Blog do Dresch

13 de novembro de 2015

O século da Teoria da Relatividade

                   Em novembro de 1915, há exatos cem anos, que o jovem Albert Einstein apresentava à Academia Prussiana de Ciências, a equação mais célebre do mundo: a Teoria da Relatividade Geral, que revolucionou a imagem do universo e em pouquíssimos anos, fez com que o cientista alemão se transformasse em destaque da física mundial. Em 1905, Einstein publicou sua primeira teoria, a da Relatividade, que estabelecia que tempo  e espaço não são absolutos, mas variam de acordo com o referencial. Em 1915, o físico apresentou a Teoria da Relatividade Geral, onde mostrou que a gravidade distorce o tempo-espaço, modificando a Teoria de Newton, que considerava o espaço e o tempo como elementos imutáveis.

Um século de Einstein 2

                   Com a linguagem da matemática, Einstein descreveu a gravidade como a curvatura do espaço-tempo, ou seja, ao modo no qual a matéria deforma o espaço-tempo e este último determina o modo no qual a matéria pode mover-se em seu interior. A popularidade do físico veio pouco tempo depois, quando a sua tese rodou o mundo e se consolidou em 1921 com a primeira tradução da teoria para o italiano, editada por Rafaelle Contu. Depois disso e até nos dias atuais, a relatividade já foi confirmada por incontáveis testes, restando dúvidas apenas em pequenas questões, como a existência de ondas gravitacionais, ou seja, as oscilações do espaço-tempo geradas por fenômenos cósmicos muito violentos.

Homicídio entre crianças

                   A Chacina ocorrida no último final de semana em Guaxuma, chocou Alagoas por apresentar como vitimas, além dos pais, duas crianças de 2 e 9 anos mortos a golpes de arma branca e outro de 5 anos ferido na cabeça. Pois bem. Nos Estados Unidos, no estado do Alabama, um menino de 8 anos esta sendo indiciado por matar, por espancamento, uma menina de apenas um ano de idade. A polícia local concluiu que o menino espancou Keici Lewis de 1 ano por que esta não parava de chorar. A mãe da menina saiu com uma amiga para uma casa noturna e deixou seis crianças em casa, o mais velho delas com 8 anos. Agora, a mãe, Katerra Lewis, de 26 anos, vai responder por homicídio culposo. No Alabama, não existe idade mínima para o indiciamento por homicídio. O garoto já esta com um mandato de prisão e aguarda a prisão em uma agência de proteção à infância. Outra criança que estava na casa, de seis anos, contou os detalhes do espancamento para a polícia e sua versão bate com os ferimentos apresentados pelo bebê. A criança sofreu forte traumatismo craniano e danos em vários orgãos internos, segundo o laudo apresentado pelos legistas locais. O caso de Lewis chocou a cidade de Birmingham, onde, segundo a polícia, nunca se processou uma criança tão jovem por assassinato. O estado do Alabama, segundo a renda per capita americana, é o estado mais pobre da federação, e foi um dos berços da luta pelos direitos civis, que combateu a segregação racial nos anos 60.

 

Querosene mais barata

                   O Governo do Estado concedeu ontem pela manhã a redução da alíquota do querosene de aviação, cobrada em Alagoas. Esse sempre foi um pleito do segmento turístico, uma vez que abre as possibilidades de incrementar o fluxo turístico no estado. A solenidade aconteceu no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, e contou com a presença do governador Renan Filho, da secretária Jeanine Pires, autoridades fazendárias e executivos da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, que é a primeira empresa a operar voos neste regime, em Alagoas.

Querosene mais barata 2

                   O custo com combustível representa cerca de 35% do valor gasto pelas companhias aéreas com seus voos. E a redução concedida pelo governo alagoano de 17% para 12% permitirá a adoção de novas linhas de outras capitais nordestinas para Maceió e forma bem mais competitiva. A Secretária Jeanine Pires destacou que o interesse do governo é proporcionar ás companhias aéreas diferenciais competitivos, que venham a gerar receita para o estado. No caso da redução da alíquota, o governo atendeu às demandas do setor empresarial sem nenhum tipo de impacto negativo na arrecadação estadual, explicou ela.

Sobre o direito de resposta

                   Um fato que sempre gerou problemas para a imprensa brasileira em geral é o chamado direito de resposta. Agora a Presidente Dilma Rousseff sancionou uma nova lei, que regulamenta o direito, assegura ao ofendido em matéria divulgada, publicada ou transmitida por veículo de comunicação social o direito de resposta ou retificação “gratuito e proporcional ao agravo”. Apenas foi vetado pela Presidente, possibilitar ao ofendido, dar a resposta ou fazer a retificação pessoalmente (em TV ou rádio), uma vez que isso não teve critérios definidos pelo Congresso. Mas a retificação em geral foi mantida.

Sobre o direito de resposta 2

                   A nova lei estabelece que o direito é garantido, quando houver equívoco de informação contra a honra, a intimidade, a reputação, o conceito, o nome, a marca ou imagem de uma pessoa física ou jurídica identificada ou passível de identificação. As pessoas ofendidas terão 60 dias para pedir a retratação ou retificação da informação e o veículo terá sete dias para garanti-la. A resposta deverá ter as mesmas características de destaque, publicidade, periodicidade e dimensão da matéria ofensiva, se publicada em mídia escrita ou internet. Nas televisões e emissoras de rádio, a retratação também deverá obedecer às mesmas características da matéria ofensiva, como duração e alcance territorial.

 

 

  • O Tribunal Regional Federal do Distrito Federal determinou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exclua pelo prazo de 10 dias o THC, componente da maconha, da lista de substâncias proibidas no país.
  • O Juiz Federal Marcelo Rebello, também determinou que a Anvisa e que o Ministério da Saúde autorizem e fiscalizem pesquisas científicas da “cannabis sativa” e de quaisquer outras espécies e variedades da cannabis e outros produtos obtidos a partir da planta.
  • O Magistrado acatou em caráter liminar parte do pedido do Ministério Público Federal, ajuizado no ano passado.
  • Os derivados da maconha têm sido usados no mundo todo no tratamento a determinadas doenças graves, como epilepsia refratária, doença de Parkinson e esclerose múltipla.
  • A decisão significa um avanço no Brasil para o uso de derivados da maconha, mas vale salientar que a liberação é exclusiva para fins medicinais.
  • A discussão sobre a liberação da droga para outros fins, inclusive entretenimento ainda deve ser analisada, discutida e aprovada pelos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.