Flávio Gomes

2 de setembro de 2015

Um novo Plano Real

De Paulo Rabello de Castro, em “O Globo”: “… A grave recessão de 2015 nos trouxe a percepção de que o Brasil perdeu – se algum dia deteve – o rumo do crescimento sustentado. E mais. Finalmente, caiu a ficha sobre o estrago do avanço do Estado na economia e sua clara ligação com o estancamento do setor privado e dos investimentos. É que, para gastar sempre mais — como tem feito nos últimos 20 anos —, o Estado precisa arrecadar cada vez mais. O que era uma carga tributária de 25% do PIB na partida do Plano Real alcançou mais de 35% no ano passado. O dinheiro que vira impostos e, portanto, deixa de ser preponderantemente reinvestido por milhões de pequenas e grandes empresas, na mão do governo vira predominantemente consumo. O gasto não financeiro do governo federal saltou, de 1991 a 2014, de 11% a 20% do PIB. A carga tributária crescente retornou para a sociedade sob a forma de mais empregos públicos, benefícios de toda ordem, subsídios e os mais altos juros no planeta. A constatação desse circuito econômico improdutivo, à exceção da menção à nefasta conta de juros, foi feita por três renomados economistas, num documento em que ressaltam, com razão, a inviabilidade da distorção apontada, cinco anos antes, por Raul Velloso, em colaboração com o Movimento Brasil Eficiente, ao cunhar a expressão ‘modelo de expansão continuada dos gastos públicos’, usada para expressar nosso modo mal definido de insistir num capitalismo estatal. O remédio para isso está proposto no recente editorial do Globo: ‘Um novo Plano Real para o gasto público’.”

Risco real

De Renan Filho, sobre a possibilidade de parcelar o pagamento dos servidores: “Não se trata de terror. Se trata dos fatos. O que eu digo é que outros estados parcelaram salários e temos que ter cuidado para não termos que fazer a mesma coisa. Temos que buscar garantir pagamentos em dia. Não tem sido fácil. É muito difícil”.

Inoportuno

O governador Renan Filho está criando para si próprio um desgaste sem necessidade, ao protelar a nomeação, para o cargo vago de conselheiro do Tribunal de Contas, de um dos procuradores que compõem a lista tríplice. O desgaste será ainda maior se, ao final, ele se envolver em nova polêmica jurídica e nomear um político para a vaga.

Apelo

Do prefeito de Maceió, Rui Palmeira, cobrando à União: “Se o governo federal alega que não tem condições de apoiar as cidades brasileiras neste momento, o que pedimos é que ele permita que os municípios, que fizeram o seu dever de casa, fizeram os ajustes necessários e têm condições de tomar empréstimos, possam fazê-lo.”

Baque

Por conta da crise econômica, 80% dos empreendimentos imobiliários previstos para 2015 em Alagoas foram cancelados. Os empregos diretos, que em 2015 eram 35 mil (os indiretos eram 100 mil), hoje são apenas 15 mil. Afirmações de Alfredo Brêda, presidente do Sinduscom, no programa “Conjuntura”, da TV Mar, canal 25 da NET.

Flimar

Carlito Lima, Secretário de Turismo, está anunciando um novo formato para a Festa Literária de Marechal 2015, de 11 a 15 de novembro próximo. “Vamos ter mais atividades na rua, em ambientes abertos, para aproximar ainda mais o evento do povo”, revela ele. Os eventos mais acadêmicos, no entanto, estão garantidos para espaços fechados.

Letra morta

Definitivamente, estão descumprindo a determinação do prefeito Rui Palmeira, anunciada no ano passado, fixando horários para atividades dos carros-pipa na Ponta Verde e na Jatiúca, bairros de Maceió onde há maior concentração de edifícios residenciais. Tais veículos abastecem prédios a qualquer hora do dia, inclusive de noite e de madrugada.

Impunidade

A Primeira Turma do STF arquivou, por unanimidade, ação penal contra o senador Jader Barbalho (PMDB-PA), por entender que prescreveu a acusação de peculato contra ele. A denúncia do MP é de 2003 e foi aceita pelo Supremo em 2006. Barbalho foi acusado de desvio de dinheiro público em ação de desapropriação de uma fazenda. Convém indagar: algum agente público será responsabilizado por causar a prescrição?

 

*Completa 70 anos o acordo Japão-Estados Unidos, que pôs fim à II Guerra Mundial. Foi um conflito absurdo causado pela mente doentia de um lunático austríaco-alemão e terminou com as estúpidas bombas atômicas que mataram milhares de inocentes.

* Adélia Magalhães e Maria de Jesus comandam hoje, 19h30m, o show “Duo Luso-Brasílis”, pelo projeto “Teatro Deodoro é o Maior Barato”. Acompanhadas dos musicos Wellington Oliveira, Zailton Sarmento, Wilbert Fialho e China . Ingresso a R$ 10,00.

* A Casal ampliou o seu atendimento ao cliente por telefone. Para Maceió, Rio Largo, Paripueira e Barra de São Miguel o número é 0800 082 0195. Para Arapiraca, Palmeira dos Índios, Delmiro Gouveia e Santana do Ipanema o número é 3215.4100.

*Hoje, a partir das 9h30m, o diretor executivo da Brascoaching, Moisés Ribeiro, especialista em desenvolvimento de equipes, ministrará a palestra “Líder Empreendedor: como encarar tempos de crise”. Contato: palestracoaching@gmail.com.

*Durante o dia de hoje o Conselho Regional de Administração de Alagoas realiza ação itinerante em Arapiraca, com palestras, divulgação da agenda do Jubileu de Ouro, registros e negociação de dívidas. As atividades fazem parte do projeto de interiorização.

*Codevasf, Secretaria Estadual dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente e IMA realizam hoje e amanhã, em Penedo, o I Seminário de Regularização e Fiscalização Ambiental do Baixo São Francisco alagoano. Abertura, às 8h30m, na Casa da Aposentadoria.

*Com 12 receitas, o 6º Festival da Lagosta de Maragogi acontece de hoje até o dia 27, tendo como novidade o alagoano Wanderson Medeiros, premiado como melhor chef do Brasil. Os restaurantes participantes dão descontos de 30% a 50% nos pratos do Festival.

 

“Em 40 anos nesse setor, nunca vi uma crise igual”

José Carlos Martins

 

Presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção