Flávio Gomes

4 de setembro de 2015

Silêncio na casa da palavra

De Chico Alencar, professor de História da UERJ, escritor e deputado federal do PSol/RJ:“Meu ‘Houaiss’ – do grande Antonio (1915-1999) – ensina: ‘parla’ é ‘troca de palavras, de ideias, conversa, falatório’. Daí Parlamento. Lamento dizer, com espanto, que a Câmara dos Deputados tem vivido momentos inéditos de… silêncio! Dá-se ali um paradoxal mutismo: o presidente Eduardo Cunha, denunciado pelo Ministério Público por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, não toca no assunto. Seus aliados (cúmplices?) também não. Nunca vi isso. O normal é um parlamentar acusado, mesmo por matéria jornalística, subir à tribuna para se explicar. O que sempre acontece é a reação imediata, repelindo a notícia. Poderia ser até para reconhecer que errou ou delinquiu, mas aí já seria pedir demais… O mutismo do plenário choca porque no ambiente da palavra, do argumento, do discurso, não pode haver tema proibido, vedado. Quase todos os líderes partidários, até aqui, assumiram este ‘pacto de silêncio’sobre a Lava Jato, quando ela atinge o chamado ‘núcleo político’ do esquema criminoso. Cinismo maior não há. Seria uma versão nativa da ‘omertà’ siciliana, o silêncio imposto por ‘capos’ mafiosos sob o tacão do medo? Quem não silenciar teme ser silenciado? Quem cala ou se esconde é digno da função pública para a qual foi eleito? Essafarsa ímpar não se sustentará. Novas denúncias do MPF virão e alguns atingidos, quem sabe, falarão…

Posição

Renan Calheiros, presidente do Senado: “Ao governo cabe abandonar o mantra obsessivo de mais e piores impostos e operar uma reforma profunda do Estado reduzindo ministérios, cargos comissionados e revendo contratos. Agora é a hora da verdade. O governo não cabe mais no PIB brasileiro e precisa reavaliar todos os seus programas e conferir uma prioridade real aos que devem ser priorizados e mantidos.”

Condição

O deputado federal Givaldo Carimbão diz que tem várias propostas para ser candidato a prefeito no próximo ano – além de Maceió, Delmiro Gouveia, Palmeira dos Índios e São Miguel dos Campos. Mas faz uma ponderação: “Só discuto tal possibilidade se for mantida a reeleição. Se não, não vale a pena deixar a Câmara dos Deputados”.

Do baú

O deputado federal Ronaldo Lessa (PDT-AL) solicitou ao presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Antônio Idilvan Alencar, a liberação de recursos de quatro emendas apresentadas pelo ex-deputado João Lyra, em 2013. No total, são cerca R$ 1,6 milhão de reais para Cajueiro, Capela, Maragogi e Matriz do Camaragibe.

Polêmica

Hoje, às 9 horas, a Câmara Municipal de Maceió faz audiência pública para debater o Plano Municipal de Educação, o que inclui discussões sobre a ideologia do gênero nas escolas. Há previsão de confronto entre grupos contrários e favoráveis à exclusão das discussões sobre gênero nas escolas. Recomenda-se reforço policial, por precaução

 

Homenagem

O radialista Carlos Miranda recebe hoje, às 9 horas, na Assembléia Legislativa, a Comenda Jornalista Tobias Granja, por iniciativa do deputado Pastor João Luiz (DEM). Miranda é mineiro, de Caratinga, e atua em Maceió desde 1986. No ano passado teve de se afastar das atividades, pois contraiu esclerose lateral amiorófica, doença degenerativa.

Agenda

O fotógrafo Sebastião Salgado, cuja competência profissional é reconhecida em todo o mundo, abre hoje, às 10 horas, no Museu de Imagem do Som de Alagoas, a exposição “Terra”.Na mostra ele apresenta sua visão do cotidiano dos trabalhadores rurais do Brasil, em 30 imagens em preto e branco, capturadas entre os anos de 1980 e 1996.

Insuspeito

Trecho do pedido de impeachment de Dilma, feito por Hélio Bicudo, 93 anos, Promotor de Justiça, ex-deputado federal e fundador do PT: “… que a Presidente da República seja processada pelos delitos perpetrados, encaminhando-se, por conseguinte, os autos ao Senado Federal, onde será julgada para, ao final, ser condenada à perda do mandato, bem como à inabilitação para exercer cargo público pelo prazo de oito anos…”

 

*Foi sepultada ontem Teresa Soares da Costa, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer. Era casada com Lourival Nunes da Costa, ex-provedor da Santa Casa de Maceió, e mãe do advogado Adriano Soares e do bispo Dom Henrique Soares.

*Também ontem, no Parque das Flores, foi sepultado Djalma Santos, professor de música aposentado da antiga Escola Técnica, hoje IFAL. Casado com a professora Josete, de antigas gerações do Colégio Santíssimo Sacramento, dirigiu a banda da escola.

* A quarta edição da Feira do Peixe Vivo será aberta hoje, a partir das 7 horas, no Parque da Pecuária, em Maceió. É uma iniciativa da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, aproximando pescadores e aquicultores do consumidor final.

*A 24ªPromotoria de Justiça da Capital promove durante o dia de hoje o III Seminário do Projeto Associação Legal, no Centro de Convenções de Maceió, em parceria com a Federação das Associações de Moradores e Entidades Comunitárias de Alagoas.

* Volta a cartaz hoje o espetáculo “A terra do Lêdo Ivo”, montagem de versos selecionados por Ronaldo de Andrade que aborda a situação de cinco maceioenses que se encontram à procura de coisas da cidade. Às 20 horas, Centro Cultural Arte Pajuçara.

*Aartista plástica Cecília Walton abre uma exposição de trabalhos seus hoje, às 20 horas, na Pinacoteca Universitária, no Espaço Cultural Universitário Salomão de Barros Lima, na Praça Visconde de Sinimbu, Centro de Maceió. Informações: 3214.1545.

*Na 6ª feira passada, por determinação da diretoria do CRB, torcedores vestindo camisa do Botafogo tiveram acesso proibido às cadeiras do Trapichão. Houve muita confusão. Espera-se que não se repita hoje no CRB x Ceará, que começa mais cedo: 19 horas.

 

“Fomos todos responsáveis”

Fernando Henrique Cardoso

Ex-presidente da República, para quem o sistema político brasileiro fracassou porque os partidos estão mais preocupados em repartir verba e poder do que defender ideias