5 de novembro de 2015

Banheiros públicos, praças, parques e ciclovias.

Estava eu no final de semana revendo a capital pernambucana, Recife, também chamada de Veneza brasileira. (A distância é muito grande para a comparação!).

Formei em Recife. (cidade pequena, porém decente, dizia um locutor da rádio clube de Pernambuco). Rádio essa que tinha um slogan que dizia: PRA8 rádio clube de Pernambuco falando para o mundo! Fiz medicina então na UPE hoje. Antigamente Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco. Fazem 43 anos.

Gosto da metrópole. Enfim, apesar de tudo que temos de bonito na nossa orla, Maceió ainda é uma cidade provinciana. Se não vejamos.

Banheiros públicos. Matéria exibida por um canal de TV local. Não temos na orla. Em Recife existem há muitos anos e cada vez com melhor apresentação e higiene.

A matéria reclamava e sugeria banheiros químicos! Não. Temos que ter locais apropriados e fixos, pois a nossa capital é sim um grande destino turístico! E os bares e restaurantes não podem arcar com o serviço que é da prefeitura. Estão muito certos os mesmos em cobrar para o uso do sanitário. Se alguém acha estranho que faça uma viagem à Europa. Lá em Portugal, Espanha, Itália, França, etc. o sanitário de um bar ou restaurante, só pode ser usado caso haja consumo ou custa alguns euros.

Outro detalhe que chama a atenção já algum tempo em Recife. Seja você um adepto da atividade física ou não, a capital maurícia tem praças e parques como o da jaqueira, para a população se movimentar.

Não bastando, todos os domingos e feriados, existe a presença de ciclo faixas que são definidas por cones plásticos com guardas de trânsito nos cruzamentos. Ciclo faixas por praticamente toda a cidade para que a população use a bicicleta de sua propriedade, alugada a terceiros ou a um banco. Acredito que dentro de poucos anos o nível de obesidade na capital pernambucana seja um dos menores do país.