Flávio Gomes

10 de outubro de 2015

Um ocaso de governo

Do jornalista Ricardo Noblat, “… Ao suceder Lula, Dilma planejara livrar-se da sombra malévola do PMDB. Deu vários passos nesse sentido. Um deles, ao convocar para seu lado o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Kassab montara um partido, o PSD, para acolher políticos do PMDB e de outros partidos dispostos a apoiar Dilma… Em fevereiro último, Dilma apostou na derrota de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) a presidente da Câmara dos Deputados. Perdeu feio. À crise econômica somou-se a crise política. A Operação Lava Jato tocou barata voa dentro do PT e em suas imediações. Diante do risco do impeachment, Dilma rendeu-se à pressão de Lula e do PMDB, entregando-se a eles sem condições. Havia anunciado uma reforma ministerial para extinguir e fundir ministérios, economizando algum. No curto prazo, a reforma poderá servir à única coisa que, a essa altura, interessa a Dilma: barrar qualquer tentativa de impeachment contra ela. Porque, no mais, para melhorar o governo, não servirá. Para reunir ministros competentes, também não. Para resgatar parte da popularidade perdida por Dilma, nem pensar. O segundo governo Dilma terminou sem ter sequer começado. Resta um projeto de poder, não mais do que isso, ao qual se agarram o PMDB, Lula e seus aloprados. A turma de Lula não é todo o PT. Há um pedaço dele acamado, febril, que procura para aonde ir com a ajuda de uma lupa.”

 

Missão

 

Com os cortes na máquina administrativa Renan Filho desagrada aos servidores e emperra a máquina; com o pacote fiscal, principalmente o aumento de tributos, o governador desagrada à população. Tudo em nome do ajuste das contas públicas. Agora vai precisar fazer muito, em obras e ações, para justificar o aperto.

 

Duas faces

 

George Santoro, importado do Rio de Janeiro para a Secretaria da Fazenda, foi, poucos sabem, piloto de caça. Aqui pilota ações do governo para diminuir despesas e aumentar a receita. Tem sido austero nas suas decisões, mas revela-se um boa praça, tanto para os servidores da Sefaz quanto para os demais que o procuram.

 

Aperto

 

Lideranças da construção civil de Alagoas foram a Brasília, esta semana, em busca de soluções para questões que incomodam o setor. Duas delas: a retenção, pela União, de recursos de obras já executadas; a falta de um plano de refinanciamento de dívidas ou desoneração, a exemplo do que acontece com o setor automobilístico.

 

Desgaste 

 

De um colega de primeiro escalão do médico e empresário Fábio Farias, secretário do Gabinete Civil do governo Renan Filho: “De tanto trabalhar em nove meses, de janeiro para cá, o Fábio aumentou, e muito, a sua careca. Se permanecer até o final do governo certamente ficará semelhante ao Ênio Lins, da Comunicação, sem cabelo algum”. 

Impasse

O deputado estadual Tarciso Freire, em primeiro mandato, continua à frente das pesquisas de intenção de voto para prefeito de Arapiraca. Isso tem preocupado o grupo da prefeita Célia Rocha, que tentará a reeleição. Danado é que o apoio do parlamentar na Assembleia interessa ao governador Renan Filho, aliado de Célia.

Orfandade

Com a desistência do deputado estadual Inácio Loiola de concorrer à Prefeitura de Marechal Deodoro, o prefeito Cristiano Mateus anda em busca de um candidato para apoiar. Mas ele diz que não tem pressa e que só no começo do próximo ano definirá seu candidato. Cláudio Filho, “Cacau”, é o principal nome da oposição.

Endosso

Hélio Bicudo, jurista, fundador do PT, sobre a desaprovação, pelo TCU, das contas de Dilma Rousseff: “O julgamento dá forças ao pedido de impeachment que fiz porque mostra que as irregularidades que apontei no documento são de fato delituosas, apontam para o crime de responsabilidade que, segundo a Constituição, é suficiente para retirar o chefe do Executivo do cargo.”

 

*As inscrições para a 6ª Edição do Prêmio Sincor de Jornalismo Alberto Marinho se encerram hoje. Os trabalhos devem ser entregues na sede do Sindicato dos Jornalistas, com o tema “O mundo do seguro e a importância do corretor de seguros habilitado”.

*O espetáculo “Callas” encerra em Maceió, no Teatro Deodoro, a sua turnê nacional, que inclui apresentações em 48 cidades. Marília Pêra é quem dirige os atores Silvia Pfeifer e Cássio Reis. Hoje, às 21 horas; amanhã, às 19 horas. Contato: 3235.5301.

*O humorista Zé Lezin se apresenta em Maceió neste final de semana para lançamento do DVD comemorativo dos seus 30 anos de carreira e promete gargalhadas no Teatro Gustavo Leite. Ingressos a R$ 60,00 em www.acessovipmaceio.com.br.

*A exposição “Poesia em Foco – Uma visão contemporânea de Maceió” continua até 12 de dezembro, no Complexo Cultural Teatro Deodoro. Os trabalhos dos fotógrafos Ana Cristina Santos, Arthur Celso e Luna Gavazza homenageiam os 200 anos de Maceió.

*O Tribunal de Justiça recebe inscrições, até 23 de outubro, ao estágio em Psicologia, Serviço Social ou Jornalismo, para estudantes que concluíram o quarto período ou o segundo ano. Oferece salário-mínimo e auxílio-transporte para 24 horas semanais.

*Da torcida à diretoria, passando pelos jogadores e comissão técnica, o CRB está levando a sério o jogo contra a Luverdense, dia 17, em Lucas do Rio Verde (MT). Há uma sensação de que se vencer o clube entra no páreo para a classificação à Série A.

 

“Colocar-me em suspeição é colocar sob suspeita o trabalho de todo o corpo técnico do tribunal”

Augusto Nardes

Ministro do TCU, relator das contas de Dilma Rousseff, argumentando que o relatório pela rejeição é assinado por 14 auditores do tribunal