Blog do Dresch

16 de agosto de 2015

Conselho analisa desenvolvimento industrial

                   O balanço foi apresentado pela Secretária do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Jeanine Pires, aos 27 Conselheiros, que participaram e ao mesmo tempo tomaram posse no Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico de Alagoas: Existem hoje 40 empresas em fase de instalação no Estado, com capacidade de investimentos de R$ 2 bilhões, além de gerarem 2.650 postos de trabalho. Outras 32 indústrias estão em contato direto com o Governo para abrir novos negócios ou ampliar sua atuação em Alagoas. O volume previsto para a instalação destes empreendimentos é de R$ 760 milhões com mais 1.760 empregos diretos.

Crescimento industrial 2

                   O Conedes é o fórum ideal para o debate e para as metas a serem fixadas para o desenvolvimento econômico do Estado. Ele é formado por entidades governamentais, instituições financeiras, segmentos produtivos, centros de ensino e entidades representativas da sociedade civil. Dessa forma o Conedes exerce papel fundamental nas propostas de crescimento econômico do Estado. Na primeira reunião do Conedes foi feito um balanço da atuação do Conselho nos últimos anos e debatidas as metas a serem alcançadas no atual governo.

 

Educação profissional

                   O Ministro da Educação, Renato Janine, tem salientado a importância da educação profissional no país e seus benefícios para o futuro. Esta semana, em um evento internacional ele afirmou: “A educação profissional, que é para o Brasil de Hoje e do futuro, é uma das politicas centrais para promover o desenvolvimento pessoal, socioeconômico, e ao mesmo tempo acelerar o ritmo da produtividade e da competitividade”, disse em seu discurso na abertura do WorldSikills Competition, uma competição de ensino técnico que aconteceu em São Paulo até Sábado. São 1,2 mil competidores de 60 países, com especialização em 50 ocupações técnicas e com no máximo 22 anos de idade. Especialistas em áreas como mecatrônica, desenho mecânico, soldagem, eletricidade industrial, web design e confeitaria participaram das provas. O Brasil contou com 56 participantes na competição. O Ministro Armando Monteiro Neto do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior afirmou que a competição ajuda a destacar a importância da formação profissional no país, para elevar a competitividade na economia. “Nesse momento essa agenda chega a ser estratégica, porque o Brasil precisa cada vez mais investir em seu capital humano”. Já o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga de Andrade afirmou que “o ensino profissional abre as portas para milhões de jovens, que chegam ao mercado de trabalho com a missão de construir o futuro e o presente do nosso país”.

 

Aumento da safra

                   Se a economia enfrenta problemas em diversos setores, pelo menos a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas esta cada vez mais produtiva. Agora, a safra de 2015 fecha o ano com um aumento de 8,1% superior a do ano passado, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a sétima estimativa do Levantamento Agrícola, a produção deste ano deve atingir 209 milhões de toneladas, sendo 15.7 milhões de toneladas a mais que 2014. O levantamento feito em Julho também é 1,3% superior ao de Junho. Os maiores aumentos são nas três principais lavouras: soja (aumento de 11,9%), milho (5,2%) e arroz (4,4%).  Dos 26 produtos pesquisados, 15 terão aumento da safra.

Aumento da safra 2

                   Além da soja, milho e arroz, também deverão ter aumento na safra de 2015 o café em grão (arábica) de 4,6%, a cana-de-açúcar 2,1%, a mandioca (ou macaxeira) 2,3%, trigo em grão 17%, cebola de 0,3%, laranja 9,3%, amendoim em casca (1ª safra e 2ª safra) 6,3% e batata inglesa com aumento de 1,4%. Os produtos que terão queda na produção são: café em grão (canephora), feijão em grão, algodão herbáceo em caroço, batata-inglesa (3ª safra) e cacau em amêndoa. Em relação à área cultivada, a estimativa é de que haja um crescimento de 2,1% em relação a 2014, principalmente nas três lavouras de maior destaque.

Diagnóstico das escolas

                   Uma Comissão vai promover um levantamento sobre a situação das escolas alagoanas buscando a regularização para o seu funcionamento. A Comissão é formada por integrantes da Secretaria do Estado da Educação, do Conselho Estadual de Educação, da União dos Dirigentes Municipais e Educação e da União dos Conselhos Municipais de Educação, e foi criada por uma portaria do Conselho Estadual. As escolas devem procurar a Coordenadoria mais próxima e preencherem um cadastro fornecendo as informações necessárias sobre a sua situação. Isso deve ser feito até o próximo dia 31.

Diagnóstico das escolas 2

                    O levantamento foi batizado de “Projeto Regularize” e vai apresentar um diagnóstico da situação de cada escola. No cadastro constam informações sobre a identificação da escola e seus gestores e a situação da unidade sob o ponto de vista legal. O formulário busca esclarecer ainda se o processo de regularização da escola esta em tramitação e qual a atual situação. Outras questões dizem respeito sobre quem mantém a escola, sobre o imóvel onde funciona, o número de vagas ofertadas e de matrículas efetuadas na educação infantil, ensino fundamental e médio.

  

  • O Secretário Pablo Viana, da Ciência, Tecnologia e Inovação está convocando os gestores da área de Tecnologia e de Informação das secretarias estaduais e orgãos da administração direta e indireta do governo para uma reunião nesta segunda feira, ás 10h.
  • Na pauta a apresentação nos novos sistemas de informação de software e hardware desenvolvido pela Secretaria, e que permitirá um levantamento nas atividades de cada pasta.
  • O sistema criado faz parte do programa Alagoas Digital e deverá facilitar a análise de aquisições, contratos e serviços desenvolvidos.
  • A Secretaria fará ainda um cadastro dos gestores de cada orgão envolvido, para permitir o acesso ao sistema e o alimentem com informações para gerar um banco de dados.
  • Esse conjunto de informações permitirá uma série de ações do Executivo, na otimização de recursos e de melhor aproveitamento do potencial de Tecnologia da Informação que já existe nos orgãos.