Blog do Dresch

10 de dezembro de 2015

Um novo Portal da Transparência

                   Alagoas dispõe agora de um novo Portal da Transparência, batizado de Graciliano Ramos. Essa ferramenta que possibilita o diálogo entre o cidadão e a administração pública, tem ainda o poder de combater a corrupção, como explicou a Controladora Geral do Estado, Maria Clara Bugarin. “Temos que dar transparência aos atos do governante, e aos gastos, com a correta demonstração das contas da administração pública para os cidadãos, que são os legítimos donos do Patrimônio Público” disse ela.

Portal da Transparência 2

                   Neste novo Portal, o cidadão poderá acessar informações sobre restos a pagar, restos já pagos, detalhamento da classificação orçamentária, subfunção, subtítulo, modalidade de aplicação, elemento e subelemento, informação sobre o patrimônio do Estado, informações sobre processos licitatórios, detalhes dos contratos e execução orçamentária completa (Empenho, Liquidação e Pagamento). A nova versão também cumpre as exigências da Lei do Acesso à Informação, possibilitando ao cidadão acessar o Portal no endereço transparencia.al.gov.br.

Larvicida em carros-pipa

                   O governo federal decidiu utilizar larvicida nos carros-pipa que transportam água para os municípios atingidos pela seca em Alagoas e em todos os estados da região Nordeste. O anúncio foi feito pelo Ministro da Saúde, Marcelo Castro que explicou ainda que o objetivo da ação é destruir as larvas do mosquito Aedes aegypti. Segundo o ministro, esta será a “ação principal” a ser feita pelo ministério a partir de agora, visando combater o mosquito antes mesmo que ele nasça. “As pessoas acumulam água reservada em vasilhame para usar, e esses vasilhames estão sendo hoje, no Nordeste, o criadouro principal dos mosquitos. A campanha esta centrada em não deixar o mosquito nascer” afirmou Castro. A ação foi anunciada logo após a reunião com a presidente Dilma Rousseff e 25 representantes dos estados e do Distrito Federal, governadores e vices, para discutir o assunto. Durante o encontro, foi discutida a importância do envolvimento de cada uma das pessoas no enfrentamento ao mosquito e a preocupação com as gestantes para que não sejam picadas. Na última semana, o Ministério da Saúde confirmou a relação entre o vírus e os casos de microcefalia em crianças, que aumentaram significativamente nos últimos meses. Já foram notificados 1.761 casos suspeitos da doença em 422 municípios brasileiros. Ficou acertado ainda que Brasília comandará um centro de controle da doença, com representantes em todos os estados para facilitar a comunicação sobre o vírus e para obter mais eficácia no combate á doença e ao seu transmissor.

 

A propina de Delcídio

                   O ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró revelou aos procuradores em sua delação premiada, que o senador Delcídio Amaral (PT-MS), recebeu propina de US$ 10 milhões da multinacional Alstom durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) entre 1999 e 2001, segundo reportagem do jornal Folha de São Paulo. Na oportunidade, Cerveró era um dos gerentes da Diretoria de Óleo e Gás da Petrobrás, comandada por Delcídio. “O pagamento de propina ocorreu na compra de turbinas para uma termelétrica que seria construída no Rio, a TermoRio, por US$ 550 milhões” afirma a reportagem, salientando que a Petrobrás tinha pressa em construir termoelétricas por causa do apagão ocorrido no governo FHC entre 2001 e 2002.

A propina de Delcídio 2

                   O repasse de US$ 10 milhões ao senador teria sido feito através do lobista Afonso Pinto Guimarães, responsável pelos interesses da Alstom no Rio, segundo relato de Cerveró. Procurada, a Alstom, que vendeu sua divisão de energia para a GE, não comentou o assunto. A GE afirmou que “não comenta as especulações e reforça seu compromisso com a integridade e o cumprimento das leis”. Acusado de tentar obstruir as investigações da Lava-Jato, o senador Delcídio Amaral foi preso no dia 25. Ele havia prometido dinheiro a Cerveró para que seu nome não constasse da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás.

Crise na TV paga

                   Assim como diversos setores da economia, a crise também chegou a TV paga no Brasil. O setor esperava por um processo de estagnação em 2015, mas não contava com a retração da economia em geral. No inicio do ano o setor da TV por assinatura tinha 19,65 milhões de assinantes, mas os números começaram a cair. Segundo os dados mais recentes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostram que em Outubro o número de assinantes passou para 19,39 milhões. A crise fez com que muitas famílias adiassem a compra de novos pacotes. Soma-se a isso um crescimento da inadimplência.

Crise na TV paga 2

                   No comparativo com anos anteriores, o setor havia crescido 8,7% no ano passado e chegou a dobrar entre 2010 e 2014. Para a Associação Brasileira de TV por Assinatura, a chegada de equipamentos como o Netflix, não interfere no crescimento do setor. A expectativa é de que a situação pode complicar ainda mais em alguns estados (15 e no Distrito Federal), onde haverá um aumento da alíquota do ICMS que passará de 10% para 15%. Esse reajuste da carga tributária é uma das grandes preocupações para 2016 segundo a Associação representativa do serviço.

 

  • Detida por não portar o documento de porte obrigatório do veículo, e por apresentar sinais de embriaguez, a esposa do jogador Dênis Marques, Elisângela Francisca dos Santos, de 29 anos foi protagonista de um grande barraco na Central de Flagrantes da Polícia Civil.
  • Ela havia batido o seu Camaro Amarelo em dois veículos na Av. Juca Sampaio, no Barro Duro, e ao ser conduzida para a Central, detratou os policiais do Batalhão de Policiamento de Trânsito e demais servidores.
  • Foi liberada após a chegada de seu advogado, pagando fiança pelo crime de trânsito cometido. Mas até na saída, ainda muito exaltada, continuou ofendendo os policiais presentes no local.
  • Ainda no feriado de 8 de Dezembro, vale salientar que as comemorações em homenagem a Nossa Senhora da Conceição e no sincretismo religioso a Iemanjá, a orla de Maceió, e as igrejas católicas estiveram lotadas.
  • Assim como não cabia mais gente nos shopping centers (que crise?), nos supermercados, nos hipermercados, nas grandes lojas e até no centro da cidade, no período da manhã o movimento e o consumo eram enormes.