Blog do Dresch

3 de setembro de 2015

O Congresso deve fazer a sua parte

                   “Cabe ao Congresso colaborar como puder com o governo, deixando de lado eventuais indiferenças”. A afirmação é do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) em contato com a imprensa em Brasília, Segundo ele “o governo tem data de validade, mas o país, não”. Ressaltando o papel do Congresso no momento de crise, o senador alagoano ressaltou: “Modular a crise, que pune toda a nação, os chefes de família, os trabalhadores, o setor produtivo, nossos filhos, nosso futuro, é algo verdadeiramente impatriótico. Tiro, porrada e bomba não reerguem nações, só espalham ruínas e, lamentavelmente, só ampliam os escombros. Nós não queremos ser sabotadores da nação nem agentes de mais instabilidade” afirmou o presidente do Senado.

Congresso vai colaborar 2

                   Renan Calheiros manifestou sua opinião durante instalação da Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional, que vai dar seguimento aos projetos da chamada Agenda Brasil. Ela tem 28 projetos prioritários sobre temas diversos como energia, infraestrutura e responsabilidade fiscal, sempre relacionados à melhoria da segurança jurídica e do ambiente de negócios para estimular a economia e os investimentos, gerar emprego e promover o crescimento do país. A Comissão terá como presidente o senador Otto Alencar (PSD-BA) e como relator o senador Blairo Maggi (PR-MT).

Congresso vai colaborar 3

                   O senador alagoano, criador da Agenda Brasil voltou a dizer que ela não será uma carta de intenções, mas para viabilizá-la, o Governo terá de fazer sua parte. “Cabe ao governo cortar seus gastos, vender ativos, reaquecer a economia, criar políticas de estímulo ao emprego e ao investimento” disse Renan. Segundo o presidente do Senado, o Congresso precisa modificar marcos regulatórios em setores ligados ao investimento, como um novo marco regulatório para a mineração, e mudanças que agilizem a liberação de licenças ambientais, por exemplo. “A economia precisa andar, desamarrar seus pés. Quando ela anda, cresce o consumo, cresce o investimento, crescem os empregos” afirmou Calheiros.

Redução da criminalidade

                   O Secretário de Segurança Pública de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto não tem dúvidas: em breve o Estado vai melhorar consideravelmente sua posição no ranking das cidades mais violentas do país. Essa certeza o Secretário vem tendo a cada número levantado pelo Núcleo de Estatística e Análise Criminal da Secretária. Nos primeiros oito meses deste ano a redução dos crimes de homicídio (violentos letais intencionais) atingiu 26,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Essa diminuição é atribuída a fatores perfeitamente constatados pela população da capital alagoana: presença do policiamento nas ruas (ações preventivas), aumento do número de prisões e rigidez no combate ao tráfico de drogas. Somente no mês de Agosto, registrou-se quase dez dias sem qualquer homicídio em Maceió e 15 dias sem assassinatos na região do Benedito Bentes, tido como um dos mais violentos do Estado. O combate efetivo à violência também pode ser constatado nos números que chegam do interior, no mesmo período levantado. Arapiraca obteve uma redução de 15,9%; Rio Largo chegou a 30,4% e Coruripe 33,3%. Já São Miguel dos Campos diminuiu 30,6%, Palmeira dos Índios 16,7%; Murici, 40,7%. No sertão, Delmiro Gouveia teve uma queda de 30,8%. Outra cidade considerada violenta, Pilar reduziu em 47,1% em crimes violentos. Para o Secretário o caminho é esse, e até o final do ano a estratégia será mantida, para atingir a meta estabelecida para o ano de 2015.

 

A ciência no dia a dia

                   O Instituto Abramundo divulgou recentemente a pesquisa Indicador de Letramento Científico (ILC), concluindo que a maior parte dos brasileiros sabe muito pouco sobre ciências. Segundo o levantamento 79% têm conhecimentos científicos básicos, mas não são capazes de usá-los para entender plenamente a realidade que os cerca. O teste envolveu questões com situações cotidianas, como ler e interpretar uma bula de remédio, entender a importância de um pneu do carro não estar careca e conseguir explicar os efeitos do uso de antibióticos. Foram avaliadas 2002 pessoas de 15 a 40 anos, com, no mínimo quatro anos de estudo. Eles responderam a 36 itens entre fáceis e difíceis sobre a aplicação da ciência no dia a dia nas situações mais complexas.

A ciência no dia a dia 2

                   Na avaliação dos coordenadores, o resultado da pesquisa mostra os problemas da educação que trata as ciências de forma marginalizada. Apesar do baixo desempenho a pesquisa revelou que os brasileiros se interessam pelo conhecimento científico. Dos entrevistados, 72% concordaram, total ou parcialmente, que a ciência ajuda a compreender o mundo; 62% disseram se informar sobre as novidades no campo da ciência e da tecnologia. Metade afirmou se informar por meio de jornais impressos ou via internet. Em relação à atividade profissional, 68% concordam que as pessoas que têm formação na área científica conseguem boas oportunidades de trabalho.

Destruição dos templos

                   Os jihadistas do Estado Islâmico (EI) destruíram agora a maior parte do Templo de Bel, considerado o mais importante da cidade de Palmira, na Síria. Antes eles já haviam explodido o Templo de Baalshamin, o segundo mais importante. A cidade de Palmira, que fica na província de Homs, região central da Síria, é considerada patrimônio da humanidade pela Unesco. Desde Maio, que o EI invadiu e assumiu o controle da cidade e tem explodido construções históricas e executado pessoas. Mas de 200 já foram mortas. De acordo com algumas ONGs que trabalham no país, muitos locais também estão sendo saqueadas pelos extremistas. A confirmação do vandalismo histórico é constatado também por fotos aéreas e de satélites.

 

 

  • A Associação Alagoana de Ciclismo promoveu na noite da última terça feira, uma manifestação por mais segurança, pela paz e por mais ciclovias e ciclo faixas em Maceió.
  • Os participantes, cerca de 100 segundo a Associação, vestiram branco para pedir mais paz no trânsito, e também fizeram um apelo aos motoristas em geral, para terem mais cuidado e respeito com os ciclistas.
  • Sobre as ciclovias, a Associação lembrou que foram prometidos mais de 600 quilômetros de ciclovias e ciclo faixas, mas menos de 30 quilômetros foram entregues.
  • O ato foi realizado a partir do Corredor Vera Arruda, na Praia da Jatiúca, até o bairro do Trapiche, retornando pelas ruas do centro da cidade.
  • Começou ontem, a 16ª edição da Feira da Reforma Agrária, e como sempre acontece, ocupando a Praça da faculdade, no bairro do Prado.
  • A Feira comercializa toneladas de produtos agrários sem agrotóxicos, produzidos nos assentamentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.
  • Os agricultores que trazem seus produtos para Maceió garantem que eles custam, menos do que os vendidos em supermercados e em mercados públicos da capital.
  • Nesta edição também estão sendo comercializadas mudas de diversas espécies, oriundas do viveiro Chico Mendes, localizado na região Norte do estado.