Blog do Dresch

17 de outubro de 2015

Para o BNDES a crise é transitória

                   O Presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou em entrevista ao jornal Lês Echos, de Paris, que apesar da magnitude da atual crise e a pressão sobre a presidente Dilma Rousseff, o povo brasileiro vai ficar bem. Para ele “a crise é um fenômeno transitório e a economia começará a se recuperar a partir do próximo ano”. Coutinho reconhece as incertezas da economia e da recessão, caracterizadas por um crescimento negativo de 3% e 1% em 2016, inflação de 9,4% e com a dívida pública se aproximando a 70% do PIB, segundo o FMI. Para ele, o declínio das pressões inflacionárias no próximo ano deve abrir caminho para uma baixa nas taxas de juros, atualmente em 14,25% ao ano.

Crise é transitória 2

                   Para o presidente do BNDES, “o Brasil esta passando por um período difícil, mas ainda há muitas razões para ter esperança em termos econômicos” diz ele. Na opinião de Luciano Coutinho, será possível solucionar a crise política, concluir com êxito a fase de ajustes e retomar o caminho do desenvolvimento. Ele vê aspectos positivos até no rebaixamento da agência da Standard & Poors sobre a confiança de investimentos no país e na rejeição das contas do governo pelo Tribunal de Contas da União. “Podem ser um catalisador para o governo encontrar um fator de coesão no seu direcionamento” justificou o presidente do BNDES.

Contra o impeachment

                   O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu esta semana a bancada do PT na Câmara e exigiu dos parlamentares uma posição “firme e contundente” contra as investidas da oposição para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Na reunião, ocorrida na quinta feira á tarde, o ex-presidente orientou a bancada a partir para o enfrentamento com a oposição. O líder do partido na Câmara, deputado Sibá Machado (AC) disse que a ordem é não deixar a oposição sem resposta. “Eles não vão levar o golpe na caneta” disse o líder. Para ele é vexatória a tentativa de alguns partidos de querer afastar a presidente por causa das chamadas pedaladas fiscais. Ele defendeu a prática do governo, porque foi garantido o pagamento de benefícios sociais, como o Bolsa-Família. Lula disse aos deputados petistas para não tratar o tema “impeachment” como brincadeira. Segundo ele, o partido vai se arregimentar para o embate que for necessário com a oposição, além de envolver a sociedade e os movimentos sociais no tema. O ex-presidente também negou que tenha vindo a Brasília para costurar um acordo com o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para que ele não leve adiante o pedido de impeachment feito pela oposição. Também não existe qualquer orientação para que a bancada do PT atue na Comissão de Ética de modo a blindar Cunha na representação protocolada pelo PSOL e Rede Sustentabilidade para afastá-lo da presidência da Câmara.

 

Programa de alevinos

                   Reativado desde Abril deste ano, o Programa de distribuição de Alevinos do Governo do Estado já beneficiou 1.360 famílias carentes em 40 municípios. Para estes produtores foram doados 790.360 alevinos de tilápia, tambaqui e curimatã. O trabalho é desenvolvido através da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura em parceria com a Codevasf e serve de incentivo à aquicultura em açudes e barragens comunitárias no Estado. Além disso, a Secretaria mantém ainda 17 módulos de tanques-rede em todas as regiões, beneficiando a 20 famílias cada um.

Curió confessa crimes

                   Em mais de dez horas de depoimento prestado à Justiça Federal, Sebastião Rodrigues de Moura, o “Major Curió”, confessou que matou dois prisioneiros da Guerrilha do Araguaia, no inicio da década de 70, durante a ditadura militar. Ele chegou a indicar onde estão os restos mortais dos dois militantes, até hoje não localizados nas expedições iniciadas nos anos 90. Na presença de advogados e parentes das vitimas, o militar, que na época era capitão e principal algoz da Guerrilha do Araguaia, revelou ter assassinado os guerrilheiros Antonio Theodoro Castro, conhecido por “Raul”, e Cilon Cunha Brum, o “Simão”. Alegou que a dupla tentou fugir e foi abatida a tiros e que não houve uma execução.

Curió confessa crimes 2

                   Curió relatou ainda á Juíza Solange Salgado da 1ª Vara Federal de Brasília, que sempre cumpria ordens do seu superior, então tenente-coronel Leo Frederico Cinelli, do Centro de Informações do Exército. Este oficial esta vivo e mora em Brasília. Embora amparado pela anistia, as revelações do depoimento vão nortear várias decisões da Justiça sobre a busca de desaparecidos e desencadear mudanças em algumas decisões. Curió foi o mais temido militar na região do Araguaia durante a ditadura. Ganhou fama e as patentes de Major e tenente-coronel. Chegou a comandar o garimpo de Serra Pelada e fundou uma cidade no Pará com o nome “Curionópolis”.

Leite em pó alagoano

                   A partir do próximo ano, Alagoas vai passar a produzir leite em pó, com os novos equipamentos adquiridos pela Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA). Os equipamentos serão montados pela empresa Globo Lat e terão uma capacidade de 160 mil litros de leite por dia, para uma produção equivalente de 1.000 quilos por hora de leite em pó da melhor qualidade e a um preço mais acessível. Com os equipamentos em funcionamento a CPLA vai absorver a produção de leite da região estimulando o produtor a dobrar a quantidade de leite por dia.

 

  • A jornalista Christiane Pelajo deixou em definitivo a bancada do Jornal da Globo, onde estava há exatos dez anos. O lugar foi assumido por ela em 2005 quando da saída da jornalista Ana Paula Padrão para o SBT.
  • De acordo com o diretor-geral de Jornalismo das Organizações Globo, Ari Kamel, Pelajo deixou o JG por motivos pessoais e também pelo horário, considerado como inadequado por muitos profissionais.
  • A jornalista permanecerá na emissora, assumindo um novo projeto da casa, que deverá ser anunciado em breve, segundo o diretor.
  • A saída de Christiane Pelajo da bancada do telejornal noturno não deverá alterar o formato do mesmo nem a linha editorial que é um dos diferenciais do Jornal da Globo.
  • A apresentação ficará entregue ao jornalista William Waack como âncora do telejornal.