Flávio Gomes

19 de agosto de 2015

Ela fica

De Maurício Terra, no site “Diário do Poder”: “Após passado o final de semana marcado para os protestos, é relativamente claro que não aconteceu em praticamente nenhuma grande cidade, ao menos naquelas em que houve algum acompanhamento dos noticiários, movimento minimamente semelhante ao que houve em 2013. Junto com a adesão relativamente pequena, que de forma nenhuma reflete a repugnância ao governo Dilma que as pesquisas recentes divulgaram, há também uma notável mudança no perfil dos manifestantes. Aqueles que antes eram em maioria jovens e em quantidade substancial representantes de classes menos favorecidas, nas manifestações desse fim de semana já apareceram como integrantes de uma classe relativamente média, com idade um pouco mais avançada, com aparência mais madura, comedida, e menos raivosa, apesar das exceções. Não é possível ainda apresentar um balanço, mas parece evidente que o governo atual não tem motivos para esperar mais ação do público e, portanto, não tem por quê cogitar alguma atitude radical no sentido do afastamento da presidente. Do meu ponto de vista, que nunca fui favorável ao governo PT (ou a qualquer outro, diga-se), a única solução justa para a questão, a não ser que haja alguma alteração drástica das condições, é o governo Dilma encerrar seu mandato, colhido nas urnas, no prazo previsto pela constituição, a não ser que ela própria seja autora identificada de algum crime durante o mandato… Para que haja alguma chance de que movimentos como esse sensibilizem algum figurão do governo, seria preciso que o povão, a maioria inconteste do eleitorado, o que inclui pobres e jovens, se manifestasse ativamente, o que não foi de forma nenhuma o caso…”

Fato consumado 

Pelo texto da Lei Delegada já estão exonerados todos os ocupantes de cargos em comissão e funções gratificadas, inclusive secretários de Estado e dirigentes de órgãos. Os efeitos das exonerações só prevalecem a partir de 1º de setembro. A maioria deve retornar aos cargos, mas muitos ocupantes serão substituídos por Renan Filho.

Consequências

Com a Lei Delegada, 500 cargos em comissão serão extintos e criados outros, de remuneração menor, em torno de R$ 800,00. Funções gratificadas tiveram o valor reduzido, o que fez muitos servidores desistirem delas. Até porque quem tiver cargo em comissão ou função gratificada terá jornada de oito horas, ao invés de seis corridas.

Nem aí

É estranho o silêncio da CUT e outras entidades representativas dos servidores estaduais com relação à Lei Delegada. As lideranças, tão preocupadas em conquistar um pouco além dos 5% de reajuste salarial oferecido pelo governo, não se dão conta de que perda de vantagens e redução de valores pode ser pior do que pleitear 1% de salário.

Arrocho

A recomendação do Tesouro Nacional para não ser autorizado empréstimo externo aos Estados e municípios frustrou Renan Filho e Rui Palmeira. O governador ainda tem chances de conseguir apoio do governo federal, pois Renan, pai, fez as pazes com Dilma Rousseff. Para o prefeito, do PSDB oposicionista, as chances são menores.

Diferença

Solange Bentes, presidente nacional do PSDB Mulher, tem uma explicação para os atos contra o PT terem sido abaixo do esperado. Para ela, ao contrário de atos pró governo, que financia entidades com transporte, ajuda de custo e alimentação, quem protesta como oposição o faz de forma voluntária, inclusive pagando as próprias despesas.

Agenda

A Câmara Municipal de Maceió vive hoje, 10 horas, momento especial. Numa mesma solenidade Marlene Lanverly e Alberto Rostand Lanverly, mãe e filho, naturais do Rio Grande do Norte, receberão o título de Cidadão Honorário. Marlene, por proposta do vereador Chico Filho; Rostand, por iniciativa do vereador Eduardo Canuto.

Nova ordem

O presidente da OAB nacional, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, parece que desistiu de ser ministro do STF. Ele divulgou nota dizendo que Dilma Rousseff “precisa pedir desculpas ao Brasil” por ter apresentado uma realidade econômica “inexistente” na campanha. “É chegada a hora de revelar esse engano, assumir os equívocos”, alega.

 

*Desde ontem o Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região, sediado em Alagoas, tem um novo membro: a desembargadora Anne Helena Fischer Inojosa, nomeada pela presidente Dilma Rousseff por merecimento. Substitui Jorge Bastos da Nova Moreira.

*Um grupo de agricultores atendidos pelo Arranjo Produtivo Local Horticultura no Agreste terá oportunidade, hoje, de aprimorar e melhorar a capacidade do cultivo da batata doce. A atividade ocorrerá em missão técnica na cidade de Moita Bonita, Sergipe.

*A Comissão Estadual de Controle de Bebida Alcoólica promove hoje seminário de sensibilização para a proibição do consumo de álcool por crianças e adolescentes. O evento será às 9 horas, na sede da Escola Superior de Magistratura, no Farol.

*O projeto “Quartas Eruditas” realiza hoje mais uma aula-concerto, na Sala de Orquestra do Complexo Cultural Teatro Deodoro, no Centro, a partir das 16 horas, com acesso gratuito. Haverá ainda participação das pianistas Oriêta Feijó e Selma Britto.

* Hoje o projeto “Teatro Deodoro é o Maior Barato” apresenta o espetáculo “30 anos de Asfopal”, celebrando três décadas da Associação dos Folguedos Populares de Alagoas. No show se apresentarão 9 grupos folclóricos. Início às 19h30m.

*As seleções femininas do Brasil e da Bulgária se enfrentam hoje e amanhã, às 19 horas, no Ginásio do Sesi. Ingressos em www.lojadoingresso.com. Os jogos são fruto de uma parceria entre a Confederação Brasileira de Vôlei e o governo de Alagoas.

*A nova diretoria do CSA, presidida por Rafael Tenório, demonstra estar no caminho certo, ao firmar parcerias com o Palmeiras e o Flamengo. São dois clubes de tradição no futebol brasileiro, que podem dar bons resultados ao CSA na formação de novo time.

 

“Podem-se fechar 2/3 dos ministérios. Talvez não poupe dinheiro. Mas faria poupar em cinismo.”

Ruy Castro

Escritor