Olívia Cerqueira

14 de outubro de 2015

Fé e emoção marcam celebração a nossa Senhora Aparecida em União dos Palmares

Por João Paulo Farias – Ascom

Católicos e religiosos de matrizes Africanas celebraram na tarde desta quinta-feira, 12, as margens do rio Mundaú, em União dos Palmares, uma missa em homenagem a padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

O ato foi presidido pelo padre José Clerinaldo, pároco do município e contou com as presenças de religiosos do Grupo Espírita Santa Bárbara – Guesb, em Maceió, coordenado pela Ialorixá Mãe Neide Oyá D’Oxum, religiosos do distrito de Rocha Cavalcante, sob a coordenação da Mãe Maria Cícera, quilombolas da comunidade Muquém e população em geral.

Durante a missa o padre José Clerinaldo, destacou que essa celebração é um momento de união e de respeito às religiões. “Hoje é o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do nosso país e estou muito feliz de estar aqui nesse espaço pregando o amor de Deus e celebrando Maria, nossa mãe”, disse.

Emocionada, a Ialorixá Mãe Neide, ressaltou a importância da união entre a Igreja Católica e religião de Matriz Africana para tornar o Brasil um país mais laico. “Eu quero pedir pra Nossa Senhora Aparecida para que a gente tenha um país mais laico, que tenha a mesa farta para nossas crianças e nossas famílias, mais escolas, saúde e cidadania. E que a gente, todos  irmãos de um só pai, o nosso criador, pra quer pregar a guerra santa? O nosso inimigo não está nas nossas igrejas, vamos nos unir no amor de Deus”, disse.

Ainda em sua fala, a religiosa disse que esse evento é a realização de um sonho. “Eu tenho um sonho, e ele está se realizando, que é esse ato de hoje, quero muito que os padres, os babalorixás, as ialorixás, os pastores e todos os chefes de religiões, pregassem os dez mandamentos, principalmente aquele que diz: amar ao próximo como a si mesmo”, concluiu.

O prefeito Beto Baía, acompanhou a celebração ao lado da primeira dama, Conceição Baía e o secretário geral de Administração, Francisco Viana. “Esse momento representa algo muito especial, que é celebrar a padroeira do Brasil, nesse sincretismo religioso, mostrando que Deus é um só e não poder haver mais o preconceito entre religiões”, destacou o gestor. 

Após a missa, os religiosos se dirigiram ao rio Mundaú, onde depositaram as oferendas de flores, ao som dos atabaques, num momento de muita emoção, fé e pedidos de paz, prosperidade, saúde e força para os religiosos e a população do município.