Flávio Gomes

20 de agosto de 2015

O silêncio dos “inocentes”

Solange Jurema, presidente nacional do PSDB Mulher: “Uma multidão calculada em pelo menos 1 milhão de pessoas em mais de 200 cidades brasileiras ocupou novamente as ruas e explicitou, em palavras de ordens, seu sentimento de indignação. O apoio ao juiz Sérgio Moro, o impeachment de Dilma Rousseff e a defenestração de Lula e do PT, em faixas, jingles populares e cartazes sintetizaram não só a indignação, mas também a vontade de mudar o Brasil e acabar de vez com as práticas políticas que saquearam e ainda pretendem saquear os cofres públicos. De maneira ordeira, democrática e pacifica, a multidão respondeu aos petistas, ao governo federal e aliados sindicais que ainda têm a ousadia de conclamar “às armas” e tentar intimidar os mais de 90% que se proclamam descontentes com os atual estado em que se encontra o Brasil. Não conseguiram e não conseguirão! O povo disse de forma clara o que acha dessa incitação à violência por parte do presidente nacional da CUT, em pleno Palácio do Planalto, e na prática mostrou com funciona uma Democracia: com gente nas ruas, participando e exigindo moralidade no trato da coisa pública. Os ‘inocentes’ detentores do Poder preferiram o silêncio a constatar o fim de ídolos de barro que se deixaram derreter com os nefastos efeitos da corrupção. Povo na rua não é golpe e nunca foi. Povo na rua é indignação, é luta, é desejo de mudança. Golpe é, sim, assaltar os cofres públicos e desviar bilhões de reais para proveito próprio e para o partido político se manter no Poder.

 Golpe é participar de eleições com recursos pilhados de empresas do porte da Petrobras que, revestidos em doações legais, desequilibram a disputa eleitoral, como fez o PT nas últimas eleições federias e municipais, na verdade desde que ocupou o Poder. E contra golpes desse tipo, o povo só tem uma resposta, como já deu três vezes nesse ano: dar o grito de ‘Basta’ nas ruas brasileiras. Isso é Democracia!”

Em falta

Quando da posse de Téo Vilela na presidência do PSDB/AL, o presidente nacional do partido, senador Aécio Neves, lançou uma campanha nacional de filiação à legenda. Não se soube, no caso de Alagoas, de algumas filiações de porte, que possam demonstrar a força dos tucanos para o futuro. Se houve, não foram divulgadas.

Novos ares

A vereadora Heloísa Helena decidiu que não pretende concorrer à reeleição, no próximo ano. Uma baque para o PSol, partido que em Alagoas sobrevive, politicamente, graças exatamente à força dela. Na verdade, Heloísa Helena se propõe agora a ajudar na criação do Solidariedade, partido da sua amiga ex-senadora Marina Silva.

Troco

A CUT/AL convoca para hoje, em Maceió, ato público em adesão ao movimento, de âmbito nacional, em contraponto às manifestações de domingo, contrárias ao governo do PT. Os aliados petistas justificam o ato de hoje: contra a “ofensiva conservadora” e o ajuste fiscal do governo federal. Concentração às 9 horas, na Praça Sinimbu.     

Portobelo

Será em 10 ou 20 de setembro próximo a inauguração da primeira etapa da fábrica da Portobelo em Marechal Deodoro. O projeto prevê a implantação em três etapas. Será a primeira unidade da indústria fora de Santa Catarina. O procedimento para a vinda da Portobelo para Alagoas foi concebido na gestão do ex-governador Téo Vilela.

Agenda

Acontece hoje e amanhã, no Hotel Ritz Lagoa da Anta, o “Seminário Brasil Mais Simples”, iniciativa do Sebrae para debater a desburocratização nas ações em favor dos pequenos negócios. São anunciadas as presenças do ministro Guilherme Afif Domingos, da Secretaria da Micro e Pequena Empresa e do governador Renan Filho.

 

Leitura

A Feira do Livro do Maceió Shopping foi prorrogada até 15 de setembro, agora com dois lançamentos de autores alagoanos: “Alex Young e a Relíquia de Latith”, de Kim Santiago, e, do médico anestesiologista Isaac Barros, a primeira parte de “A Ordem dos Reis”. A Feira do Livro é aberta ao público das 10 às 22 horas.

Fundo do poço

Ministro Celso de Mello, decano do STF, ao negar habeas corpus a Fernando Baiano: “A corrupção impregnou-se no tecido e na intimidade de alguns partidos e instituições estatais, transformando-se em conduta administrativa, degradando a própria dignidade da política, fazendo-a descer ao plano subalterno da delinquência institucional”.

 

*A Secretaria de Gestão de Pessoas, Patrimônio e Documentos da Prefeitura de Arapiraca vai reunir hoje todos os secretários municipais e subsecretários para mais um curso de qualificação. Na Escola Municipal de Governo, das 8 às 14 horas.

*Depois de Delmiro Gouveia e Arapiraca, hoje é Penedo quem recebe o Seminário de Crédito BNDES, às 18h30m, no escritório do Sebrae. A intenção do banco é orientar sobre opções de crédito disponíveis e mais adequadas aos pequenos negócios.

*O projeto “Concertos nas Igrejas”, iniciativa do Coro da Universidade Federal de Alagoas, promove apresentação hoje, às 17 horas, na Igreja de São Benedito, Centro de Maceió. Há outro concerto marcado para a Igreja do Livramento, em 3 de setembro.

*O cantor Basílio Sé abre a XI edição do Projeto Quinta no Arena, hoje, 19 horas, no Teatro de Arena Sérgio Cardoso, com o show “Basílio Trio”. Ele estará acompanhado de Jack Setton, violão e vocal; Roberi Rei, percussão, e Wellington Basílio, poeta.

*O Parque Shopping anuncia para hoje, às 19 horas, apresentação de Anderson Fidélis e grupo Cabroeira, como parte do projeto Parque Show. A participação do público é gratuita. No dia 27 haverá um novo show, com a cantora Andressa Machado.

*O projeto “Quintas no Poço” realiza hoje uma homenagem à compositora e cantora Adriana Calcanhotto, com a cantora alagoana Soraya, que tem no currículo o prêmio de melhor intérprete na Mostra Sesc da Música Alagoana. Às 19h30m, Sesc Poço, grátis.

*Em comemoração ao mês da Cultura Popular e do Folclore, a Mostra Curta Alagoas de agosto exibe hoje películas sobre folguedos, manifestações populares e personalidades culturais alagoanas. Às 19 horas, no Teatro Jofre Soares, no Sesc Centro. Grátis.

 

“Somos um povo honrado governado por ladrões”

Carlos Lacerda

Falecido ex-governador do Rio de Janeiro, citado pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal