Flávio Gomes

7 de outubro de 2015

Sinais de decadência

Murilo de Aragão em “O Globo”: “… No Brasil, a era Lula entrou na antessala do sucesso, e chegamos a achar que nosso lugar por lá era cativo. Que, finalmente, fazíamos o mundo se curvar à nossa grandeza. A capa da ‘The Economist’ com o Cristo Redentor decolando nos dava a certeza do ‘agora vai!’. Promovemos uma Copa do Mundo e vamos para as Olimpíadas, responsabilidade que o mundo nos deu acreditando em nossa capacidade. No delírio, chegamos a dar lições de moral à Alemanha de Merkel em 2012, quando Dilma criticou o receituário de austeridade preconizado pela líder alemã. Agora, para evitar a decadência, temos de ser austeros, pragmáticos e humildes. Não é o que parece que acontecerá. O governo trata da crise fiscal com incompetência. Incapaz de se decidir pelos cortes e de enfrentar a questão de frente junto com a população, busca o déficit primário como disfarce para uma covardia institucional imensa… Nossa grave incompetência e nossa covardia institucional podem estar dando início a um longo processo de decadência. A presidente Dilma Rousseff, por conta das indefinições em torno de um possível impeachment, ainda tem tempo para tomar as medidas corajosas de que o país precisa. Ela poderia fazer uma autocrítica séria dos erros de sua gestão e iniciar um processo de recuperação do país e, quem sabe, de seu mandato.”

Argumento

De George Santoro, secretário da Fazenda, a Paulo Chancey Júnior e Vanessa Siqueirano site Cada Minuto, sobre o ajuste fiscal do governo de Alagoas: “Não vamos mexer em setores fundamentais no Estado. Se o combustível terá reajuste, o álcool terá redução. Essa correção ajudará diretamente o setor sucroalcooleiro, que passa por crise, e assim deve manter em torno de 100 mil empregos.”

Pioneirismo

Arapiraca vive hoje um dia especial. Pela primeira vez um governante com raízes políticas no município chega lá como governador, para uma série de atividades, a partir das 8 horas. Luciano Barbosa é natural de Palmeira dos Índios, mas foi prefeito de Arapiraca duas vezes. Antes, foi secretário de Estado e ministro.

Nem tanto

Um argumento utilizado pelo prefeito Rui Palmeira para indicar José Thomaz Nonô secretário da Saúde é a experiência de seis mandatos de deputado federal. Alega Rui que Nonô, respeitado em Brasília, poderia facilitar apoio para ações em Maceió. A questão é: Nonô é do DEM e renega o PT. A recíproca é verdadeira.

Oportunidade

O último mandato político de José Thomaz Nonô foi o de vice-governador, encerrado em 31 de dezembro, junto com o do ex-governador Téo Vilela. Nonô parecia desinteressado em novo mandato, embora cuidasse com afinco do DEM, que preside em Alagoas. Se tiver sucesso na Saúde volta fortalecido ao tabuleiro político.

Mais uma

Patrícia Sampaio, que exerceu mandato de deputada estadual e disputou a prefeitura de Palmeira dos Índios, também está deixando o PT. A convite do deputado Ronaldo Lessa, se filiou ao PDT, lembrando do pai: “Me filiar ao PDT dá a sensação de voltar pra casa, pois falar em PDT em Alagoas é também falar em Geraldo Sampaio”.

Tanto melhor

Justiça se faça: a SMTT foi humilde em reconhecer os erros e eficiente em corrigir as imperfeições na implantação de modificações do tráfego de veículos no entorno do Posto da Polícia Rodoviária Federal, no principal acesso a Maceió. Ontem, por conta das mudanças, já não havia queixas nem grandes engarrafamentos.

Liberdade

Do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcos Vinicius Furtado Coêlho: “O sigilo de fonte é fundamental para a liberdade de expressão. É um instrumento indispensável ao exercício profissional do jornalista e sem o qual a liberdade perece. Para os males da liberdade o remédio é mais liberdade.”

 

*Hoje, às 8 horas, no restaurante do Hotel Brisa Mar, na Avenida Antônio Gouveia, orla de Pajuçara, acontece o evento “Outubro Rosa: em busca de avanços para a mulher advogada”. Uma iniciativa do “Movimento OAB Pode Mais”.

*No mesmo horário, e com o mesmo fim, o empresário Nado Freire recebe, na sua “Bodega do Sertão”, na Avenida Jatiúca, para café da manhã de confraternização em torno do “Sertão Rosa”, com participação da Rede Feminina de Combate ao Câncer.

*O musical “A Bela e a Fera”, um clássico infantil de Jeanne-Marie LePrince de Beaumont, estará em cartaz hoje, a partir das 19 horas, no Teatro Gustavo Leite, do Centro de Convenções de Maceió. Informações: 98732.7139.

* Comemorando o Dia das Crianças, o projeto “Teatro Deodoro é o Maior Barato” tem hoje, às 19h30m, “A Lenda de Pocahontas”, com a Companhia Preto no Branco de Teatro. Músicas (letras de Bruno Omena) com Max Claudino e Hugo Rocha.

*“Tocando eu leio e ouvindo eu vejo, e se não vejo, ouço, e se não ouço , vejo” é a síntese da “Poesia em Foco – Uma visão contemporânea de Maceió”, exposição em cartaz no Complexo Cultural Teatro Deodoro. A visitação é gratuita.

* Visando troca de conhecimento e aprimorar as atividades dos servidores da Secretaria da Fazenda, será realizado amanhã e depois, na unidade administrativa Silvio Vianna, em Jacarecica, o Seminário de Informática e Novas Tecnologias para Fiscalização.

*Dirigentes do CSA não divulgam de público, mas cogitam contratar uma grande atração para a temporada 2016. Os nomes citados nos bastidores são os de Paulo Baier, Adriano Imperador e Marcelinho Paraíba, para ser o “jogador bilheteria”.

“Não vamos nos acovardar”

Augusto Nardes

Ministro do TCU, sobre a manobra do governo para afastá-lo da relatoria do processo das contas da presidente Dilma Rousseff