Flávio Gomes

27 de agosto de 2015

Renúncia e legitimidade

De José Afonso da Silva, especialista em Direito Constitucional: “… A legitimidade de exercício requer que o governante legitimamente investido cumpra o seu mandato segundo os ditames da ordem jurídica e da ética. Quando um governante deixa lavrar corrução sistêmica nos meandros do poder, por certo perde credibilidade e, com esta, os sentimentos e esperanças que o voto popular expressava, confluindo-se para a prática de crimes de responsabilidade e o impeachment que é também saída constitucional. Minha análise é a de que a crise política precisa ter fim. Se não for pela renúncia, acabará sendo pelo impeachment sob a batuta de Eduardo Cunha. Terrível, assustador. Pior ainda: delineia-se forte inquietação do empresariado que não titubeará em aliar-se às forças mais reacionárias até à possibilidade de uma saída inconstitucional. A crise econômica, grave, vai solucionar-se por meio de medidas contra o interesse do povo, como é da lógica do capitalismo. Mas a crise política vai permanecer porque a presidente Dilma perdeu a capacidade de governar. A renúncia importará na ascensão do vice, Michel Temer, à Presidência, ruim, mas constitucional, e ele tem habilidade para recompor as forças políticas em torno de um governo –conservador certa e lastimavelmente– com apoio da oposição. Qual a consequência disso? O PT vai para a oposição sob a liderança do ex-presidente Lula, que, com seu carisma, é capaz de virar a mesa com competente virulência. Dessa forma, a nova ordem governamental será responsabilizada por toda a desordem econômica e política que estamos vivendo, e o partido voltará nas eleições de 2018 pelos braços do povo. Aderi ao manifesto pela renúncia da presidente, mas estou consciente dessas consequências, sobretudo porque a oposição, com PSDB à frente, não tem um programa político para o Brasil capaz de resolver os problemas do povo, nem um líder capaz empolgá-lo contra o combalido PT liderado por Lula.”

Drama

O presidente da Associação dos Municípios Alagoanos, Marcelo Beltrão, prefeito de Jequiá da Praia, reúne hoje, em Arapiraca, prefeitos de várias regiões do Estado para entrevista coletiva. Eles irão explicar a difícil situação financeira dos municípios, em função da queda de arrecadação. Às 8h30m, na Escola Municipal de Governo.

Turismo

A Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados realiza amanhã à tarde, no Hotel Ritz Lagoa da Anta, o seminário “Questões que Afetam o Desenvolvimento do Turismo em Alagoas e no Nordeste”, por iniciativa do deputado Ronaldo Lessa (PDT-AL) e com apoio do governo Renan Filho. O ministro Henrique Alves tem presença anunciada.

Cidadania

Amanhã, 9 horas, a Câmara de Vereadores de Maceió entrega o título de Cidadão Honorário da cidade ao juiz de direito Márlon Jacinto Reis. Natural de Pedro Afonso, Tocantins, o juiz foi um dos idealizadores da Lei Complementar nº 135/2010, conhecida como “Lei da Ficha Limpa”. A comenda foi iniciativa do vereador Cleber Costa (PT).

Agenda

O Campus da UFAL em Delmiro Gouveia sedia amanhã o seminário 'Canal do Sertão: Para quê? Para Quem?”, às 14 horas. O evento marca o lançamento oficial da VII Romaria das Águas e da Terra, que terá seu desfecho em 27 de setembro, às 22 horas, com missa na Igreja Nossa Senhora do Rosário e caminhada até o Canal do Sertão.

Abrace

Kleiber Beltrão abre, 9 horas, a programação de hoje do 41º Congresso da Associação Brasileira de Cronistas Esportivos, que acontece no Centro de Convenções de Maceió. Às 11 horas haverá mesa redonda sobre o futebol nordestino. A partir das 14 horas, oficinas com os jornalistas alagoanos Márcio Canuto, Edson Mauro e Marcus Toledo.

Homenagem

O Congresso da Abrace prevê para as 20 horas de hoje, no Hotel Jatiúca, no jantar de boas-vindas aos participantes, homenagem da entidade nacional a quatro profissionais da imprensa esportiva de Alagoas: José Aldo Ivo, ex-presidente da ACDA e do Sindicato dos Jornalistas, Reinaldo Cavalcante, Lauthenay Perdigão e Carlos Miranda.

Opinião

Do deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB/PE), sobre Dilma Rousseff: “Eu acho que a gente deveria evitar o impeachment, que é uma coisa traumática. Ela deve sair pelo caos que o país está, e foi ela que o levou. O país ainda não chegou ao fundo do poço, mas vai chegar. Vai chegar porque os pressupostos da economia estão todos desajustados, com perspectiva de inflação alta, desemprego e redução de salários.”

 

* Foi sepultado ontem, no Parque das Flores, aos 91 anos de idade, Nelson Peixoto Feijó, pai de Gustavo Feijó, prefeito de Boca da Mata e vice-presidente da CBF para o Nordeste, do empresário João Feijó e de Nelson Feijó, corretor de seguros.

*Hoje, Dia de Nossa Senhora dos Prazeres, padroeira de Maceió, é feriado na cidade. À tarde haverá a tradicional procissão e, às 18 horas, Missa Jubilar, no Estacionamento de Jaraguá, transmitida para todo o Brasil, ao vivo, pela TV Aparecida (HD 24.1).

* A Companhia Teatral “A Cambada é a atração de hoje do projeto “Quinta no Arena”, com A Mala, 19 horas, no Teatro de Arena Sérgio Cardoso. O grupo, de Maceió, é composto por Elizabeth Lorelzzo, Alisson Williams, Alex Silva e Antonielli Santos. 

*O ator Claudio Barros encena o espetáculo “Solo de Marajó” hoje, às 20 horas, no Cineteatro Municipal Victória, em Quebrangulo. Amanhã e depois, também às 20 horas, em Maceió, no Teatro de Arena Sérgio Cardoso. Em todos, a entrada é gratuita.

*O comediante cearense Tom Cavalcante se apresenta amanhã, às 21 horas, no Teatro Gustavo Leite, num espetáculo em que homenageia grandes ídolos da Música Popular Brasileira. Classificação: 14 anos. Informações: 3032.5210 / 99601.2828

* O Ministério Público do Trabalho recebe até amanhã inscrições para estágio em Administração, Tecnologia da Informação, Jornalismo e Engenharia Civil, para provas em 27 de setembro. Contato: www.prt19.mpt.mp.br/informe-se/estagiarios / 2123-7900.

*O adversário é teoricamente, pela tradição, o mais forte da Série B, mas o CRB não tem outra alternativa senão ganhar do Botafogo RJ amanhã, às 21 horas, Trapichão. Se não, poderá terminar a rodada do final de semana integrando a zona de rebaixamento.

 

“Dilma, na prática, não tem governado. O principal programa dela é não sair do governo.”

José Serra

Senador do PSDB-SP, sobre a Presidente da República