Roberto Baia

31 de agosto de 2015

Prefeito desabafa

Na manhã de quinta-feira (27), o prefeito de Lagoa da Canoa, Álvaro Melo (PMDB), fez um desabafo diante de dezenas de prefeitos, secretários municipais e vereadores e municípios das regiões Agreste e Sertão de alagoas, que estiveram reunidos na Mobilização Municipalista, realizada na Escola de Governo em Arapiraca.

 

Crise financeira

Como a pauta central do encontro foi a crise financeira que vem castigando os municípios brasileiros, em especial os de Alagoas, Álvaro Melo voltou a criticar as constantes quedas dos repasses federais, que a cada mês vem castigando os Municípios e deixando os gestores sem saberem o que fazer para honrarem as despesas mensais e, principalmente, manterem o funcionamento dos serviços básicos.

 

Transporte escolar

O prefeito canoense citou como exemplo os custos para manter o transporte escolar em seu município. “Nós gastamos mensalmente R$ 140 mil para manter o transporte escolar. Por outro lado, o governo federal só nos repassa R$ 15.200 por mês para manter esse serviço. O resto, temos que completar”, lamentou.

 

Outros serviços

Ainda segundo ele, o exemplo do que ocorre com o transporte escolar também acomete outros serviços importantes do município, a exemplo da Saúde. “Sinceramente, eu não entendo essa matemática aplicada pelo Governo Federal”, desabafou Álvaro Melo.

 

Atalaia

A escola Antônio Vieira da Costa – uma das instituições da rede municipal de ensino de Atalaia, vem proporcionando uma série de atividades complementares para os alunos, através do Projeto Trampolim, que visa auxiliar na formação integral e social dos estudantes os colocando em contato com a arte circense.

 

Dinamismo

As aulas envolvem muito dinamismo no aprendizado de técnicas de malabarismo, tecido, acrobacias, entre outros, fazendo com que os estudantes realizem atividades físicas de uma maneira diferente e divertida. De acordo com o idealizador do projeto, professor Gilvan Ciriaco, durante as atividades, os alunos desenvolvem as mais diversas áreas, desde a coordenação motora, percepção visual e auditiva, passando por outros benefícios, como o aumento da autoconfiança, além de melhora significativa no que diz respeito à socialização. “O projeto Trampolim, está diretamente alinhado às metas da UNESCO. Através das aulas, já é possível observar o interesse e a assídua participação dos alunos” destaca.

 

Reforço de autoestima

Para o coordenador pedagógico Eli Avelino, a disciplina é capaz de trabalhar não apenas o movimento e a atitude corporal do aluno, mas também valores relativos à autonomia, cooperação, solidariedade e reforço de autoestima. “As crianças também aprendem nos momentos das brincadeiras. Nesse projeto, eles estão descobrindo, criando e exercitando novas formas de linguagem”, avalia.

 

 

Cursos de formação

Com as inscrições abertas na quinta-feira (27), dois cursos de “Formação Continuada Online para Professores da Rede Municipal” estão disponíveis para os docentes arapiraquenses.

Esta iniciativa faz parte das ações de formação à distância da I Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SME).

 

Leitura nas escolas

Os cursos online “Caminhos da Escrita” e “Leitura Vai, Escrita Vem: Práticas em Sala de Aula” têm, respectivamente, 40 e 100 vagas e são abertos apenas para professores.

Segundo Ivanilda Pacheco, à frente das inscrições na SME, o intuito dos cursos é a compreensão do letramento como prática cultural e para reflexões teóricas e sugestões a fim de professores aprimorarem dinâmicas com o ensino de leitura nas escolas.

 

 

Com números que apontam para uma realidade que desrespeita o Pacto federativo, os prefeitos do Agreste e Sertão denunciaram a falta de compromisso do Governo federal com a população dos municípios. O primeiro encontro da Mobilização Municipalista em Arapiraca reuniu, além de 30 prefeitos, vereadores e secretários, na quinta-feira (27). Organizado pela Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), esse foi o primeiro evento para chamar atenção da sociedade civil organizada para o que os prefeitos classificam como “pedaladas” as constantes quedas no FPM , o subfinanciamento dos 397 programas federais , os atrasos em repasses sociais e o não pagamento de obras já iniciadas.

 

… “Queremos que a população entenda as contas municipais para que fique do nosso lado. Um exemplo é que só recebemos R$0,30 por aluno para merenda escolar, se não for o prefeito para colaborar com essa quantia, nossas crianças não conseguiriam lanchar nas escolas”, afirmou o presidente da AMA, Marcelo Beltrão.

 

… Esse é apenas um dado desse cenário injusto que está sendo imposto aos gestores. A União concentra 60% dos recursos, os 27 estados ficam com 32% e os mais de 5 mil municípios têm que dividir um bolo de apenas 17%.

 

… Em Arapiraca, a segunda maior cidade de Alagoas, a prefeitura recebe apenas R$ 600,00 por habitante/ano para oferecer saúde de qualidade. A complementação já está na casa dos R$ 500 mil reais.