra que até o último dia 15 o país registrou 272 operações em que companhias nacionais foram adquiridas ou se uniram a corporações do exterior, mantendo o nível dos negócios nos últimos dois anos. O valor envolvido nessas transações chegou a US$ 64,29 bilhões, superior aos US$ 63,95 bilhões registrados em 2014. As operações envolvem aquisições, fusões e joint-ventures e ainda entram no cálculo os recursos dos fundos de “private equity” que compram empresas, como explicou um dos diretores da TTR para o mercado brasileiro. Os estrangeiros mostram interesse principalmente em empresas das áreas de internet e tecnologia, que envolveram 76 operações (28% do total). Também tiveram boa aceitação empresas de distribuição e varejo, com 25 operações, e ainda consultoria, auditoria e engenharia com 23 negócios. Os americanos foram os que mais investiram no país, com participação em 91 transações e desembolso de US$ 28 bilhões. Compraram participações em empresas de internet, tecnologia, aviação, química e energia, entre outros. A empresa SunEdison, por exemplo, concluiu em Setembro a compra de 14 usinas eólicas e três pequenas centrais hidrelétricas na Bahia, que pertenciam a empresa brasileira Renova Energia. O investimento foi de US$ 1,5 bilhão.

 

Plantação de soja

                   Em fase experimental, Alagoas plantou 400 hectares de soja em 2015, dando o passo importante para o processo de diversificação agrícola no Estado. Na última semana foi apresentado o resultado do processo, que teve à frente técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O trabalho faz parte do Programa de Incentivo à Produção de Grãos e através dele se estabeleceu as perspectivas para o próximo ano. De acordo com o Secretário de Agricultura, Álvaro Vasconcelos, a expectativa do Governo é que haja um crescimento exponencial do plantio da soja em Alagoas.

Plantação de soja 2

                   Neste ano de 2015 foram produzidas 800 toneladas de soja, nos municípios de Porto Calvo, Campo Alegre, Junqueiro, Teotonio Vilela e São Miguel dos Campos. A estimativa para 2016 é que sejam plantados 2 mil hectares, com a criação em paralelo de três unidades de pesquisa, para garantir a sustentação técnica da produção de seja no estado. A perspectiva econômica desta alternativa agrícola é bastante otimista, uma vez que a maior parte da produção obtida em 2015 foi comercializada antecipadamente para a Rússia, por um preço bastante compensador de R$ 98 a saca.

Orgasmos noturnos

                   Um estudo realizado pela Universidade de Indiana apontou que 37% das mulheres de até 45 anos têm orgasmos durante o sono. Já todos os homens têm sonhos eróticos ao longo da vida, sendo que entre as mulheres isso acontece com 70% delas. 5% das mulheres afirmaram que tiveram o primeiro orgasmo durante o sono. Entre os homens, 13% tiveram a primeira ejaculação enquanto dormiam. Para o sexo feminino, os orgasmos noturnos são mais frequentes entre 40 e 50 anos. Para eles, o fenômeno é mais frequente na adolescência e reduz até os 30 anos. O estudo ouviu 11 mil pessoas que trataram sobre a vida sexual.

 

 

  • O governador Renan Filho concentrou suas visitas em Brasília a garantir o comprometimento das autoridades federais em viabilizar recursos para obras consideradas fundamentais para a integração e o desenvolvimento de Alagoas.
  • Foi assim como o Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, a quem o governador alagoano solicitou a liberação de verbas para a duplicação da AL 101 Norte, e também para a duplicação da rodovia que liga a Barra de São Miguel a São Miguel dos Campos.
  • Renan Filho também obteve o compromisso do Ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, para a liberação de recursos para obras de mobilidade urbana na capital e no interior do estado.
  • Obras importantes como o Viaduto da Polícia Federal, na parte alta de Maceió, que necessita de R$ 35 milhões para a sua construção.
  • E ainda a liberação de verbas para a pavimentação do trecho da BR 316 que liga Carié em Alagoas a Inajá em Pernambuco, único trecho desta rodovia que não é pavimentado.