17 de setembro de 2015

Como é fácil ser político no Brasil

Meu avô materno era uma figura impar. Autodidata não perdia uma transmissão da Voz da América através de um rádio ligado a uma bateria de automóvel. O Jornal de Alagoas chegava de trem na Usina Capricho em Cajueiro. Ele ia buscar as edições de toda a semana para ler. A sua montaria era uma burra cujo nome Surabaia depois de muito tempo descobrir de onde vinha: Surabaya é a segunda  cidade da Indonésia só perdendo para a capital Jacarta.

Ele me dizia: se o vereador de Cajueiro ou Atalaia não receber salário eu serei candidato. Veja que hoje os homens mais ricos  são os políticos. Todos sem exceção ostentam já no primeiro mandato carros enormes e de preços elevados.

Faça chuva ou faça sol os seus salários e todos os abonos são depositados. Não são penalizados por nada enfim.

Quando em mandato executivo podem errar levar o estado ou o País ao precipício que nada acontece. E quando se fala em afastar alguém é golpe.

Pois é! Um governador do Sul faliu um estado e nada acontece. O sucessor que tem que arcar com os consertos fica sendo o culpado.

A presidente passa quatro anos fazendo desmandos políticos e financeiros que todos os especialistas criticavam e orientavam para mudar posa agora de inocente e quer tirar os direito dos cidadãos e aumentar impostos.

Ora veja: porto em Mariel – Cuba. Pagamento com fumo de seus charutos. Perdão das dívidas africanas. Isenção de impostos para a copa do Mundo – Fifa. Empréstimos a perder de vista para os Hermanos latinos. Além de autorizar compra de uma refinaria que valia X por dez vezes mais.

Acredito que os desmandos sim representam G O L P E no povo brasileiro que infelizmente grita, porém não sabe defender seus direitos constitucionais!