Blog do Dresch

14 de outubro de 2015

A hora e a vez do empreendedor

                   Com uma programação bastante interessante e diversificada, com palestras gratuitas e excelentes opções de cursos e oficinas, começa hoje (14) até o Sábado 17, a 7ª Feira do Empreendedor, no Centro de Convenções, em Jaraguá. Confirmadas as palestras do Maestro João Carlos Martins, às 20h de hoje no Teatro Gustavo Leite, e ainda do jornalista da Rede Record, Paulo Henrique Amorim, do administrador Carlos Ferrari (ambas na quinta), do apresentador (do SBT) e escritor Arlindo Grund, da jornalista da CBN Mara Luquet, do consultor de marketing Cláudio Tomanini, da Monja Zen Budista Heishin Granda e do cantor e compositor Gabriel, o Pensador. A Feira é promovida pelo Sebrae de Alagoas.

Feira do Empreendedor 2

                   A Feira é realizada de dois em dois anos percorrendo de forma cíclica todas as regiões do país. Em Alagoas, desde a primeira edição que a Feira é sucesso absoluto e sempre com a participação de empresários, empreendedores, universitários, gestores, políticos, autoridades e demais integrantes da sociedade como um todo. O evento tem a intenção de proporcionar negócios, informações, capacitações, serviços para abertura de empresas e gestão. Em Alagoas a Feira já foi visitada por mais de 60 mil pessoas, e reuniu mais de 400 expositores de todo o país. São parceiros da Feira, o Governo de Alagoas, a Prefeitura de Maceió, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Correios, Faculdade Tiradentes, Federação das Indústrias, Federação das Associações Comerciais, Sistema Fecomércio e muitos outros.

Cada um com sua crise

                   Um olhar um pouco mais atento do cidadão alagoano e maceioense, neste feriadão recém-terminado dedicado à Padroeira do Brasil, permite uma avaliação da situação do país e de Alagoas. Mas cada um com a sua crise, ou o que dela se entende. Em função do Dia das Crianças, mais uma daquelas invenções comerciais bem típicas do brasileiro, as lojas do centro da cidade estavam cheias desde a quinta ou sexta feira. No Sábado era difícil circular pelas ruas do antigo calçadão, mesmo com os lojistas se queixando de prejuízo nas vendas. Os supermercados e hipermercados na capital apresentavam, principalmente nos caixas, filas gigantescas sempre com carrinhos carregados de mercadorias. Os hotéis trabalharam com uma ocupação hoteleira topada. As dezenas de milhares de leitos ficaram ocupados (segundo a própria Associação Brasileira de Hoteis em Alagoas) em todo o feriadão. Uma espécie de altíssima temporada em pleno inicio de Outubro. E não somente em Maceió. Isso vale para Maragogi e demais cidades do Norte e do Sul do Estado. Nos shopping centers da capital era difícil caminhar pelos corredores, muito menos entrar nas lojas. Nem no estacionamento havia vagas, como no final da tarde de Sábado, por exemplo. Nos cinemas instalados nos três maiores centros de compras, as sessões seguiam o mesmo ritmo: sempre cheias. Nas barracas da orla, conseguir uma mesa era uma disputa, pelo menos nas maiores delas. Isso valia também para o Francês, Barra de São Miguel e Paripueira. Ainda tivemos um show nacional com milhares de pessoas cantando e dançando com Luan Estilizado, Samira e As Coleguinhas. É essa crise que não nos deixa em paz?

 

É muita cerveja

                   As negociações vinham sendo conduzidas há algumas semanas e parece que chegaram a um denominador comum. Assim a Anheuser-Busch (AB InBev) adquiriu a SABMiller por 68 bilhões de libras (US$ 104,5 bilhões). O negócio une as duas maiores cervejarias do mundo. No inicio desta semana o Conselho da SABMiller recomendou de forma unânime a seus acionistas, aceitar a proposta do grupo Belga-Brasileiro a pagar 44 libras por ação. Para a concretização do negócio ainda é necessário o aval do comitê britânico de fusões e aquisições.

É muita cerveja 2

                   A união das duas maiores cervejarias do mundo formaria um grupo avaliado em US$ 245 bilhões e aumentaria a distância para as números 3 e 4 do mercado, a holandesa Heineken e a dinamarquesa Carlsberg. O novo gigante venderá uma em cada três cervejas consumidas no mundo. No Brasil a Anbev detém quase 70% do mercado, com as marcas Skol, Antártica e Brahma. Entre as principais marcas globais da SABMiller estão a Peroni, Pilsner Urquell, Grolsch, Miller e Coors. A nível global a Anbev fabrica as marcas Budweiser, Stela Artois e Corona. Juntas as duas cervejarias produziriam 615 milhões de hectolitros de cerveja, quase o dobro da fatia combinada da Heineken e Carlsberg que é de 315 milhões hectolitros.

Nova colheita de soja

                   A primeira colheita aconteceu em Campo Alegre há 10 dias. Agora foi a vez da região Norte do Estado iniciar a colheita de soja na Fazenda Surubana, em Porto Calvo. Foi na sexta feira (9), em uma área de 40,7 hectares cuja produção seguiu para o exterior, pesando a favor da nossa balança comercial. Todo este trabalho é resultado do processo de diversificação da produção agrícola alagoana. Por isso a produção de milho e soja começa a dar os primeiros resultados e isso deve crescer consideravelmente a partir da próxima safra, uma vez que os exemplos de Campo Alegre e Porto Calvo devem ser estendidos a outras áreas agrícolas do estado.

Nova colheita de soja 2

                   A diversificação da produção tem ainda outro fator preponderante: a ambiental, como explica o Coordenador Estadual do programa de Incentivo á Produção de Grãos no Estado, Hibernon Cavalcante: “a escolha da soja tem aspecto financeiro e ambiental. Isso é devido à necessidade de adubação hidrogenada do solo para a cana-de-açúcar, feita com máquinas que utilizam combustível fóssil. A produção de grãos em áreas mecanizadas, otimiza a quantidade de nitrogênio para adubar a cana, reduz os gastos e diminui a emissão de gases do efeito estufa” explicou.

 

  • Moradores da antiga Rua Graciliano Ramos, em Jaraguá estão indignados com a mudança no nome de batismo da referida artéria.
  • Ela passou a se chamar Rua Juca Nunes, confirme consta nas correspondências que chegam aos moradores e até mesmo no carnê do IPTU, o que caracteriza a mudança com o aval da Prefeitura.
  • Os moradores querem explicações do setor de cadastro da municipalidade e sem qualquer demérito para o cidadão que empresta seu nome, garantem que não foram consultados sobre a modificação.
  • As pilhas ou as baterias das máquinas de calcular dos lojistas devem estar fracas ou esgotadas, porque ninguém se convence de que o comércio teve um “baita prejuízo” como eles alegam nas vendas do Dia das Crianças.
  • As lojas do centro da cidade estavam lotadas e as dos shopping centers (de todos eles, sem exceção) não cabiam ninguém.
  • Além disso, aposentados e pensionistas acabaram de receber a pensão mensal mais a metade do décimo. Servidores do Estado e da Prefeitura tambem receberam seus salários normalmente.
  • Os lojistas podem não terem obtido um aumento de 15% a 20% nas vendas como nos anos anteriores, mas dizer que trabalharam no prejuízo, não convence ninguém.