Flávio Gomes

16 de agosto de 2015

O outono do patriarca

Do jornalista Nelson Mota: “São milhares de mulheres agricultoras, que dão duro no campo e ajudam a alimentar os brasileiros, são pessoas simples, sofridas e honradas, que mereciam mais respeito de Lula na Marcha das Margaridas, quando ele zombou da inteligência delas – e do resto do Brasil – dizendo que Dilma não pode ser julgada por seis meses de governo, embora esteja há 55 no poder. Que a crise atual foi provocada pelos Estados Unidos e a Europa, e não pelo desastroso primeiro mandato. A marcha levava faixas e grita ‘Fora Cunha’ em frente ao Congresso, exigindo a cassação e a prisão de um dos deputados mais votados do país e que legitimamente preside a Câmara, seja ele um canalha ou não. Mas quem gritar ‘Fora Dilma!’ é golpista, coxinha, direitista ou rico. Embora 93% dos brasileiros a desaprovem. Vai entender. A cada novo lance, vai ficando mais inverossímil a história desse fabuloso personagem que não encontra paralelo na ficção brasileira e mais se aproxima dos fantásticos patriarcas de Gabriel García Márquez, em que o talento, a inteligência e a ambição levam à ascensão e queda de um sindicalista carismático, inteligente e pitoresco, vítima de suas próprias bravatas, malandragens e frouxidão moral, devorado pelas velhas elites políticas e econômicas de sempre, com quem se aliou, achando que as enganaria.. Como terminará a história sensacional desse fabuloso personagem que foi um rei do Brasil no século XXI? Drama, tragédia ou farsa? Um seriado melhor que ‘House of Cards’.”

Teoria

Texto que circula na internet: “1 – Dilma confirma Rodrigo Janot no cargo de Procurador Geral da República; 2 – Em troca Janot não denuncia Renan no Petrolão; 3 – Renan, livre das acusações, aciona os três ministros do TCU apadrinhados dele para votarem pela aprovação das contas da Dilma; 4 – Com as contas aprovadas, Dilma não pode sofrer processo de impeachment que está em curso na Câmara”.

Descontinuidade

Renan Filho, que exonerou todos os ocupantes de cargos comissionados, logo que assumiu, e demorou muito a preenchê-los, viverá outra fase difícil na sua administração com a demissão, de novo, de todos os comissionados, por conta da Lei Delegada. Nem todos voltarão, pois alguns serão substituídos por outros ou seus cargos serão extintos.

Cenário

Do presidente da Federação das Indústrias de Alagoas, José Carlos Lyra, sobre um pacto pela governança defendido pela CNI. “Enfrentamos um momento grave, onde a confiança das empresas e dos cidadãos está abalada. O resultado é um quadro de recessão e de estagnação da economia. Precisamos agir para retomar o caminho do desenvolvimento”.

 

Em família

Na próxima 4ª feira, 19, 10 horas, a Câmara Municipal viverá situação inusitada: mãe e filho receberão o título de Cidadão Honorário de Maceió: Marlene Lanverly, que foi várias vezes secretária de Estado, por proposta do vereador Francisco Holanda Filho; Alberto Rostand, por iniciativa de Eduardo Canuto. Ambos são do Rio Grande do Norte.

Amarela ou não?

O Brasil vive hoje outro dia de grande expectativa, com as anunciadas manifestações, em todo o país, contra a corrupção e pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Há quem avalie esses atos como um divisor de águas: se derem certo, poderão forçar uma mudança no quadro político; se não, ficará tudo no mesmo. Inclusive, Dilma.

Contraponto

O troco tem data certa, 20 de agosto, com atos públicos em favor de Dilma Rousseff. Diz a presidente da UNE, Carina Vitral, que os motes serão a defesa da democracia e as críticas ao ajuste fiscal. “Reafirmamos uma posição de apoio à legalidade do mandato da presidenta, mas mantendo a independência em dizer com o que a gente não concorda”.

Terceirização

Do jornalista Ilimar Franco, em sua coluna em “O Globo”, com o título “Nuvens carregadas”: “O clima no PSDB: a presidente Dilma terceirizou a economia para Joaquim Levy; a política, para o vice Michel Temer; e a pauta do país, para Renan Calheiros, presidente do Congresso. Para a oposição, isso revela a falta de liderança no governo.”

 

 

*O governador Renan Filho e a secretária estadual da Mulher e dos Direitos Humanos, Rosinha da Adefal, abrem amanhã o 1º Salão de Artes Sobe Direitos Humanos. A partir das 19 horas, no Museu Pierre Chalita, na Praça Manuel Duarte, em Jaraguá.

*Encerra-se hoje o I Encontro de Comunidades Quilombolas e Povos Tradicionais de Terreiro de Alagoas, na Serra da Barriga, União dos Palmares. Às 10 horas haverá manifestação pela preservação da Serra da Barriga e pelo respeito à ancestralidade.

* O programa “Aplauso” de hoje, pela Educativa FM, abordará a carreira do cantor, violonista e percussionista Renato Braz, que já participou de shows com Luiz Melodia, Antônio Nóbrega e Ney Matogrosso, entre outros artistas. A partir das 10 da manhã.

 

* A Ufal recebe, somente até hoje, inscrições para um curso de especialização em Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde. Com 16 vagas para Maceió, o curso visa especializar profissionais do SUS. copeve.candidato@gmail.com.

* Termina amanhã o prazo para submissão de artigos a serem expostos no III GeoAlagoas, que discutirá os principais desafios na produção e disseminação de dados georeferenciais, acontecerá entre os dias 17 e 18 de setembro, em Maceió. Inscrições: R$ 30,00.

* O Memorial à República será palco hoje da 5ª Corrida Duque de Caxias, uma iniciativa do 59º Batalhão de Infantaria Motorizado, em comemoração à Semana do Soldado, que relembra e reverencia os feitos do chefe militar Duque de Caxias. A largada é às 7 horas.

 

*Pelo Campeonato Brasileiro da Série D, o Coruripe disputa hoje com o Campinense o primeiro lugar do seu grupo. O time alagoano, vice-líder, tem 6 pontos; o time paraibano, primeiro colocado no momento, tem8, O jogo é às 16 horas, em Campina Grande.

 

“Corrupção sempre houve. Mas o petrolão e o PT são incomparáveis”. 

Sebastião Nery

Jornalista