15 de dezembro de 2015

Luxação.

Substantivo feminino. Deslocamento de dois ou mais ossos com relação ao seu ponto de articulação normal.

Pode ser também usado o termo para o deslocamento de determinados órgãos.

Principalmente nas transmissões esportivas ouvimos bastante os comentários acerca de traumas mais fortes como sendo uma luxação.

Então qualquer articulação pode sofrer uma luxação. É uma lesão seríssima, pois a perda da congruência articular requer uma correção imediata para prevenir maiores consequências no futuro. Claro que o retorno da articulação ao seu local de origem também irá fazer com que a dor desapareça imediatamente.

As luxações podem vir associadas também com fraturas de ossos que compõem a articulação. Exemplo: luxação do ombro com fratura da cabeça umeral; luxação do quadril com fratura do acetábulo; luxação de um dedo da mão com destacamento ósseo de uma falange. Etc. Podem ser abertas ou fechadas. E podem ter complicações quando atingem nervos e/ou vasos.

Quase sempre necessita de anestesia local ou geral, a redução da luxação.

Associada com fratura deverá ser realizada também a cirurgia corretiva da lesão óssea.

Uma luxação que não é comum, porém acontece e o plantonista da urgência deverá estar capacitado a resolvê-la imediatamente é a da articulação temporomandibular. Que é o queixo caído vulgarmente.

 

Sempre os profissionais posicionam o paciente sentado e com gases protegendo os polegares introduzem os mesmos até os terceiros molares e com pressão para baixo e para trás reduzem a lesão.

Fui agraciado por ter um “enfermeiro” no Hospital da Restauração Recife criado uma técnica excelente. Paciente deitado, sem anestesia. Profissional posicionado por trás da cabeça do mesmo. Pegando os ângulos da mandíbula com leve movimento para baixo  e para trás consegue sem dor, reduzir a lesão.