Blog do Dresch

6 de outubro de 2015

Alagoas aposta na cadeia produtiva de moveis

                   O Governo de Alagoas tem apostado na diversificação da economia e desta forma tem apoiado o surgimento de novas cadeias produtivas. Uma delas é da movelaria, com a instalação de indústrias que utilizam a matéria prima até a distribuição final do produto. Para a Secretária Jeanine Pìres, do Desenvolvimento Econômico e Turismo, após a instalação no estado da empresa Duratex, outras indústrias já demonstraram interesse em trabalhar no estado. “A Duratex já dispõe de 15 mil hectares de floresta de eucalipto em Alagoas e desta forma estamos iniciando a construção de uma nova cadeia produtiva a partir da instalação de uma indústria âncora” explica Jeanine.

Cadeia produtiva de móveis 2

                   Recentemente a Secretária, juntamente com o governador Renan Filho, visitou oito empresas do ramo nas regiões sul e sudeste para fomentar esta cadeia e apresentar as perspectivas de Alagoas. Todas as empresas visitadas trabalham com painéis em MDF e MDP, que serão fabricados pela Duratex como principais fontes de matéria prima. Essas visitas técnicas despertaram interesse e curiosidade nos empresários para conhecer os benefícios ofertados pelo Governo do Estado. “Por isso” diz a secretária Jeanine Pires, “estamos prospectando empresas satélites como de tintas para madeira, embalagens de papelão e plástico, ferragens, cola, vidros, espelhos, acessórios e outros produtos”.

 

Povo quer a morte de bandido

                   Metade da população brasileira defende a máxima “bandido bom é bandido morto” segundo pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (ONG que reúne especialistas em violência urbana). A pesquisa na íntegra será divulgada esta semana no 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Foram ouvidas 1.307 pessoas em 84 cidades com mais de 100 mil habitantes e nelas, 50% dos ouvidos defenderam a afirmação “bandido bom é bandido morto”, outros 45% discordaram e o restante não soube responder ou não concorda nem discorda. Para alguns especialistas, essa divisão estimula a letalidade de alguns policiais. O efeito perverso dessa prática esta tanto nos crimes cometidos por policiais como nas mortes deles: 398 foram assassinados em 2014. A pesquisa mostra ainda que homens e mulheres também estão divididos, assim como ricos e pobres. Uma distinção que vale salientar é pela cor de pele: 53 dos brancos acham que bandido bom é bandido morto, percentual que reduz entre os negros para 44%. Para a OAB de São Paulo, quem defende o argumento da morte dos bandidos, dá poderes á polícia de julgar e aplicar a pena de morte. Para o coronel Alvaro Camilo, ex-presidente da Polícia Militar de São Paulo e atual deputado estadual pelo PSD, os policiais também estão contaminados pela sensação de insegurança que atinge toda a população. “A sensação de impunidade é tão grande que leva o povo a querer a justiça de imediato. O policial também age assim, revoltado com a impunidade”.

 

Destruição do patrimônio

                   Os jihadistas do Estado Islâmico (EI) voltaram a destruir mais um símbolo milenar da histórica cidade de Palmira, na Síria. Desta vez foi explodido o “Arco do Triunfo” localizado em um sítio arqueológico antes preservado. O grupo terrorista já explodiu outros santuários da cidade e assassinado o arqueólogo responsável pela conservação das ruínas do local. O Arco era considerado o portal de entrada da antiga cidade de Palmira, além de um dos principais ícones do local. Segundo o chefe do setor de antiguidades da Síria, existia a informação de que haviam colocado explosivos em volta do arco, mas não imaginávamos que fariam tal loucura, disse Maamoun Abdulkarim.

Destruição do patrimônio 2

                   O EI desde que assumiu parte do território da Síria e do Iraque, criando um califado, já destruiu 25% do patrimônio mundial histórico ali localizado. A milenar cidade de Palmira foi a mais atingida. Foram destruídos templos milenares, a estátua do Leão de Athena (obra única de 3 metros de altura) entre outros tesouros da humanidade. Antes da Guerra Civil iniciar há quatro anos, mais de 150 mil turistas visitavam Palmira a cada ano. Após ocupar uma vasta área e criar o califado, os jihadistas passaram a promover assassinatos em massa, destruíram monumentos, religiosos ou históricos que considera sacrílegos, sempre filmando ou fotografando suas ações para impressionar o ocidente.

Todo mundo conectado

                   Ao discursar na Assembleia Geral da ONU recentemente, o criador do Facebook, Marck Zuckerberg, relatou a sua dedicação ao projeto de conectar o mundo inteiro à internet até 2020. O projeto conta ainda com a participação de Bill e Melinda Gates, Jimmy Wales (Wikipédia) e o cantor Bono, da banda U2. O ídolo do rock escreveu um artigo em conjunto com Zuckerberg, publicado pelo New York Times, sobre a necessidade de espalhar a rede. Eles lembraram que ainda hoje, mais da metade da população mundial vive sem internet.

Todo mundo conectado 2

                   No artigo ambos defenderam a necessidade de levar a internet a todos os habitantes do planeta, até mesmo para manter e fortalecer a rede. Zuckerberg ressaltou na ONU a presença dos líderes mundiais para enfrentar os desafios da modernidade. “Prover acesso universal à internet é um desses desafios, e os governantes concordaram em trabalhar para isso até 2020 como parte das metas globais. Para ajudar a fazer disso uma realidade, eu anunciei uma campanha global em parceria com a ONE e apoiada por diversos líderes e organizações” assinalou o criador do Facebook.

 

 

  • A Presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula lamentaram ontem a morte do ex-senador e ex-presidente da Petrobrás. José Eduardo Dutra, que morreu na madrugada de Domingo em Belo Horizonte.
  • Dutra, que fez carreira política no vizinho estado de Sergipe, atualmente era primeiro suplente do senador Antonio Carlos Valadares (PSB).
  • José Eduardo Dutra presidiu o Sindicato dos Mineiros do Estado de Sergipe e foi dirigente da Central Única dos Trabalhadores. Ele dirigiu a Petrobrás entre Janeiro de 2003 e julho de 2005 no Governo Lula.
  • Passou praticamente despercebida o centenário de nascimento do cantor das multidões Orlando Silva, que aconteceu no Sábado (3). Entre os veículos de comunicação nacionais, apenas a TV Cultura e a Agência Brasil relembraram a data.
  • Os grandes veículos de massa nem registraram o fato. Lembrando que Orlando Silva foi um artista que marcou a musica brasileira e que visitou várias vezes Alagoas e por aqui fez grande amigos e admiradores.
  • Orlando Silva morreu em Agosto de 1978 com 62 anos. Era adorado em todo o Brasil. Gravou mais de 800 discos e interpretou cerca de 1,4 mil canções.