Edmilson Teixeira

26 de agosto de 2015

Matriz de Camaragibe- recado da crise

“Somente para manter a folha de médicos plantonistas estamos gastando em torno de 100 mil reais por mês”, comentou o prefeito de Matriz, Marcos Paulo (Marquinhos), dando conta do que se investe hoje na folha de pagamento da Saúde, gira em torno de 750 mil reais por mês, e que o governo federal tem dado uma contribuição  muito pouca para as condições econômicas do município. O prefeito marcou presença na segunda-feira, na sede da AMA, onde a entidade está mobilizando todos seus associados, a fim de promover uma  grande campanha, com o intuito de esclarecer aos munícipes a real situação das Prefeituras, sobretudo com os sucessivos apertos do governo federal, gravidade social que vem se alastrando nesses últimos cinco anos.     

 

Matriz- medidas

 

Para driblar os problemas  da crise, Marquinhos disse que este ano forçadamente teve que dispensar cerca de 300 cargos comissionados, a fim de puder assegurar a folha em dia. “A nossa arrecadação margeia hoje a casa dos três  milhões de reais por mês, mas somente para manter o funcionalismo, a gente tem uma folha de dois milhões e meio. O que sobra não é suficiente para tocar pequenas obras e toda parte logística da administração pública”, argumentou.

 

Capela

 

“Não podemos nos responsabilizar por dívidas que deveriam ser pagas pelo governo federal. Os municípios hoje acumulam mais dívidas do que arrecadam. Tudo isso aumenta ainda mais a nossa preocupação para com a administração. Tiramos a nossa Prefeitura do CAUC, federalizamos Capela e a deixamos apta a receber investimentos de todos os tipos. Porém, não temos tido a contrapartida por parte de Brasília. Iniciamos inúmeras obras na cidade e precisamos de forma urgente concluí-la, mas o que se vê no momento são os município cada vez mais contraindo gastos que não condizem com suas respectivas realidades”, comentou o prefeito Eustáquio Moreira.

 

 Porto de Pedras

Prefeita Camila Farias reconhece as cobranças que têm sido feitas em seu governo, quanto às ações de grande porte. Lamenta o quadro vivenciado pela Prefeitura, que praticamente com a crise econômica que vem contaminando o País, se limita apenas a manter o pagamento da folha do funcionário. “Estamos fazendo o que pode; sobretudo buscando parceria junto com o governo federal, para assim implantar programas voltados para o nosso povo”, comentou. A prefeita Camila que também  é vice-presidente da AMA, disse que vai para a sua reeleição.

Flexeiras  

Marcos Cansanção atual vice-prefeito de Flexeiras, disse que é candidato a prefeito no ano que vem. Entra com apoio da atual gestora, Silvana Cavalcante, ela que vem de dois mandatos seguidos e que não pode ir para o terceiro, por força da lei. Cansanção é casado com a prefeita de Porto de Pedras, Camila.

Barra de Santo Antônio

Prefeito Rogério Farias  não tem demonstrado muito interesse de ir para a reeleição. Durante a emancipação politica da Barra na última semana, teria dito aos amigos, que deve apoiar a candidatura de Miguel Arcanjo da Mota, seu secretário de Infraestrutura. Na verdade a missão de Farias em termos de campanha politica para 2016, promete ser muito árdua. Vai apoiar a reeleição da filha, Camila, em Porto de Pedras e lançar o nome da outra filha, Simony, na disputa pela Prefeitura de Paripueira. Lembrando que a filha de Miguel Mota, a médica Carolina, é casada com o filho de Rogério Farias, o Rogerinho que na gestão passada chegou a ser vice-prefeito de Abrahão Moura em Paripueira.  

 

 

 

Rio Largo

 

Ainda sobre aquela enchente de 2010 que entrou para cinco e dois meses, é que agora a Prefeitura está anunciando  a  entregar  de dois  gigantes conjuntos habitacionais que vão abrigar parte das famílias que perderam suas casas naquela tragédia. A assessoria diz que ao longo da administração do prefeito Toninho Lins, Rio Largo já contabiliza hoje a construção de 6.206 casas, por meio de parceria com o governo federal.  

 

Porto Real do Colégio

O primeiro contrato que trata da implantação emergencial de estruturas flutuantes de captação de água do rio São Francisco para abastecimento de perímetros irrigados da Codevasf foi assinado na última sexta-feira, em Brasília.  O contrato prevê intervenções no perímetro Itiúba, situado no município de Porto Real do Colégio. A Codevasf tem tratado como prioridade o processo de implantação de estruturas suplementares de captação de água para seus perímetros de irrigação nos estados de  AL, PE, BA e SE. Ao todo, R$ 38,3 milhões foram destinados pelo Ministério da Integração Nacional.

 

Porto Real – parceria

 

“A Codevasf tem trabalhado com determinação para cumprir todos os prazos de instalação das estruturas de captação de água de acordo com o que foi anunciado pelo ministro Gilberto Occhi. Esse primeiro contrato, relacionado ao perímetro Itiúba, busca atender à atual necessidade dos produtores que serão beneficiados com o programa”, disse Felipe Mendes, presidente da Companhia.

 

Igaci

Prefeitura inicia reforma da Praça Central a fim de torná-la um cartão postal da cidade. O projeto e execução serão do arquiteto Kleber Montenegro. “Tenho um desejo muito grande de realizar essa reforma.  “O projeto ficará muito bonito”, declarou o prefeito Oliveiro. “Boa parte do município, onde existiam buracos, esgoto a céu aberto, valas e valetas, hoje dão lugar a pavimentação e esgotamento condignos, setores com que gestões anteriores não se preocuparam”, comentou o prefeito.

Olho d’Água do Casado

Para quem vem se preparando para alcançar um emprego efetivo, a boa noticia vem do alto sertão alagoano. É que a Prefeitura de  Olho D’água do Casado  está anunciando  concurso público, ainda este ano. Serão ofertadas  151 vagas, com salários de até R$ 3.641,00.  Por sua vez, o prefeito Gualberto torce  com a possibilidade de que grande parte dos aprovados  seja do próprio município. Para tanto, ele conversou com os prefeitos de Inhapi e Delmiro Gouveia para que realizem o certame no mesmo dia e horário. O município de Inhapi já está com as inscrições abertas e Delmiro pretende abrir no mês que vem.