Blog do Dresch

15 de outubro de 2015

Marina critica uso político da crise

A luta pelo mandato

                   Ao discursar na abertura do Congresso da CUT, no Centro de Convenções do Anhembi, na noite da última terça feira (13), a Presidente Dilma Rousseff criticou seus opositores e aqueles que querem o seu impeachment. “Quem tem força moral, reputação ilibada e biografia limpa suficientes para atacar minha honra?” indagou ela, para delírio da plateia de trabalhadores. “Lutarei para defender o mandato que me foi concedido pelo voto popular, pela democracia e por nosso projeto de desenvolvimento” disse a presidente. “O golpe que os inconformados querem cometer, é, mais uma vez também, como sempre foi neste país, um golpe contra o povo. Mas pode ter certeza que não vão conseguir. Não irão conseguir” acrescentou. Entre os convidados do Congresso estavam o ex-presidente Lula, o ex-presidente e atual senador pelo Paraguai, José Mujica e o presidente do PT, Rui Falcão. Para a Presidente, os pedidos de impeachment não qualquer materialidade: “Querem criar uma onda que leve, de qualquer jeito, ao encurtamento do meu mandato, sem fato jurídico, sem qualquer materialidade”. Para Dilma “o que antes era inconformismo, agora se transformou no claro desejo de retrocesso político”. Ela também lembrou que muita coisa esta sendo feita pelo governo. “Estamos criando 1 milhão e 300 mil vagas no Pronatec, para trabalhadores e estudantes. Entregamos 280 mil moradias e até o fim do ano serão 360 mil moradias. Mantivemos a política do salário mínimo até 2019 e estamos protegendo os trabalhadores do impacto da crise” disse a Presidente.

O uso politico da crise

                   A ética, a responsabilidade de todos para sair da crise política e econômica e a necessidade de se definir os rumos do país, foram os temas abordados pela ex-senadora e ex-Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, durante ato oficial da bancada do Rede Solidariedade. O recado foi para alguns integrantes do partido sobre como a sigla vai se posicionar em relação ao pedido de impeachment da Presidente Dilma Rousseff e do presidente da Câmara os Deputados, Eduardo Cunha. “Não se deve fazer uso da crise em benefício próprio” disse Marina aos companheiros do Rede.

O uso politico da crise 2

                   Como fundadora do partido, a ex-senadora considera que a situação do país deve ser avaliada com muita responsabilidade, já que é “uma situação inédita”. Segundo Marina Silva “não podemos ter dois pesos e duas medidas. O momento não é de produzir frases de efeito, e sim, de olhar com serenidade e responsabilidade para tudo que esta acontecendo. Não estou na cadeira cativa de candidato à Presidência”. Para ela, o momento é delicado e exige dos políticos que procurem ganhar a confiança das pessoas e se debrucem para ajudar a resolver a crise. “O momento é de se resolver a crise e nunca instrumentalizar a crise”. Por enquanto a Bancada do Rede é composta de seis parlamentares (um senador e cinco deputados), além de um deputado estadual e nove vereadores, entre eles Heloísa Helena, de Maceió.

Recursos para escolas

                   As escolas da rede pública estadual receberam um crédito suplementar do governo de Alagoas, até que os recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola sejam repassados pelo Governo Federal. A liberação da verba, no valor de R$ 1,8 milhão foi feita pela secretária em exercício da educação, Laura Souza, no último dia 9. O valor poderá ser utilizado pelas escolas para atividades de custeio, como aquisição de bens e materiais de consumo (limpeza, expediente e papelaria) e contratação de serviços que porventura sejam necessários na unidade escolar.

Contas proliferam na Suíça

                   Procuradores do Ministério Público de Lausanne, na Suíça, confidenciaram a jornalistas brasileiros, que ainda existem mais de cem contas congeladas que não tiveram os nomes de seus titulares brasileiros divulgados, e que o volume movimentado poderia chegar a R$ 1 bilhão. E o intercâmbio de informações entre o MP de lá, com o MP daqui é o melhor possível. Os suíços iniciaram as investigações sobre os ex-diretores da Petrobrás no final de 2013. Desde então centenas de páginas de extratos bancários e movimentações diversas foram enviadas ao Brasil complementando as investigações dos procuradores brasileiros e trazendo novos conteúdos comprobatórios.

Contas proliferam na Suíça 2

                   As autoridades suíças dizem que ainda existem muitos detalhes a serem revelados, principalmente nestas mais de cem contas bloqueadas e agora investigadas. Segundo eles, diversos operadores criaram uma rede complexa de empresas de fachada, fundos abertos em paraísos fiscais e camuflaram seus nomes para dificultar a busca de informações. Graças a este trabalho mais de R$ 390 milhões foram repatriados ao Brasil, mas o valor ainda é considerado pequeno, perto de tudo o que ainda esta por vir. Só o que já foi confiscado atinge US$ 400 milhões ( mais de R$ 1,5 bilhão) sem falar no que ainda não chegou a ser descoberto. E ainda deve ter muita coisa surrupiada daqui, por lá.

Equipamentos inteligentes

                   A Microsoft lançou novos equipamentos tecnológicos considerados inteligentes, para competir com a Apple e a Samsung, como um celular top de linha, um tablet e uma pulseira inteligente. A empresa acredita que a receptividade é a melhor possível. Foram lançados o Lumia 950 e o Lumia 950 XL com câmera de 20 mega pixels e mecanismo de reconhecimento de voz Windows Hello. Também esta no mercado o Surface Pro 4 um laptop de 13 polegadas mais rápido do mundo, com performance duas vezes superior aos concorrentes. E ainda a pulseira Band 2, com tela curva e com assistente pessoal Cortana.

 

 

  • Com a utilização de mais 130 reeducandos para a prestação de serviços na Secretaria da Fazenda, chega a 400 o número de custodiados que trabalham em várias instituições estaduais.
  • Atualmente existem 18 convênios firmados com instituições públicas e privadas, como a Casal, Universidade Federal de Alagoas, Secretaria de Segurança Pública, Corpo de Bombeiros, Defensoria Pública, Perícia Oficial e agora a Secretaria de Estado da Fazenda.
  • Pelo trabalho, os reeducandos ganham a remissão da pena (cada três dias de trabalho reduz um dia da pena), além do pagamento de um salário mínimo, e o pagamento do transporte.
  • A utilização desta mão de obra faz parte do projeto de ressocialização e de inclusão do custodiado á atividade profissional com responsabilidade.
  • Dentro da política de convívio social, a oportunidade de trabalho é um dos fatores mais importantes, porque quebra o preconceito da sociedade quanto ao reeducando.
  • Todos os custodiados que participam dos convênios firmados, estão em regime aberto ou semiaberto do sistema prisional alagoano.