Blog do Dresch

20 de agosto de 2015

Uneal homenageia alagoanos ilustres

              A Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) entrega hoje o título de “Doutor Honoris Causa” a diversas figuras proeminentes de Alagoas, e que são destaques em suas áreas de atuação. Como o biólogo e professor da Unicamp, José Geraldo Marques, o doutor em comunicação José Marques de Melo, o jornalista Audálio Dantas, a professora Luitgarde Cavalcante, o professor Moacir Palmeira, o historiador Moacir Sant’Anna, o advogado Marcelo Lavenére, o advogado e ex-presidente da OAB, Herman Baeta, e os historiadores e professores Dirceu Lindoso e Douglas Apratto. A solenidade acontece no Auditório Dona Bezinha, na sede da Uneal em Arapiraca.

O respeito ao Brasil

              As empresas internacionais continuam avaliando o Brasil como um grande mercado consumidor e por isso passam a mensagem ao governo de que mantêm a confiança no país. A informação foi passada pelo Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, ao se referir ao “clima pessimista” quanto à economia brasileira. Segundo ele, os investidores estrangeiros olham o Brasil “para além das dificuldades conjunturais” e consideram que o “grande ativo” do país é que ele tem um dos mais importantes mercados do mundo. “Em contato permanente, como temos mantido, com grandes empresas operando no Brasil, a mensagem que temos recebido, de forma clara, é da manutenção da confiança, dos programas de investimento que estão sendo mantidos e ampliados” explicou Monteiro. Segundo ele “no Brasil, os pessimistas estão sempre condenados a perder” disse em entrevista esta semana. Ele reconheceu que a economia brasileira necessita de ajustes, mas a mensagem é de confiança. “A economia precisa promover o reequilíbrio exatamente para que se possa retomar crescimento em bases sustentáveis. Mas não tenho dúvida nenhuma de que O Brasil é e sempre será receptor de investimentos, porque o mundo olha o Brasil como um grande país e um grande mercado” reafirmou Armando Monteiro.


Lei antiterrorismo

                   Da forma como foi aprovada pela Câmara dos Deputados, a chamada Lei Antiterrorismo tem recebido criticas das mais variadas. Uma das mais recentes foi do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que, através do seu vice-presidente, Renato Sérgio Lima, especialista em segurança, afirmou que a proposta restringe direitos e pode enquadrar manifestantes e movimentos sociais como terroristas. “É claro que depredações precisam ser punidas como crime, mas isto é terrorismo? Quando a gente fala em terrorismo, o Estado esta autorizado a suspender direitos da população. A gente quer resolver o problema suspendendo direitos ou garantir que os direitos sejam exercidos na sua plenitude?” questionou o sociólogo.

Lei antiterrorismo 2

                   O projeto relaciona os crimes motivados por “xenofobia, religião, discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia” e praticados com o objetivo de intimidar o Estado, organização internacional, pessoa jurídica, contra a vida e a integridade física e provocar terror generalizado na ordem social, puníveis com penas que vão de 12 a 30 anos em regime fechado. O texto tipifica como crime de terrorismo usar, ameaçar, transportar e guardar explosivos e gases tóxicos, conteúdos químicos nucleares praticados com o intuito de intimidar o Estado.

Lei antiterrorismo 3

                   Por outro lado, o deputado Raul Jungmann (PPS-PE) que foi o relator do projeto na Comissão de Segurança Pública e Contra o Crime Organizado, rebate as criticas argumentando que a proposta não fere direitos constitucionais. “Esse projeto é, sobretudo, uma defesa dos direitos e das garantias, porque não ameaça nenhum deles, e também dos movimentos sociais, sejam eles quais forem, porque nenhuma legislação hoje no mundo excepcionaliza, como essa, os movimentos sociais e a eles dá garantias” assegurou o deputado pernambucano.

Planalto da Fraternidade

                   A expressão acima foi criada pelo professor e escritor Novaes de Castro para identificar a origem dos seus artigos, no extinto Jornal de Alagoas. E naquela época (anos 60, 70 e 80) ele defendia a independência do bairro do Tabuleiro, do qual ele foi um dos desbravadores. Seu filho, o vereador Galba Novaes também defendia a ideia do desmembramento do bairro, na Câmara de Vereadores. Agora o neto, também Galba Novaes, defende a ideia como deputado na Assembleia Legislativa. Aliás, este último, também como vereador no ano 2000, já defendia a emancipação do Tabuleiro. O argumento é que o bairro é responsável por 1/3 da arrecadação de Maceió, mas recebe o retorno de apenas 0,3% em investimentos. O local é o reduto eleitoral da família.

 Brinquedos em alta

                   Diferentemente de outros setores da economia brasileira, que apresentam queda nas vendas, a indústria de brinquedos aumenta cada vez mais a sua produção. De acordo com Synésio Batista da Costa, presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), nos próximos anos serão investidos mais de R$ 1 bilhão na ampliação da capacidade produtiva do setor, que não demite há cinco anos e não fecha nenhum fábrica há seis. No último dia 30 de Junho a indústria de brinquedos no Brasil comemorou a venda de 500 milhões de brinquedos desde o inicio de 2011, quando a Presidente Dilma assumiu o governo.

 

 

  • Com a participação de atores de reconhecido talento, a comédia “Congresso Nacional de Sexologia” vai estar no palco do Teatro Deodoro nesta sexta e Sábado.
  • Discutindo a relação das mais diversas formas, porém sempre com ironia e muita diversão, Charles Paraventi (Malhação e Cidade de Deus), Lucas Domso (O Profeta e Sete Pecados) e Dani Brescianini (Passione) compõem o elenco da peça, que tem na comédia o ponto central.
  • Os esquetes refletem cômicas situações envolvendo um grupo de especialistas que participam de um congresso sobre sexo. O texto é de Lucas Domso e simula ocasiões e experiências divertidas entre os participantes.
  • A direção da peça é de Claudio Torres Gonzaga que dirigiu sucessos da TV como A Grande Família, Sob Nova Direção e Comédia em Pé.
  • A comédia já passou com sucesso por São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belém e Natal e chega a Maceió em apenas duas apresentações às 21h.
  • Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Deodoro aos preços de R$ 60 e R$ 30 (a meia entrada).