Blog do Dresch

26 de agosto de 2015

Em busca do Polo Biotecnológico

                   Na busca pelo apoio do poder público, especialmente dos seus pares no Legislativo, o deputado Bruno Toledo (PSDB) incentivou a realização de uma audiência pública para discutir a criação do Polo Biotecnológico de Alagoas. A audiência esta marcada para o próximo dia 18 de Setembro a partir das 9h no plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas, e atende a um pleito do médico Hemerson Casado, que é portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) e não tem poupado esforços para buscar alternativas para aprofundar os estudos sobre a doença e outras enfermidades raras.

Polo Biotecnológico 2

                   A implantação em Alagoas de um Polo Biotecnológico no Estado estimularia a participação da iniciativa privada, na formação de novos pesquisadores e cientistas. Segundo Toledo “o Dr. Hemerson já conta com o apoio de parceiros em diversas empresas em Alagoas, assim como com participação da Universidade Federal de Alagoas, que é de fundamental importância para a iniciativa” disse o deputado.  Com a audiência existe a possibilidade do Poder Público se engajar nesta luta, viabilizando a implantação deste Polo. O deputado encaminhou ainda à Mesa Diretora que na oportunidade seja concedida a Comenda Tavares Bastos ao doutor Hemerson Casado, pelos relevantes serviços prestados ao Estado.

Um pacote administrativo

                   As mudanças administrativas ainda estão sendo costuradas, mas uma coisa é certa, segundo o Ministro do Planejamento Nelson Barbosa: O número de ministérios vai diminuir de 39 para 29, alguns orgãos serão extintos e outros podem ser fundidos dependendo da área de atuação. No pacote também estão incluídos corte de cargos comissionados e funções gratificadas. “Nosso objetivo é chegar a uma meta de dez ministérios a menos. Existem várias sugestões, mas precisamos ouvir todos os envolvidos, mas não existe até agora nenhum ministério certo de ser extinto” disse Barbosa. Ainda segundo o ministro: “este é um processo que envolve todo o governo federal, todos os orgãos e autarquias, envolve ainda uma melhor governança de empresas estatais, é um processo que precisa ser construído a várias mãos nos ministérios e nas repartições” assinalou o ministro. Segundo ele, a extinção dos ministérios vai levar em conta critérios de gestão e políticos, como o atendimento a partidos da base aliada do governo que comandam algumas pastas. A reforma passa também por cortes na estrutura interna de orgãos, como a redução de secretarias, por exemplo. E ainda a diminuição de cargos comissionados no governo; o aperfeiçoamento de contratos da União com prestadores de serviços, entre eles limpeza e transportes, venda de imóveis da União e regularização de terrenos. O governo tem hoje 22 mil cargos comissionados, sendo 74% ocupados por funcionários públicos, mas cerca de 6 mil não são do quadro.

 

Eletricidade mortal

                   Um levantamento feito pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica mostrou que 299 pessoas morreram em acidentes envolvendo contato com fios da rede elétrica em todo o país, no ano passado. Já em 2013 o número de vitimas fatais chegou a 317. O total de acidentes, que em 2013 foi de 841, caiu em 2014 para 777, o menor desde o inicio da contagem, em 2001. A pesquisa mostra que a maioria dos casos de morte ocorre na construção e manutenção de edifícios. No ano passado foram 64 mortos. Logo após aparece a ligação elétrica feita de forma clandestina, com 24 ocorrências, seguida pela instalação e reparo de antenas de TV (23 mortes), poda de árvores (13 mortes) e uso de pipa (7 mortes).

Eletricidade mortal 2

                   Também aconteceram 196 acidentes com lesões graves em 2014 e 282 com lesões leves, e segundo a Associação, os acidentes na construção civil acontecem principalmente em obras informais. No caso dos acidentes com ligações clandestinas, a maior parte se verifica nas periferias e em locais onde não há rede elétrica regularizada. Geralmente os acidentes acontecem quando as pessoas não tomam as precauções devidas com o equipamento de segurança e carregam objetos que encostam acidentalmente na rede. O ideal é a pessoa chamar um eletricista profissional ou então a concessionária.

Pelo direito à internet

                   O direito de acesso à internet poderá ser incluído entre os direitos sociais que são previstos na Constituição Federal. A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou Proposta de Emenda à Constituição (PEC) neste sentido, mas a PEC precisa ainda passar por dois turnos de votação nos plenários do Senado e da Câmara dos Deputados. Para justificar a inclusão, o ex-senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) argumentou que muitos dos direitos previstos na Constituição, como informação, educação, trabalho e remuneração digna, dependem cada vez mais do acesso às novas tecnologias. A internet garante a igualdade de oportunidades a todos os cidadãos disse o ex-senador, atual governador do Distrito Federal.

Pelo direito à internet 2

                   “A elevação do direito de acesso à internet ao patamar constitucional, possibilitará a exigência, pelo Estado brasileiro, de políticas públicas que reduzam a exclusão digital. Que ainda marginaliza um contingente significativo da população” assinalou a relatora da PEC, senadora Ângela Portela (PT-RR) que deu parecer favorável à proposta. Segundo ela, um relatório recente da União Internacional de Telecomunicações coloca o Brasil na 65ª posição entre 166 avaliados no acesso a novas tecnologias de informação e comunicação.

 

  • Até a próxima segunda feira (31) será possível apreciar um pouco de arte com qualidade de artistas alagoanos ou mesmo adotados por esta terra.
  • A exposição “Amostra Grátis” reúne 13 artistas participantes, o fotógrafo Pablo de Luca, os curadores Viviani Duarte e Rosivaldo Reis, além da diretora-presidente da Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal) Sheila Maluf.
  • Segundo os organizadores, mais de 1000 pessoas visitaram o local, sem levar em conta participantes de oficinas culturais e encontros entre artistas, realizados no Complexo Cultural Deodoro, ao lado do Teatro do mesmo nome.
  • Lá estão obras de Tânia Pedrosa, Alex Barbosa, Hércules Mendes, Lula Nogueira, Agélio Novaes, Eva Cavalcante, Eva Le Champion, Maria Amélia Vieira, Marcus Plech, Paulo Caldas, Pedro Cabral, Solange Chalita e Violeta Plech.
  • O talento e a criatividade desta rapaziada é motivo de orgulho para todos.
  • O horário para absorver e sorver um pouco desta arte é de segunda a sexta das 8h ás 13h e das 14h às 17h, mas ás quartas vai até ás 20h.
  • O acesso é gratuito, mas a exposição termina dia 31.